Será a baixa autoestima a grande causa dos males de nossa sociedade?

William Johnson

Autoestima e problemas na sociedade

Alguns teóricos sugerem que hipoteticamente se os seres humanos em sua totalidade tivessem uma autoestima 100% sadia, viveríamos num mundo completamente diferente. Um mundo sem violência, sem depressão, sem suicídios, sem guerras, enfim viveríamos num mundo perfeito. Será?!

Nathaniel Brandel, considerada a maior autoridade mundial no tema da autoestima, diz que sim!

Com exceção dos distúrbios mentais e biológicos, eu não consigo pensar num só problema psicológico, de ansiedade a depressão, de dificuldades escolares ou no trabalho a medo de intimidade e comprometimento, de abuso de álcool e drogas a violência doméstica e abuso infantil, de distúrbios sexuais a frigidez, do suicídio aos crimes violentos – que não seja rastreável, ao menos em parte ou em causa, ao problema de uma auto-estima deficiente. De todos os julgamentos a que passamos na vida, nenhum é mais importante e duro do que aquele que passamos conosco.

Sociólogos culpariam governos e a economia pelos males sociais, médicos e muitos psicólogos se concentrariam em problemas mentais e biológicos, aqueles que os remédios podem curar. Uma análise profunda porém, do ego e da personalidade dos envolvidos em qualquer uma das chamadas mazelas da humanidade, sejam indivíduos que cometeram suicídio ou assassinaram seus pares, viciados em drogas ou álcool ou meros batedores de carteira, uma depreciação pela própria pessoa se faz notar gritantemente.

Não seriam os governos, no entanto, os responsáveis pela pobreza, que leva inevitavelmente à violência? Não olhe para a sociedade como um todo, meu caro leitor, olhe para os indivíduos que a compõe! Ao longo da história, casos de pessoas que enfrentaram com coragem e determinação condições de pobreza que nem eu nem você conseguimos imaginar. Pessoas estas que acima de tudo confiaram em si mesmas e não se entregaram ao papel fácil de vítima chorona. Pessoas estas que seguiram sonhos impossíveis como potes de ouro no final do arco-íris e contra todas as apostas, o encontraram.

A violência está, em primeiro lugar, dentro de cada um, não na sociedade em si. Se eu como indivíduo me deixo contaminar pela auto-vitimização que permeia minha sociedade e decido também fazer parte das estatísticas negativas, esta é uma escolha minha e só minha. Se meu vizinho, que cresceu e sempre viveu na mesma sociedade pobre e sem recursos que eu, devido à sua auto-estima sadia fez outras escolhas na vida e hoje tem uma vida confortável e saudável, ele teve sorte?! Pois é meu caro leitor, esta é a versão na qual muita gente acredita! 

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


9 comentários em “Será a baixa autoestima a grande causa dos males de nossa sociedade?”

  1. Já notei as mensagens ou treinamento é mais direccionado aos Brasileiros, não tem importancia! Sou de S.Tomé e Príncipe duas ilhas situadas no Golfo da Guiné.
    Em relaçaõ à esta questão, a minha resposta é sim, portanto estou de acordo, porque o mundo é a representação daquilo que nós somos e enquanto continuarmos a pensar que nosso contributo em nada valerá para o melhoramento das coisas, as coisas não apenas ficaram como estão, muito pelo contrário tendem a priorarem, por isso temos que procurar nas coisas más algo de bom.E confesso que esta mensagem toca-me, estou neste momento a fazer o Mini-curso de Planejamento Estratégico Pessoal que tem tocado em vários aspectos da minha vida. Tenho 25 anos de idade e confesso que vivo por viver, não tenho nenhum projecto concreto na minha vida e isto faz com que eu tome vários rumos na vida sem chegar ao fim de nenhum. Através deste treinamento acho que consegui pelo menos fazer esta analise na minha vida e confesso que tenho alguma dificuldade em dar algum passo para mudança, embora tendo chegado a esta conclusão já ser a 1º.

    Responder
  2. Acredito que nós decidimos o que queremos e o que não queremos, e que tudo faz parte de nossas escolhas.
    Se escolhemos viver bem, estudar, trabalhar, ou administrar uma empresa e nutrimos pensamentos positivos, certamente vamos receber o que desejamos, e ser recompensado pelo o que fazemos, e ainda ser coroado pelo sucesso.
    Mas se escolhemos o caminho da violência, das drogas, da frustração, do medo, da mediocridade, com certeza receberemos o fruto podre da semente negativa, e não conseguiremos ser realmente aquilo que Deus planejou para nós.
    Porque Deus quer que todos sejam felizes e realizados, mas devido o livre arbitrio, o homem é quem escolhe se quer a vida e o sucesso,a felicidade e a abundancia…ou desgraça, miseria, e maldição.
    É você quem Escolhe!

    Responder
  3. Nossa, acredito muito neste artigo, realmente a pessoa que gosta de si mesma também consiguira demonstrar amor pelo próximo e diminuira significantemente tanta coisas ruim em nossa sociedade, estou tremendamente feliz de poder ter um site desse ao meu alcançe e creio ser mais uma grande ferramenta para o meu desenvolvimento pessoal.

    Responder
  4. Mas o meio influencia a formação boa ou ruim do indivíduo ou não? A educação tem importância nisso? Puxa! Que nó é esse?Pensei que a capacidade de dicernimento da pessoa viria da sua vivência com o meio.Quem foi que semeou a baixa estima na humanidade?O poder da exploração tem a ver com isso?Desejo ler mais sobre o assunto.Ok!

    Responder
  5. eu gostaria se saber a partir da onde se começa a baixa-estima em uma pessoa…parece que muitas crianças nascem com mais e outras com menos no que se refere a auto-estima…e os pais podem ajudar a modificar esse quadro, de que jeito?

    Responder

Deixe um comentário