Compartilhe!

Administração do tempo, planejamento, definição de metas, auto-organização… Essas e outras ferramentas são importantes na conquista do sucesso. No entanto, ao longo dos anos que temos trabalhado com o público, notamos que há um elemento fundamental que, se ausente, boicota todos os esforços do indivíduo que busca a realização em sua vida.

Trabalhando com clientes específicos durante certo tempo, esse “elemento” fica bastante evidente. Enquanto uns aproveitam as técnicas transmitidas para organizar e planejar suas vidas, outros parecem andar em círculos ou patinar sem sair do lugar. As coisas para esse segundo grupo parecem nunca dar certo. Eles investem tempo, energia, recursos, mas seus projetos nunca deslancham; enquanto isso, o primeiro grupo fura o céu, conquistando resultados fantásticos. Qual o segredo do primeiro grupo? O que eles têm que o os outros não têm?

Muitos esforços de pesquisa foram feitos, principalmente no último século, para identificar os elementos do sucesso. Foco, metas, planejamento, organização, motivação, entre outros foram identificados por centena de autores e pesquisadores. Porém, poucos encontraram a “pedra filosofal” do sucesso. Este elemento é certamente mencionado em quase todas as pesquisas e livros disponíveis sobre o assunto, mas dilui-se em meio a todo o resto, não sendo identificado como “O” elemento.

Depois de muita discussão e pesquisa com casos reais, nós chegamos à conclusão de que este elemento é o pilar de sustentação de todos os demais, ou seja, um ou outro elemento pode estar faltando na personalidade ou conduta da pessoa, mas sem este elemento específico a pessoa simplesmente não conseguirá ser bem sucedida em seus empreendimentos. Observamos também que sua falta, ou melhor, sua distorção, causa problemas em todas as áreas da vida do indivíduo (saúde, relacionamentos afetivos e sociais, saúde financeira, etc.).

Você tem alguma idéia de qual é este elemento tão fundamental para o sucesso? Eu tenho um exemplo bem claro! Pense em seus filmes favoritos. Você consegue identificar o “herói” facilmente, não? Esse personagem tem características definidas. Ele não precisa ser o personagem principal e aparecer com freqüência, você simplesmente sabe que ele é o herói. Faça um simples exercício: pense em seus filmes favoritos e tente trocar a posição do herói com o “melhor amigo” ou coadjuvante e com o vilão (se disponíveis na história).

Quando esse exercício foi proposto em cursos que realizamos, os resultados foram bastante interessantes. A maioria dos participantes simplesmente não conseguia fazer o exercício! Ao serem questionados do porquê, estas foram algumas das respostas que obtivemos:

“Não consigo imaginar porque o vilão ou o coadjuvante jamais agiria como o herói, eles teriam reações e atitudes diferentes, não obtendo os mesmos resultados.”

“Tanto o vilão como o coadjuvante têm personalidades fracas, eles jamais agüentariam o tranco e tomariam as decisões que o herói tomou.”

“Meu filme favorito seria um fracasso se essa troca realmente acontecesse, o que faz o filme brilhar é personalidade do herói.”

Você está começando a “ver a luz”?! Por que o papel do herói cabe somente àquele indivíduo que está naquela posição? Você consegue imaginar Tom Cruise em Missão Impossível sentando e reclamando que, como sua missão é realmente “impossível”, ele está desistindo?! Ou Russell Crowe em Gladiador dando uma de covarde e se negando a lutar na arena ou aceitando um acordo qualquer? Não, você não consegue imaginar. O herói tem atitude de vencedor, não de perdedor. Você não consegue fazer a troca de personagens, pois o vilão e o coadjuvante são fracos demais em caráter e personalidade, eles não tomariam as mesmas decisões tomadas pelo herói, alterando os resultados obtidos.

No mundo real, as coisas não são diferentes. Quem assume o papel de coadjuvante na vida não tem força e determinação para tomar as decisões que o levariam para uma posição privilegiada.

O elemento chave para o sucesso se chama POSTURA MENTAL. As linhas de raciocínio que fazem com que você tome a decisão X ou Y são as reais responsáveis pelo seu sucesso ou fracasso. Se sua postura inclui constantemente desistir frente a obstáculos, tentar sempre tomar o caminho mais fácil, evitar desafios, ceder à preguiça, reclamar das dificuldades e culpar outras pessoas ou situações por seus erros, então você não é o herói em sua própria vida – talvez você não seja nem coadjuvante, talvez você seja o vilão, construindo lentamente o futuro que você menos deseja.

Pense em pessoas realmente bem sucedidas que você conhece, públicas ou dentro do seu círculo social. Você consegue colocá-las no papel de herói em seus filmes favoritos (guardadas as devidas proporções, é claro – Oprah Winfrey como protagonista de Gladiador não faria muito sentido!)?. A minha intenção com esse exercício é mostrar-lhe que as pessoas que constantemente atingem o sucesso em seus empreendimentos são os heróis do mundo real. Eles têm força de caráter, firmeza e determinação para tomar as mesmas decisões que os heróis em nossos filmes favoritos. É essa postura de “invencível” que os torna, de fato, invencíveis na vida real.



Palavras-chave: alcançar o sucesso, atingir o sucesso, conquistar o sucesso, ser bem sucedido, vencer na vida

Compartilhe!