Nessa 4º parte do nosso artigo sobre como estudar em Harvard, nós vamos abordar as escolas tradicionais de Harvard, aquelas que são “bem” difíceis de entrar e custam o salário de uma vida inteira! Links para as partes anteriores podem ser encontrados no final do artigo, se você não leu ainda.

Nós usamos com frequência o termo “escola” para designar as faculdades de Harvard. Não estranhe, pois é assim que se fala nos EUA, faculdade é “escola”, tanto que o termo escola (school) está presente no nome de todas as instituições de ensino superior em Harvard, com exceção do Harvard College, que é de fato um “college”, não uma “school”, como você compreenderá ao ler esse artigo.

HARVARD COLLEGE

O college é um curso de 4 anos que os estudantes devem fazer “primeiro”, antes de entrar em qualquer curso profissionalizante, como medicina e direito.

Ao completar esse college, é emitido um diploma de bacharel na concentração e opcionalmente subconcentração de escolha do aluno, que em inglês é chamado de “major” e “minor”. Por exemplo, é possível ter um bacharel com major em biologia e minor em bioquímica. Ter um “minor”, ou uma concentração menor no diploma o enriquece e ajuda o aluno a ser aceito em escolas mais prestigiadas, mas não é obrigatório.

Os alunos começam o college sem muita noção do que vão fazer (a maioria) e essa é uma das grandes vantagens do sistema educacional americano. No Brasil, o jovem de 17, 18 anos precisa decidir rapidamente o que quer fazer “supostamente” para o resto da vida, pois o vestibular é prestado para cursos específicos. Nos EUA não é assim. O College nem sequer importa muito, ele tem mais o propósito de dar uma iniciação científica para o jovem e ensiná-lo coisas básicas sobre como se expressar de forma escrita apropriadamente – os jovens universitários nos EUA, ao contrário do Brasil, precisam escrever muito! O college também tem o objetivo de ensinar os alunos a “pensar”, lendo textos criticamente e fazendo análises complexas, outra diferença para com o sistema Brasileiro, cuja universidade (a maioria) apenas copia o sistema educacional do ensino fundamental e médio, estimulando os alunos a simplesmente memorizarem dados e depois repetirem em provas.

O aluno sai do college com diploma de bacharel, mas como dissemos, isso pouco importa. Para que o estudante tenha uma profissão de fato, ele precisa continuar sua jornada educacional e ir para o que os americanos chamam de “grad school” ou escola de graduação. É na graduação, depois dos 4 anos de college, que os alunos têm a oportunidade de escolherem uma carreira como medicina, direito, farmácia, administração, odontologia, arquitetura, pedagogia, etc.

O Harvard College é uma das escolas mais elitistas do mundo e seus alunos geralmente são filhos de políticos, bilionários e celebridades. O Harvard College também absorve os gênios que se destacam no colegial não só nos EUA, mas em outros países.

Contudo, se você não é gênio, nem filho de fulano de tal, esqueça entrar no Harvard College! A idade máxima para entrada no Harvard College é 24 anos (isso não é divulgado, aliás, todas as faculdades “fingem” que não existe preconceito contra idade no processo de seleção, mas você jamais verá um adulto de 28 anos sentado numa sala do Harvard College). 23, 24 já é uma “idade avançada” para entrar no College, mas muitas faculdades abrem exceção para veteranos militares. Nos EUA, os jovens têm a opção de se alistarem no serviço militar e o tempo padrão é de 4 anos. Tanto Harvard quanto outros colleges aceitam veteranos que se destacaram, foram heróis de guerra e tiveram um currículo educacional brilhante antes de entrar no serviço militar. Fora essa exceção, o Harvard College não tem motivo algum para aceitar aplicantes “mais velhos”, ou seja, com mais de 24 anos. Muitos outros colleges conceituados fazem o mesmo.

