Como virar a mesa e fazer desse ano o melhor da sua vida?

Não é tão complicado quanto parece! Resultados, que é o que a grande maioria das pessoas deseja, é uma simples questão de direcionamento, foco e manutenção produtiva, nada mais. Postura pessoal, o que inclui a autoestima, a proatividade, a inteligência emocional, entre outros aspectos, ajuda, mas na realidade você não precisa ser uma pessoa perfeita para alcançar metas e ser bem sucedido na vida.

Por mais simples que seja, a maioria das pessoas falha já no primeiro item, não possuem um direcionamento. Muitos que se dão o trabalho de definir metas, falham no segundo item, se dispersam ao longo do ano e não conseguem nem começar ou dar continuidade às metas estabelecidas ou iniciadas. O terceiro item é ainda mais raro de ser alcançado, um nível de produtividade eficaz que sustenta a concretização das metas ao longo do tempo. Para chegar a esse ponto, é preciso estar direcionado a uma meta muito específica, conseguir driblar os estímulos que provocam a dispersão na vida cotidiana e usar técnicas de produtividade para manter o ritmo constante.

Isso parece complicado para quem não tem o hábito de ser produtivo, mas na realidade é uma simples questão de firmar as bases e criar mecanismos para não se deixar desviar ao longo do ano. O que proponho aqui nesse artigo é muito mais fácil e prático do que mudanças comportamentais e de temperamento como autoestima e inteligência emocional, assuntos que geralmente abordamos em artigos por aqui. Você não precisa ser perfeito, ter a personalidade ideal para atingir metas, você só precisa saber o que fazer e se dar o trabalho de fazer de fato o que você se propõe.

Aqui vão algumas providências ou passos que podem ser realizados para otimizar sua capacidade de manter a continuidade em suas metas:

1. Propósito

Por trás de metas aparentemente desconectadas, deve existir um propósito maior, um “motivo” que une como uma cola as ações ao longo do tempo. Pessoas muito bem sucedidas geralmente possuem um propósito, mesmo que não evidente para os outros. O propósito é o maior fator motivador que impulsiona a ação ao longo do tempo e responde à pergunta “por que eu faço o que faço?”, ou melhor, qual a razão real por trás das minhas metas?

Nem todas as metas precisam necessariamente estar ligadas a um propósito, ou seja, a uma razão maior que explica porque você quer alcançar aquilo, contudo, o propósito fornece motivação e ajuda você a persistir quando os obstáculos se mostram difíceis de superar ou quando o desânimo bate.

2. Metas

Parece sem sentido colocar metas como segundo item quando o que estamos falando é justamente em formas de otimizar a concretização das próprias metas, contudo, o que vemos é que a maioria das pessoas geralmente define são intenções e desejos, não metas propriamente ditas. Isso faz uma grande diferença.

Quando as metas são específicas, objetivas, mensuráveis e possuem uma data limite, fica muito mais fácil visualizá-las como algo real, não um desejo frouxo.

As metas, por sua vez, devem estar relacionadas a um propósito. Essa combinação fortalece a motivação e o comprometimento e dá luz à determinação. A determinação é o senso de que você sabe o que quer alcançar e se sente comprometido o suficiente com o resultado desejado a ponto de manter-se na linha.

3. Técnicas de produtividade

A disciplina se beneficia muito da utilização de técnicas de produtividade. Quando você está desmotivado ou quando as circunstâncias do ambiente não se encontram favoráveis à realização das metas, técnicas fornecem uma estrutura pré-moldada e confiável para que você simplesmente faça o que precisa ser feito naquele momento, sem precisar pensar muito. Técnicas são como receitas de bolo, fórmulas prontas que definem formas específicas de se realizar algo, atalhos ou truques para otimizar a ação.

Não é o objetivo desse artigo ensinar técnicas de produtividade, até porque existem milhares de técnicas, mas uma rápida pesquisa na internet já pode lhe dar material suficiente para organizar sua vida de forma mais produtiva. O ideal é manter uma pasta, seja no computador ou em papel, em que você reúne todas as técnicas que vai conhecendo ao longo do tempo. Observe que nem sempre você vai encontrar técnicas de produtividade sendo identificadas por esse nome. Muitas vezes você as encontrará sendo apresentadas como outros nomes como “truques”, “segredos”, “formas”, “hacks”, etc. O que define uma técnica é um grupo organizado de informações que visa estruturar a execução de alguma tarefa. O que quer que você encontre que se enquadre nessa definição é uma “técnica”, seja qual for o nome dado.

4. Auto-organização

A utilização de técnicas é uma forma de se organizar, mas a auto-organização vai muito além disso, sendo a principal ferramenta para uma vida mais equilibrada, saudável e produtiva. A organização pessoal é uma profilaxia contra preocupações, confusões, perda de tempo e de oportunidades. A pessoa organizada exclui de sua vida tudo o que não presta, que não é ideal, não é prioritário. Dessa forma, há muito mais tempo e “espaço” para que as metas sejam concretizadas sem stress e preocupações.

