Você devaneia demais? Conheça o transtorno de devaneios excessivos ou fantasias compulsivas

Você já teve dificuldade para se concentrar devido a devaneios e fantasias constantes? Neste artigo e vídeo, abordaremos um distúrbio sério de atenção conhecido como Transtorno de Devaneios Excessivos ou, em termos técnicos, Devaneio Desadaptativo. Essa condição leva a pessoa a viver uma vida paralela em um mundo de fantasias.

O assunto de devaneios excessivos ou transtorno de devaneios excessivos é um tema pouco conhecido, mas que tem grande relevância quando discutimos produtividade. O hábito de devanear demais, ou sonhar acordado, pode afetar significativamente a capacidade de sermos produtivos, causando impactos negativos na motivação e em diversos outros aspectos que comprometem a vida como um todo.

Esse assunto tem sido o foco da minha tese de mestrado em Harvard nos últimos anos. Comecei estudando distúrbios de atenção devido ao meu histórico de TDAH na infância. Minha atenção é dispersa, estou sempre prestando atenção em várias coisas ao mesmo tempo e tenho muitos devaneios. Assim, entrei nessa área para compreender melhor como isso funciona. Ao ler estudos científicos sobre devaneios, acabei descobrindo uma condição que vai muito além dos devaneios comuns que todos nós experimentamos. Fiquei fascinada com esse universo de pessoas que criam verdadeiras vidas paralelas em suas mentes, e percebi que isso é mais comum do que se admite na psicologia e psiquiatria. Esse tópico está relacionado à minha área principal de planejamento e produtividade, pois uma pessoa que passa muito tempo imaginando outra vida, outros cenários e outra realidade acaba reduzindo seu empenho na vida real.

Mas afinal, o que é exatamente o Transtorno de Devaneios Excessivos?

Essa é uma condição em que as pessoas se tornam viciadas em narrativas fictícias que criam em suas mentes. É como um sonhar acordado excessivo, mas diferente do simples devaneio. Todos nós temos momentos de devaneio, o que é um processo cognitivo humano natural e possui diversas funções importantes, como encontrar soluções para problemas ou considerar diferentes opções de caminhos a seguir. Algumas pessoas devaneiam mais do que outras, mas acredito que ninguém está completamente livre desse fenômeno. Algumas pessoas podem aprender a controlar melhor os pensamentos intrusivos e as escapadas mentais, mas, mesmo assim, a mente tende a divagar naturalmente.

O Transtorno de Devaneios Excessivos, por outro lado, é mais do que devanear normalmente. Em inglês, há uma distinção entre “mind-wandering” (devaneio) e “daydreaming” (sonhar acordado). No caso do transtorno, que em inglês é chamado de “maladaptive daydreaming”, a pessoa não apenas devaneia (embora possa fazer isso em alguns momentos), mas ela cria enredos fantasiosos, vidas paralelas e histórias complexas com personagens fictícios e detalhes vívidos. Alguns indivíduos relatam “conviver” com os mesmos personagens fictícios por décadas, vendo-os crescer e envelhecer junto com eles. Além disso, muitos preferem a vida imaginária à realidade, e acabam evitando o contato social para ter mais tempo para se dedicar às suas histórias mentais, ou porque o contato social real não é tão satisfatório quanto suas vidas imaginárias.

É importante ressaltar que as pessoas com esse transtorno não sofrem de esquizofrenia. Elas não veem coisas ou ouvem vozes, e estão cientes o tempo todo de que suas fantasias são apenas produtos de suas mentes. O transtorno envolve um controle deliberado para criar essas histórias e alimentá-las.

O impacto desse transtorno na vida real é significativo. Os sonhos e desejos da pessoa só se realizam na sua imaginação, o que pode levar a uma preferência pela vida imaginária em detrimento da realidade. Isso pode resultar em falta de motivação para perseguir metas e objetivos na vida real, uma vez que a pessoa se satisfaz com suas fantasias. Além disso, o transtorno afeta a produtividade no dia a dia, dificultando o foco e a concentração em tarefas importantes. A pessoa pode ter dificuldades na escola, no trabalho e nos relacionamentos sociais.

Além disso, o transtorno pode levar a ansiedade social, pois a pessoa tem dificuldades em interagir com os outros e estabelecer relacionamentos saudáveis. A comparação constante entre a vida real e a vida imaginada também pode levar a sentimentos de depressão, já que a realidade geralmente não corresponde às fantasias criadas.

Uma das razões pelas quais esse transtorno afeta tanto a vida das pessoas é o vício comportamental que está associado a ele. Muitos estudiosos consideram o devaneio excessivo um vício, similar ao vício em compras ou jogos. A pessoa sente uma necessidade compulsiva de entrar em suas imaginações fantasiosas, tornando-se difícil evitar as comparações prejudiciais entre a realidade e a vida imaginada.

Para tratar o Transtorno de Devaneios Excessivos, há abordagens que têm se mostrado eficazes. Uma delas é a terapia cognitivo-comportamental, que ajuda a pessoa a identificar traumas e ideias enraizadas que estão alimentando essas fantasias. É importante tratar a base da mentalidade da pessoa, revisando e modificando pensamentos que a levam a depender tanto dessas fantasias para regular suas emoções e sentimentos.

Outra abordagem que tem se mostrado útil é a prática de mindfulness ou atenção plena. Essa técnica ajuda a pessoa a focar sua atenção no momento presente, evitando diálogos mentais internos e escapadas para devaneios, sejam eles normais ou fantasiosos. Através do mindfulness, a pessoa aprende a observar e absorver o que está acontecendo ao seu redor sem se perder em pensamentos descontrolados.

Além disso, é essencial evitar a comparação entre a vida real e as fantasias criadas, pois essa comparação pode afetar negativamente a autoestima e a motivação para progredir na vida. Estabelecer objetivos realistas e possíveis é fundamental para a realização de sonhos e metas, sem se perder em ideais inalcançáveis criados na imaginação.

Para concluir, o Transtorno de Devaneios Excessivos é uma condição que merece atenção e compreensão. Embora devaneios sejam comuns a todos nós, esse transtorno vai além disso, levando a uma dependência excessiva de narrativas fictícias que podem impactar negativamente a vida da pessoa em diversos aspectos. Com tratamentos apropriados, é possível lidar com esse transtorno e buscar uma vida mais equilibrada e produtiva, mantendo o poder da imaginação de forma saudável, mas sem deixar que ela domine completamente a realidade.

Se você se identifica com esse transtorno ou conhece alguém que possa estar sofrendo com ele, busque ajuda profissional. Com o suporte adequado, é possível enfrentar esse desafio e encontrar formas de aproveitar a criatividade e a imaginação de maneira positiva em sua vida. Afinal, a busca por equilíbrio e bem-estar é essencial para vivermos de forma plena e satisfatória.

Ao longo dos próximos meses, pretendo postar mais vídeos e artigos aqui no site sobre esse tópico. Se você tem interesse, não deixe de se inscrever no canal do YouTube e por e-mail.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


Deixe um comentário