Nos EUA, há muito puritanismo com relação a forma como são tratados os menores de 21 anos. Para nós Brasileiros, isso é um pouco ridículo, mas para os Americanos, “crianças” de 17, 18 anos precisam ser “separadas” dos adultos. É tabu, por exemplo, uma pessoa de 26, 27 anos namorar uma de 19. A de 19, para os Americanos, é uma “criança” e não deve ter contato prolongado com adultos. É óbvio que na prática, os adolescentes americanos têm sim contato com “adultos”, mas os pais e as universidades fazem o possível para manter os jovens separados. Além disso, a experiência de ir para o college é algo que é um rito de passagem. Os alunos moram no dormitório da universidade, praticam esportes, juntam-se à fraternidades e festejam sua recém adquirida liberdade. É uma experiência de vida que as melhores universidades preferem manter entre os mais jovens, pois ao misturar aqueles que “só querem festejar e curtir a vida” com gente que já tem família e responsabilidades, a dinâmica da experiência muda completamente.

Há muitos colleges, é claro, que aceitam alunos mais velhos, mas o Harvard College não é um deles. Se você já é mais velho e não tem um diploma de bacharel ainda, faça essa faculdade no Brasil e depois entre em uma das grad schools de Harvard, escolas que vamos discutir a seguir.

HARVARD MEDICAL SCHOOL

Uma das faculdades de medicina mais conceituadas e concorridas do mundo, a Harvard Medical School é berço de alguns dos mais ilustres cientistas e autores da atualidade.

Na Harvard Medical School é possível fazer além de medicina, cursos de mestrado e doutorado em áreas da saúde como neurociência e bioquímica. Entrada na HMS não é possível para quem ainda não tem um curso superior, é preciso ter pelo menos um diploma de bacharel para se candidatar a qualquer curso oferecido pela HMS.

Para mais informações sobre como estudar medicina em Harvard, leia o artigo especial sobre o assunto (o link vai abrir em outra aba para que você continue lendo esse artigo).

HARVARD LAW SCHOOL

Tão prestigiada quando a Harvard Medical School, a faculdade de direito também é uma “grad school”, ou seja, é uma escola de pós graduação. Quem não tem no mínimo um diploma de bacharel não pode entrar na HLS.

É importante compreender que nos EUA não existe bacharelado em direito, como existe no Brasil. O aluno para chegar na faculdade de direito, precisa tirar algum outro bacharelado (em qualquer área) primeiro. Muitos alunos que entram na escola de direito, fizeram college (bacharelado) em ciências políticas, sociologia, letras, filosofia, psicologia ou história. Mas é possível também para qualquer aluno, com qualquer diploma aplicar para a faculdade de direito, mesmo que tenha sido um curso que não tem nada a ver com direito como biologia. Por exemplo, nada impede que um engenheiro se candidate à faculdade de direito. O diploma do bacharelado não influencia em nada a entrada na faculdade de direito.

A Harvard Law School oferece o curso normal de direito, que dura 3 anos, e ainda mestrado e doutorado em direito.

O vestibular da faculdade de direito (para entrada em qualquer universidade nos EUA) é o LSAT, que é um teste basicamente de raciocínio lógico e analítico e é BEM difícil! O candidato à faculdade de direito deve comprovar que sabe escrever muito bem e também tem capacidade de elaboração de pensamento acima da média, sabendo raciocinar e apresentar seus pensamentos com clareza e erudição. Isso é, de certa forma, difícil para Brasileiros, pois em nosso caminho educacional, pouca atenção é dada para redação, interpretação crítica de texto e raciocínio lógico e analítico. Como o candidato para entrar na faculdade de direito já deve ser feito um curso superior antes, essas exigências são realmente “intensas”!

Há cursos aqui nos EUA que pessoas de qualquer país podem fazer que treinam para o LSAT. Esses cursos são abertos e qualquer um pode fazer. Se você está interessado em fazer direito nos EUA, procure no Google ou Bing por cursos preparatórios para law school ou o LSAT (mas procure em inglês, né camarada!).

