A resposta, por incrível que pareça, é simples! Porque você está procurando a motivação nos lugares errados! Porque você fica esperando que algo externo lhe dê a energia de que precisa para tocar sua vida.

Como falo no artigo ‘Automotivação’, a motivação que vêm de fora é artificial, efêmera e condicional. Ela não é uma motivação real, é simplesmente um estímulo (artificial), ela acabará no momento em que o estímulo for retirado ou quando você perder o interesse nele (efêmera) e ela está totalmente condicionada ao benefício esperado (condicional).

Motivação externa é a mesma coisa que faz com que um cachorro faça o que você quer – ele espera uma recompensa, mas ele não quer realmente fazer aquilo. Ele não está de fato motivado. Bom, eu não entendo muito de motivação canina, mas o que eu sei é que a grande maioria das pessoas se comporta como um cão! Elas buscam constantemente recompensas para serem buscadas, pois esta é a forma como elas conhecem de se tornarem temporariamente motivadas. Funciona no curto prazo, mas jamais lhe dará aquela sensação genuína de força interna que pessoas de grande sucesso têm.

Você não consegue sentir-se motivado no dia-a-dia porque:

1. Qualquer pequeno obstáculo é capaz de acabar com a motivação artificial proporcionada pela busca de uma recompensa externa qualquer;

2. Como essa motivação não vem de dentro, chega o momento em que sua verdadeira vontade (aquilo que você quer de fato fazer) entra em conflito com as vontades artificiais (fontes dessa motivação externa);

3. Uma motivação externa é fraca, ela não possui o poder e a energia para sustentá-lo em uma só direção. Você então desgasta-se ao perder tempo com atividades irrelevates, urgências, rotina e tudo o mais que consome o seu dia-a-dia.



Palavras-chave: Auto-motivação, Motivação no trabalho, propósito da vida, sucesso