O grande dilema da felicidade

Franciane Ulaf

Dilema da felicidade

Dentre os diversos assuntos cercados de mitos e concepções equivocadas, a felicidade é certamente um dos maiores.

Todos a desejam, muitos fingem que a possuem, mas poucos de fato usufruem dela.

Dentre os muitos mitos que cercam a felicidade, um dos mais enganosos é aquele que a coloca no futuro, como algo a ser conquistado mais adiante. Enquanto isso… bom, enquanto isso está ok nos sentimos infelizes, está ok sacrificarmos nosso presente, está ok não fazermos o que realmente desejamos, porque no futuro tudo será diferente!

Essa postura é um grande mecanismo de defesa. A esperança tola de que o futuro será diferente é uma forma de se proteger emocionalmente do próprio vazio existencial. A grande maioria das pessoas nada faz para que o futuro seja melhor, elas apenas esperam inocentemente que, sem ação alguma de sua parte, no futuro seus problemas desaparecerão, a dor emocional não mais existirá e as dificuldades pessoais terão sido superadas. Não é surpresa que a maioria das pessoas morre sem um final feliz, elas esperam pela felicidade até o dia em que não há mais amanhã.

Vivemos nossas vidas desejando sentido, desejando nos sentir vivos. Se não nos sentimos felizes hoje, nos enganamos dizendo a nós mesmos que as coisas serão melhores no futuro, acreditando que está tudo bem ser infeliz agora, pois amanhã tudo será diferente e aí então nós seremos felizes. Esse mecanismo nos protege da ansiedade e do medo do desconhecido, ou pelo menos nos mantém sob controle emocional.

Esse site é um convite para pararmos de nos enganar e percebamos que se continuarmos a seguir o mesmo caminho, continuaremos a obter os mesmos resultados e manteremos a mesma vida que não nos satisfaz. É também um convite para aproveitar a vida hoje, ser feliz hoje, adotando um novo paradigma, uma nova filosofia de vida.

A vida é feita de momentos. O que você está fazendo com os seus?

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


8 comentários em “O grande dilema da felicidade”

  1. Concordo plenamente que vivemos na expectativa de um amanhã e esquecemos de hoje,
    pois vivemos sonhando por um dia melhor. Mas acredito que se pararmos se sonhar
    nem hoje seremos felizes. Pois é através dos sonhos que planejamos nossos objetivos.É difícil dizer que somos felizes, pois sempre estamos na esperança de algo novo que sonhamos buscar.
    Pensando dessa forma nunca conseguerimos dizer: Eu sou totalmente feliz……

    Responder
  2. Eu acredito que só encontraremos não só a felicidade, mas a paz,e tudo mais que almejamos quando conseguirmos viver plenamente o aqui e o agora, e reconhecer-mos que a vida, não é a mente, e sim algo muito maior, que só pode ser percebido quando se vivencia, o momento presente.

    Obrigado.

    Responder
  3. Sim,acredito que ESTAR feliz é uma proposta interior. Antes de tudo, é preciso consciência sobre si e confiança nos processos da vida. Basta olharmos para a natureza. Tudo tem seus altos e baixos, e também tudo passa. Carpe Diem nos incita a viver intensamente e a estar presente em cada acontecimento. Para mim, felicidade é poder usufruir da vida intensamente, estando presente ao que se vive, e conseguindo superar e aceitar os nãos que a vida também nos impõe. A única coisa que realmente temos, é o presente.

    Responder
  4. Estou tendo no momento meu primeiro contato com Carpe Diem que me
    foi apresnetado por um amigo. Por hora só posso dizer que julgo haver
    encontrato um dos poucos portos onde poderei arrear minha âncora na
    busca de esclarecimentos.

    Responder
  5. PARABÉNS PELA BRILHANTE INICIATIVA.

    ESTE É O PRIMERIO CONTATO COM CARPE DIEM.
    AO FALAR EM FELICIDADE, JÁ MERECE NOSSA CONFIANÇA PORQUE O PRIMEIRO PASSO É QUERER SER FELIZ E DESCOBRIR ESSE CAMINHO RUMO Á FELICIDADE COM CONSCIÊNCIA ATIVADA…

    Responder
  6. Fomos educados para viver na carência, na dificuldade. Não vivemos felizes porque não temos memória de felicidade. Eu trabalho pra mudar meu padrão de crenças, minha memória e assim admitir ser feliz. É um tanto difícil e demorado. Parabéns pela iniciativa deste site. Estou chegando agora e espero aproveitar e dividir com todos a minha riqueza.

    Responder
  7. Fran;
    Como podemos mudar? Ja que estamos impregnados pela nossa maneira de ser que aprendemos ao longo de nossa existencia? Eu consigo viver o presente, mas não estou no presente. Passado me ensinou a temer muitos fantasmas que ainda não conheci, o futuro nos é solicitado dia a dia, pelo trabalho, familia e pela propria midia. Então vivo num dilema, entre o medo e a vaidade (aquelo apego ao ego), que não consigo me apartar. Diante de sua simplicidade, me diga, é possivel? Parabens pelo excelente texto.

    Responder
  8. Adorei a materia sobre felicidade; na verdade ja acompanho este site ha muito tempo, e gostaria de continuar recebendo as novidades do Carpe Diem!
    Obrigada1

    Responder

Deixe um comentário