HARVARD GRADUATE SCHOOL OF ARTS AND SCIENCE

Essa é uma das mais seletivas e badaladas escolas de Harvard. Vários autores de best-sellers internacionais como Daniel Goleman (Inteligência Emocional) e Steven Pinker (Como o cérebro funciona) são (ou foram) professores desta universidade.

A “escola de artes e ciências” é uma faculdade que disponibiliza mestrado e doutorado nas áreas de humanas e algumas áreas biológicas que tem conexão com humanas, como neurociência cognitiva. Lembre-se que o aluno nos EUA precisa fazer college primeiro (o bacharelado) para depois entrar em qualquer faculdade propriamente dita.

Algumas áreas que possuem cursos que você pode fazer na GSAS são: psicologia, antropologia, sociologia, biologia, neurociência, história, medicina (no programa que dá ao formando um PhD junto com o MD – esse curso é levado junto com a Harvard Medical School), economia, física, música, estatística, química, bioquímica, biofísica, inglês (não se trata de um curso de inglês para estrangeiros, mas algo similar ao curso de letras no Brasil), literatura, astronomia, matemática, entre outros.

Como você pode ver, a Harvard Graduate School of Arts and Sciences é bem ampla! O ensino nesses cursos se foca em estimular o aluno a pensar e desenvolver uma capacidade singular de prospecção e raciocínio intelectivo, preparando-o para ser um líder em sua área de atuação.

Para entrar na GSAS é preciso já ter feito uma faculdade antes, qual não importa. Todos os cursos disponíveis na GSAS são cursos de pós graduação – mestrado, doutorado ou cursos de especialização.

É muito difícil entrar na GSAS e um currículo invejável no curso de bacharelado é absolutamente necessário. Também é necessário uma boa nota do GRE (o vestibular para faculdades de humanas e ciências biológicas). A faculdade em que você obteve seu bacharel também conta muitos pontos. Um ótimo aluno que se formou em psicologia na USP tem muito mais chances de entrar na GSAS do que um ótimo aluno formado em qualquer curso por uma universidade desconhecida no Brasil.

Brasileiros têm o benefício de preencherem cotas, uma para estrangeiros e outra para latinos (as faculdades americanas tem muito disso!), mas isso não significa que qualquer um consiga entrar. Lembre-se: tem gente do mundo todo querendo entrar em uma das escolas de Harvard, a concorrência nem se compara com o nosso “super competitivo” vestibular. Em Harvard, são centenas de pessoas competindo por uma única vaga! E todas essas pessoas são extremamente brilhantes!

O teste padronizado para entrar na GSAS é o GRE. Esse é também um teste bem difícil, pesado em estatística e matemática (matérias essenciais para moldar o raciocínio lógico e analítico necessário para acompanhar os cursos na GSAS).O GRE exige também forte interpretação de texto, conhecimentos ricos em história, biologia, psicologia, sociologia. Contudo, é difícil estudar para o GRE, pois não há nada muito especifico que é pedido. O teste avalia a capacidade de raciocínio e análise crítica do candidato, de diversas formas. É preciso saber escrever muito bem em inglês para tirar boa nota nesse teste!

HARVARD BUSINESS SCHOOL

A badalada escola de administração de Harvard! Muitos políticos e celebridades passaram por essa faculdade como o autor Steven Covey (autor do best-seller Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes), o presidente da Microsoft Steve Balmer e muitos diretores e presidentes de multinacionais como John T. Cahill, presidente da Pepsi Co., Jamie Dimon, presidente do banco JP Morgan, Michael Cohrs, presidente do banco Deutsche Bank, Howard L. Clark, Sr. ex-presidente da American Express, Jeffrey R. Immelt, ex-presidente da GE, Jeff Kindler, CEO da Pfizer, John Langeloth Loeb, Jr., embaixador Norte Americano na Dinamarca, James McNerney, CEO da Boeing, John Thain, CEO do Citibank.

