Um dos primeiros passos em direção a uma vida de sucessos é aprender a lidar com o inesperado.

A diferença básica nas respostas para lidar com o inesperado é a maturidade emocional e esse é um dos principais diferenciais da pessoa bem sucedida.

As emoções estragam tudo! A pessoa bem sucedida não se altera emocionalmente, não se desespera, não sente frustração, ansiedade ou irritação. A pessoa com perfil de fracassado deixa que suas emoções boicotem sua performance. Ansiedade, frustração, irritação, agressividade e raiva nunca resolveram problema algum.

A inteligência emocional é a capacidade de administrar as próprias emoções de forma assertiva e pragmática, resultando em respostas mais adequadas aos estímulos do ambiente. O inesperado é um estímulo e o que determina as consequências e o desenrolar da situação são as respostas que você escolhe dar. O inesperado pode desencadear o desespero, por exemplo, revelando dificuldade para organizar as próprias emoções num nível extremo.

A ansiedade e a frustração também revelam imaturidade emocional pois as informações e fatos não são processadas de maneira adequada, resultando em respostas indesejáveis às situações.

Vejo que existe uma certa dificuldade para as pessoas compreenderem esse ponto de vista, pois vivemos em uma sociedade em que a emoção é supervalorizada, então quando falamos em ser “frio”, em “pisar” nas emoções, as pessoas arregalam os olhos surpresas e não entendem bem o que é que eu quero dizer com tudo isso.

Primeiramente, é importante separar bem sentimentos de emoções. O que deve ser valorizado são os sentimentos, como amor, fraternidade e empatia, por exemplo. Emoções, por outro lado, são exacerbações, ou seja, exageros desnecessários, e geralmente descambam para lado negativo, pois dão demasiada vazão ao ego.

O ego, por sua vez, é aquela parte “negra” de nossa personalidade que é mimada, orgulhosa, vaidosa e deseja que o mundo se ajoelhe aos nossos pés. O ego frequentemente dá vazão para emoções negativas, pois como ele “exige” que o mundo seja perfeito e que tudo ocorra como ele quer, quando as coisas “ousam” ter vida própria (situações, pessoas, etc.), o ego dá “piti” e aí é que sentimos a frustração, a ansiedade, o medo, a raiva.

Quanto mais intensa for a sensação de que a vida deve se desenrolar como nós queremos e ponto final, mais intensas serão as sensações de rejeição quando as coisas começarem a se desviar de nossa vontade e expectativas. Frustração, tristeza e raiva são sensações de rejeição – não queremos ou não gostamos do que está acontecendo ou da forma como as situações estão se desenrolando e reagimos emocionalmente.

Por outro lado, quanto menos expectativas temos sobre como as coisas devem ser e acontecer, menos pressão colocamos na vida e nas pessoas ao nosso redor e menos emoções desencadeamos quando a vida simplesmente acontece da forma como ela quer acontecer.