Compartilhe!

Continuação da seção de perguntas e respostas sobre projeto e missão de vida:

Existe muita confusão e talvez uma idéia mitificada do que é um “propósito de vida”, o que pode levar algumas pessoas a andar em círculos sem conseguir identificar a própria missão. Você poderia comentar um pouco sobre essa questão?

Sim, há muita mitificação e conceitos equivocados sobre esse tema. Há uma pré-concepção de que o propósito de vida (talvez até pela interpretação de seu sinônimo mais popular, “missão”) é algo “a ser realizado”. A pessoa, então, fica obcecada com a idéia de encontrar aquilo que ela “deve fazer”, fica tentando adivinhar, dá palpites, reflete sobre possibilidades quando, na verdade, o propósito é algo que é vivenciado diariamente, não é geralmente algo que é realizado no tempo num determinado momento. O propósito também pouco tem a ver com profissão ou atividade profissional em geral. Com nossa limitação humana, temos pouca visão de conjunto, portanto a noção de que alguém pode “descobrir” seu propósito de vida como um todo é simplesmente tola. O propósito “acontece” se deixamos ele se desenrolar, se o desvendamos aos poucos, à medida que vamos andando na direção certa, aceitamos os desafios e mantemos nossa autenticidade.

Se você espera “descobrir” seu propósito no sentido de saber exatamente o que deve fazer e está buscando por algum tipo de “missão”, você pode estar procurando no lugar errado, aguardando algo que pode jamais acontecer. O risco maior é de ficar andando em círculos indefinidamente esperando uma informação que jamais virá no formato que se espera. Não temos visão de conjunto de nossas próprias vidas, ponto final. Nossa única alternativa é manter a lanterna acessa e seguir pela escuridão aceitando que só podemos enxergar dois metros a nossa frente. Essa é a realidade, fingir saber o que há 1km adiante é tolo e arrogante.

A questão que poucos se dão conta é de que é possível viver de acordo com um propósito de vida sem ter visão total de todo o caminho, é possível viver com significado um dia de cada vez. Erroneamente, se espera ter visão do todo primeiro para depois começar. As pessoas esperam algo que jamais acontecerá, como se esperassem ter uma visão sobrenatural e, de um dia para o outro, soubessem qual o caminho a seguir na vida.

Recomendo aos meus alunos e leitores que reflitam sobre suas expectativas quanto ao próprio propósito.

Ficar esperando “descobri-lo” como se ele fosse algo a vir de fora é uma grande armadilha, é como esperar alguém chegar ou um evento acontecer. Trata-se o propósito como uma informação que deve vir de fora, como algum tipo de “revelação”. Não é esse o caso. O propósito é algo extremamente íntimo, relacionado às necessidades de crescimento pessoal e potencial para superar essas dificuldades.

Para algumas pessoas também significa que esse potencial ou experiência de superação das dificuldades também pode servir para o crescimento de outras pessoas, mas nem sempre é o caso. O ponto principal é que nossa missão se desenrola e se mostra pouco a pouco à medida que seguimos em frente e seguir em frente requer coragem e desprendimento para não ceder à tentação de não encarar os desafios que surgem, pois é mais confortável simplesmente permanecer onde se está, sentimo-nos mais felizes quando tudo está bem e não temos problemas ao nosso redor. Se cairmos na armadilha da felicidade, acabamos não indo muito longe e, no final das contas, o que sobra é o arrependimento de não ter tido a coragem de viver de forma extraordinária.

Você pode deixar seus comentários e perguntas na seção de comentários abaixo (perguntas não são respondidas individualmente, se sua pergunta for selecionada, ela será respondida aqui nesta seção de perguntas e respostas).

Para obter um manual completo que lhe guiará pelo processo de identificação e vivência de seu propósito de vida, clique aqui.



Palavras-chave: missão de vida, Projeto de Vida, propósito de vida, sentido da vida

Compartilhe!