Além do hall of fame das empresas mais ricas do planeta, ainda podemos citar outros ilustres que freuentaram a Harvard Business School como George W. Bush, ex-presidente dos EUA, Al Gore, vice presidente dos EUA para Bill Clinton, Barack Obama, Eduardo Rodríguez, presidente da Bolívia, Syngman Rhee, presidente da Korea do Sul, William Lyon Mackenzie King, primeiro ministro do Canadá, Gro Harlem Brundtland, primeiro ministro da Noruega.

Ufa! Chega né! E poderíamos preencher mais páginas e páginas com personalidades que frequentaram a Harvard Business School! É uma das faculdades mais conceituadas do mundo e responsável por educar líderes de estado, empreendedores e presidentes de empresas.

É desnecessário dizer que é extremamente difícil entrar na HBS! O teste de seleção é o GMAT, pesado em estatística, matemática, raciocínio crítico e capacidade de expressão escrita. Ter uma boa nota no GMAT, contudo, não basta. Todas as escolas de Harvard, assim como a maioria as faculdades Norte Americanas, exigem muito mais do que a nota em um simples teste (equivalente ao vestibular Brasileiro). Todas as faculdades de nível superior (não colleges) nos EUA entrevistam os candidatos mais promissores pessoalmente. A entrevista funciona quase como uma entrevista de emprego. As faculdades querem saber se o aluno é bom o suficiente para frequenciar seus cursos acadêmicos pessoalmente.

Um bom livro para quem quer saber como é a vida dentro da Harvard Business School e o que é realmente necessário para entrar é o Ahead of the Curve, de Philip Delves Broughton (sem tradução para o Português, à disposição em formato digital – e impresso se for a sua preferência – na Amazon.com).

Olhando com realismo para o processo seletivo da HBS e o histórico de candidatos que a escola aceita, podemos observar que as formas de realmente entrar nessa faculdade são:

– Ter um cargo de destaque em uma grande empresa multinacional (com potencial promissor para ser diretor ou executivo chefe (presidente) da empresa (nesse caso, a própria empresa coloca o funcionário na HBS);

– Ter contatos sólidos com políticos e ex-alunos que possam providenciar sólidas cartas de recomendação (lembre-se: ninguém entra em Harvard ou em alguma escola conceituada sem apresentar cartas de recomendação de pessoas conhecidas da própria instituição – professores, políticos, celebridades, etc.);

– Um histórico de vida realmente único como alguém que voluntariou na Cruz Vermelha na África ou lutou em uma guerra.

Historicamente, nenhum Brasileiro “normal” sem algo de destaque extremo, conseguiu entrar na HBS. Não dizemos isso para desanimá-lo, mas simplesmente para que os leitores coloquem os pés no chão. No Brasil, o sistema do vestibular permite com que qualquer um que se dedique, consiga obter uma boa nota e passar nas melhores faculdades do país como USP e ITA. Nos EUA, a coisa não funciona dessa forma. A faculdade escolhe individualmente e subjetivamente cada aluno e eles pegam quem eles quiserem, independente de nota em teste ou qualquer outro fator que esteja ao alcance de uma pessoa “comum”. Se um aluno péssimo em termos acadêmico é indicado pelo presidente de uma grande empresa, ele entra, só pela indicação e nada mais. As grandes multinacionais, aliás, são as grandes fornecedoras de alunos para a Harvard Business School e demais escolas de negócios de ponta nos EUA, Inglaterra, Canadá, entre outros países.

Lembre-se: não existe democracia no processo seletivo na maioria das faculdades nos EUA. Não é o melhor que entra, mas o “preferido” da universidade, quaisquer que sejam os critérios de preferência. Tudo é subjetivo, cartas de recomendação pessoal e entrevistas contam muito mais do que notas boas e competência. Isso é válido muito mais fortemente na Harvard Business School do que em qualquer outra faculdade de Harvard.

A única escola democrática de Harvard, em que realmente, entra o melhor, não importa “quem indicou”, é a Harvard Extension School.

