Autoestima: Por que é fundamental que você se preocupe com a sua?

William Johnson

Autoestima

A autoestima é definida de forma simplista como a “saúde da mente”. Eu ainda acrescentaria que autoestima é também a saúde da alma. Não consigo imaginar algo que seja mais importante e urgente para o indivíduo do que preservar uma autoestima sadia.

A turbulência do mundo em que vivemos demanda indivíduos fortes com um claro senso de identidade, competência e valor. Vivemos num momento histórico em que é perigoso não saber quem somos ou não confiar em nós mesmos. Vivemos num ambiente em que somos constantemente bombardeados por todos os tipos de informações e estímulos. Quem não sabe quem é acaba se tornando alguma outra coisa.

A estabilidade que não conseguimos encontrar no mundo, devemos criar dentro de nós mesmos. Enfrentar a vida com uma baixa autoestima é estar em grande desvantagem, à mercê de pessoas autoconfiantes ou dominadoras, sem nunca ter certeza de qual o caminho certo a seguir.

Preocupar-se com certos aspectos de seu desenvolvimento pessoal sem antes trabalhar a sua autoestima é ineficaz. Um planejamento por exemplo, acaba nunca sendo colocado em prática por um indivíduo que está sempre duvidando de sua capacidade, que muda de ideia constantemente sobre o “caminho certo à seguir” e que coloca suas decisões nas mãos de outras pessoas.

Não é possível neste artigo delinear todos os argumentos ou transmitir-lhe uma noção clara e complexa do quanto a autoestima é fundamental para que sua vida como um todo funcione. Porém, espero com este pequeno post ter despertado em você o interesse em desenvolver a sua auto-estima. Neste blog, vou estar constantemente registrando minhas ideias e teorias. Você é muito bem vindo a deixar seus comentários e opiniões.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


7 comentários em “Autoestima: Por que é fundamental que você se preocupe com a sua?”

  1. Olá William!! Sempre tive problemas com minha baixa auto estima, e qgora percebo que este problema está se agravando pois assumi uma posição de destaque no meu trabalho. Estou muito contente com a abordagem deste assunto que p mim é tão importante, mas tão delicado. Espero que suas dicas possam me ajudar a melhorar, tanto pessoalmente como profissionalmente.
    Um grande abraço. Sucesso!!

    Responder
  2. Oi Willian!

    Não estava atenta de que minha auto-estima estava baixa, mas lendo seu post me identifiquei com alguns detalhes.
    Vivo fazendo planejamentos para minha vida, mas nunca consigo realizar nada, e acabo culpando outras pessoas por isso. Vou procurar trabalhar minha auto-estima para tentar progredir com minhas metas e sonhos.
    Um abraço!

    Responder
  3. Realmente, não adianta trabalhar mil coisas para o desenvolvimento pessoal, sem antes fazer uma revisão geral na auto-estima. Sempre fui insegura e medrosa, mas agora tenho consciência que preciso turbinar minha auto-estima. A partir de hoje pretendo colocar a auto-confiança e aouto-estima em primeiro plano.

    Responder
  4. Sim!!! a minha alto-estima também não esta lá essas coisas, estou no ultimo semestre do meu curso de graduação, e até identifico oportunidades, mas em quase todas elas não me sinto capaz de fazer parte delas.
    O engraçado e que no cotidiano de minha vida, não ha queixas, sou muito bem ralacionado, extrovertido e tudo mais, porem quandu o assunto é como alcansar meus objetivos, ai sim eu travo!!!

    Abraços!!!

    Responder
  5. Ótimo texto.Só confirma o que aprendi e acredito.Sei quem sou e o que quero, mas ainda assim tenho alguns medos. Aprendi a enfrentá-los, a ouvir críticas…hj, é tudo um exercício.Não vou dizer que de vez enquando me pego querendo desistir de algum desafio, acho normal. Lembro a primeira vez que falei em público; como gelei !!!! Hj, falo para auditórios… Mas de vez em quando sinto um frio ainda na barriga; dependendo do assunto e público. Acho isso bom, é uma forma de não me orgulhar.
    Parabéns pelos excelentes textos !!!!

    Responder
  6. em nossa criação ouvimos muitos conselhos errôneos e só com artigos sérios e claros com esses, percebemos o quanto é importante o conhecimento do “meu eu’, temos qeu sermos humildes para assumirmos que temos muito o que aprender nessa vida, senão continuaremos a dar ouvidos a tais conselhos errados e culpar o mundo pelos nossos fracassos!

    Responder
  7. Eu aprendi que, quando temos a baixa estima, nos enchemos de penduricalhos para nos segurar e a medida que vamos apendendo,nos despojamos e nos tornamos mais seguros e consequentemente mais maduros.Melhor seria sermos despojados já!

    Responder

Deixe um comentário