Por incrível que pareça, a auto-organização ajuda muito em metas emocionais como ser menos ansioso ou lidar melhor com o stress, já que transforma o cotidiano em algo mais previsível e estruturado.

Você pode melhorar muito sua vida usando técnicas extremamente simples de auto-organização como listas (checklists) e agendas. Isso pode parecer elementar, mas muitas pessoas que se exasperam com os afazeres diários, não se dão o trabalho de usarem agendas ou fazerem simples listinhas.

5. Estratégia

Estratégia é um dos segredos menos conhecidos do sucesso, principalmente porque a maioria das pessoas não faz a menor ideia do que realmente seja estratégia, apesar de todos conhecermos a palavra. Estratégia, de forma resumida, é um posicionamento, uma forma específica de se atingir um determinado fim.

Estratégia não é planejamento, apesar dessas duas ferramentas serem comumente confundidas. Fãs de esportes devem compreender melhor esse conceito, mesmo sem saber. O técnico de um time ou um treinador, com frequência, define estratégias que estabelecem como o time ou o atleta jogará. A estratégia envolve a formação do time de futebol no campo, por exemplo, assim como o perfil do jogo, se os jogadores vão jogar na defensiva ou no ataque, dentre outros detalhes. Isso não é planejamento, é estratégia de jogo. Quem joga xadrez sabe muito bem do que estou falando, ganha quem tem a melhor estratégia, não quem “se empenha” mais.

Pessoas bem sucedidas no mundo dos negócios, em sua maioria, adotaram estratégias consciente ou inconscientemente para subir na carreira. Quando você explica como uma pessoa progrediu profissionalmente, você geralmente evidencia justamente a estratégia que ela utilizou. A estratégia é a forma, a abordagem que a pessoa usa no dia-a-dia a fim de atingir seus objetivos.

O diferencial da estratégia é que ela define um foco, um perfil de comportamento específico, evitando que a pessoa tente atingir suas metas de todas as formas possíveis, desperdiçando esforços e se sentindo perdida.

6. Planejamento

O planejamento é a estruturação das atividades necessárias para que você possa atingir sua meta com o menor desperdício de esforços possível, assim como a melhor utilização de seu tempo e potencial. Quando o planejamento está associado a uma estratégia ele é altamente potencializado, além de abrir uma vantagem absurda em comparação com todas as outras pessoas que vagam pela vida desorganizadas e sem rumo.

Muitas pessoas deixam de planejar porque acham que fazê-lo é muito complicado e difícil, contudo, isso é um mito. Todo mundo já planejou e continua planejando de vez em quando. Planejar é simplesmente organizar de forma planificada o que você precisa fazer e em que ordem vai fazer – você já fez isso, não fez? É claro que existem níveis de complexidade no planejamento e a sofisticação depende tanto da seriedade da meta quanto da sua vontade e predisposição em se engajar em uma estruturação mais complexa. O planejamento, entretanto, não precisa necessariamente ser complicado ou difícil.

O planejamento ajuda a não nos perdermos na loucura do dia-a-dia, nos dizendo de forma mastigada e clara o que precisamos fazer para alcançarmos nossas metas naquela fase específica que estamos percorrendo. Sem o planejamento as metas permanecem à distância, continuam sendo meros desejos, coisas que queremos alcançar, sem saber ao certo o que devemos fazer aqui e agora e ao longo do tempo para que esses sonhos se tornem realidade.

Muitos desses itens são de compreensão difícil e você pode precisar de mais detalhes e instruções do que é possível transmitir em um simples artigo. Selecione os itens que você tem maior dificuldade para entender então e organize o aprendizado, procure mais artigos na net, leia livros, veja vídeos até que você seja capaz de incorporar o tema à sua vida.

Muitas pessoas, ao lerem uma lista como esta, reagem negativamente, dizendo que já ouviram tudo isso e que já sabem essas coisas, mas ainda querem saber como otimizar a concretização das metas. Se esse é você, sinto informá-lo de que não há algum segredo misterioso.

Você pode mudar sua vida da água pro vinho se simplesmente fizer um esforço pessoal – por mais difícil e penoso que seja – para conseguir se manter na linha, focado e organizado fazendo o que precisa ser feito para alcançar suas metas. Meta por meta, você constrói uma vida bem sucedida. Não precisa ter autoestima perfeita, não precisa ser a pessoa mais disciplinada e persistente do mundo, nem resolver todos os seus problemas comportamentais. Ou seja, não precisa se tornar a pessoa perfeita, é só definir bem o que você quer fazer esse ano, planejar como vai fazer, mesmo que de forma bem rudimentar e fazer um esforçozinho para se manter organizado a ponto de levar adiante o que você planejou. Se você pensa que isso é difícil, reflita sobre seu histórico com metas e me responda: será que o problema para realizar seus sonhos no passado não era uma simples falta de estrutura (planejamento) e organização em que você pudesse se basear e manter a continuidade?



Palavras-chave: como planejar, Metas de ano novo, Planejamento, Planejar o ano