HARVARD FACULTY OF ARTS AND SCIENCES (FAS)

A FAS não é uma faculdade em si, mas sim uma instituição que engloba o Harvard College, a Graduate School of Arts and Science, a School of Engineering and Applied Sciences, A divisão de estudos continuados (pós graduação), o que inclui a Extension School e a Summer School. A FAS também administra as bibliotecas e museus de Harvard.

Não é possível “entrar” na FAS, já que cada faculdade específica que ela administra possui seus próprios critérios de seleção, como discutidos aqui nesse artigo.

HARVARD SCHOOL OF ENGINEERING AND APPLIED SCIENCE

Uma das únicas escolas de Harvard que oferecem cursos de bacharelado, a SEAS é focada na área de exatas – matemática, engenharia e ciência da computação. É possível fazer bacharelado, mestrado e doutorado nessas áreas na SEAS.

A entrada nessa faculdade, como ocorre com todas as tradicionais escolas de Harvard, é muito difícil, porém relativamente mais fácil do que as faculdades de medicina, direito e administração, que apresentamos anteriormente nesse artigo. Por mais “fácil” nós não queremos dizer que é realmente “fácil”. Esse termo está sendo usado em comparação com as mais competitivas faculdades do mundo! Então mantenha isso em mente. Entrar na na SEAS é extremamente difícil!

Assim como ocorre no Harvard College, se você já passou dos 24 anos, não é mais possível entrar no curso de bacharelado. Pessoas “mais velhas” são consideradas somente para cursos de mestrado e doutorado – e ainda assim, existe um certo preconceito de idade e é necessário ter um histórico acadêmico perfeito para ser considerado para qualquer curso na SEAS.

HARVARD SCHOOL OF DENTAL MEDICINE

Faculdade de odontologia de Harvard, a mais concorrida do mundo! Nem todos os cursos de Harvard são “os mais concorridos do mundo”, mas no caso de odonto, é!

Somente os melhores alunos nas faculdades do mundo inteiro são considerados para aplicação na SDM. Lembrando que odonto é “pós” nos EUA. Candidatos devem já ter feito outra faculdade antes. No caso de odontologia, ao contrário de outros cursos como direito e medicina, conta muito qual faculdade foi feita. Biologia, química e bioquímica são os cursos preferidos de aplicantes aceitos nas melhores escolas de odontologia nos EUA.

HARVARD SCHOOL OF DIVINITY

Fundada em 1816, a Harvard School of Divinity é a faculdade de teologia e ensino religioso de Harvard. Alguns dos pastores e líderes religiosos (de diversas igrejas) mais famosos dos EUA frequentaram a HSD. Não são só líderes religiosos que frequentam a HSD, contudo. Teologia é um curso de interesse de muitos intelectuais e estudiosos. O famoso poeta e escritor Ralph Waldo Emerson frequentou essa escola em Harvard.

Entretanto, como o assunto é de menor interesse com relação à medicina, odonto ou direito, a HSD é a escola tradicional de Harvard mais fácil de entrar (sem contar a Harvard Extension e Summer School que não são escolas “tradicionais”). Essa facilidade, porém, não significa que Brasileiros consigam entrar “sem dificuldades”, pois a concorrência pode ser menor, contudo, a exigência de atividades assistenciais e de liderança extracurriculares contam muito, assim como na aplicação para a faculdade de medicina e no Brasil, a construção desse tipo de currículo não é nem um pouco estimulada.

A HSD só oferece cursos de mestrado e doutorado, portanto você precisa de um diploma de bacharel (no mínimo) para poder aplicar para candidatura.

HARVARD SCHOOL OF PUBLIC HEALTH

Uma faculdade menos concorrida do que as clássicas (medicina, direito, administração e odonto), mas não menos prestigiada. A HSPH oferece somente cursos de mestrado e doutorado e é focada na área da administração da saúde pública.



Palavras-chave: Harvard, Intercâmbio