Os maiores mitos do desenvolvimento pessoal

DOWNLOAD DOS SLIDES DO VÍDEO

Você já se questionou se tudo o que ouviu sobre desenvolvimento pessoal é verdadeiro? Prepare-se para descobrir que muitas ideias que você aprendeu, leu ou ouviu não têm respaldo na realidade.

Muitas das dicas de desenvolvimento pessoal e produtividade que você ouve por aí são puro mito! Entre elas estão visualização, colocar a raiva pra fora, estabelecer recompensas para se motivar e afirmações positivas. Muitos desses mitos tem lógica e parecem funcionar, mas eles podem ter consequências desastrosas além de não trazer os resultados esperados.

1. Visualize seus sonhos e eles eventualmente se tornarão realidade:

Este mito, popularizado pelo filme e livro “O Segredo” em 2006, sugere que ao visualizar intensamente seus objetivos, o universo conspirará para realizá-los. Embora a visualização tenha aplicações úteis, como em esportes e música, a abordagem proposta por alguns desses livros ignora o processo necessário para atingir metas. Além disso, focar apenas em desejos materiais pode alimentar o egoísmo, desviando a atenção de valores como gratidão e assistencialidade.

O problema central é que esse mito promove a passividade, negligenciando a importância de estratégias e planos para alcançar metas. Além disso, a visualização excessiva pode enganar o cérebro, reduzindo a motivação ao simular a realização do objetivo. Isso pode até levar a transtornos como o transtorno de devaneios excessivos, onde a pessoa vive constantemente em fantasias.

2. Coloque a raiva para fora quando estiver com raiva:

Embora pareça lógico liberar a raiva para aliviar a tensão, estudos mostram que expressar raiva dessa maneira mantém a emoção viva. Bater em travesseiros ou gritar pode desencadear reações físicas perigosas e, a longo prazo, contribuir para problemas de saúde. Em vez disso, é mais eficaz dissipar a raiva com distração e atividades incompatíveis com o estado emocional.

Esse mito pode resultar em conflitos interpessoais e até desenvolver doenças coronárias em casos de expressão constante de raiva. A solução eficaz envolve desfocar a atenção e adotar abordagens mais construtivas, como conversar sobre os sentimentos.

3. Afirmações positivas aumentam a autoestima:

A ideia de que repetir afirmações positivas pode aumentar a autoestima é um mito antigo. A autoestima é construída com base em evidências de nossa valia e competência ao longo da vida. Repetir afirmações não surte efeito se não estiver alinhado com a realidade percebida. Em muitos casos, tentar corrigir crenças profundamente enraizadas com afirmações positivas é ineficaz.

A solução real envolve mudar as circunstâncias que desencadeiam a baixa autoestima, seja ajustando relacionamentos tóxicos ou construindo uma identidade baseada em evidências externas de valor.

4. Dê uma recompensa a si mesmo quando você conseguir fazer algo que é difícil

No âmbito da motivação, um mito frequentemente propagado é o da recompensa como catalisador para o alcance de metas desafiadoras. Este conceito está enraizado em diversas esferas da vida, sendo frequentemente discutido no contexto de emagrecimento e prática de exercícios físicos. A premissa básica é a seguinte: ao planejar e finalmente executar uma tarefa árdua, dê a si mesmo uma recompensa, como um pedaço de chocolate. A ideia subjacente é que o cérebro estabelecerá uma conexão entre a realização da tarefa desejada e a recompensa, promovendo, assim, a repetição do comportamento.

Embora essa lógica pareça fundamentada e intuitiva, ela confronta-se diretamente com a complexidade da natureza humana, que, por vezes, escapa à lógica e ao senso comum. O principal inconveniente do uso de recompensas, seja para motivar a si mesmo ou para incentivar outros, como funcionários em uma empresa, reside no fato de que a recompensa é um fator extrínseco, originando-se fora da pessoa.

A motivação extrínseca, seja na forma de recompensas ou punições, contrasta com a motivação interna ou intrínseca, que emerge do desejo genuíno de realizar uma atividade por si mesma.

Pesquisas revelam consistentemente que o uso de motivação extrínseca tem o potencial de enfraquecer a motivação intrínseca, mesmo quando esta última já está presente em certo grau. A introdução de recompensas corrompe a motivação intrínseca.

A armadilha da recompensa revela-se quando a atividade em si deixa de ser intrinsecamente motivadora, tornando-se simplesmente um meio para atingir um fim, a recompensa.

Esses mitos persistem por várias razões. Muitos são antigos, arraigados culturalmente, e a falta de regulamentação na área de desenvolvimento pessoal permite a disseminação de ideias não fundamentadas.

Ao abordar esses mitos, é crucial avaliar a validade das informações que consumimos. Investir em fontes confiáveis, como livros escritos por profissionais, e buscar evidências científicas pode nos ajudar a separar mitos de realidade. O desenvolvimento pessoal eficaz é baseado em abordagens fundamentadas em evidências, proporcionando resultados duradouros e um maior senso de bem-estar.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


Deixe um comentário