Como estudar em Harvard

Diego Meille

Como estudar em Harvard

Em primeiro lugar, é preciso compreender que a Universidade de Harvard é composta por diversas “escolas”, como se fala nos EUA. Nem todas as escolas são igualmente prestigiosas e seletivas. Por exemplo, o Harvard College é a escola que mantém a “faculdade” propriamente dita da forma como conhecemos no Brasil, ou seja, os cursos que o jovem entra logo depois do ensino médio. A grande maioria das outras escolas de Harvard compreende cursos de pós graduação apenas.

Também é importante compreender o funcionamento do sistema educacional de ensino superior nos EUA, que é bem diferente do Brasileiro. Se você nunca ouviu falar sobre como o sistema funciona, recomendamos ler o artigo O Sistema Educacional de Ensino Superior nos EUA. É importante compreender como esse sistema funciona, pois cursos como medicina e direito, por exemplo, não são acessíveis para alunos recém saídos do ensino médio como ocorre no Brasil. No caso desses cursos, entre outros, é preciso fazer outra faculdade primeiro, que nos EUA é chamado de “subgraduação” (undergraduate ou college), enquanto cursos como medicina e direito são entitulados “graduate courses” ou “grad school” como são chamados popularmente.

O que é equivalente à faculdade no Brasil, ou seja, o college, geralmente é composto por 4 anos em que o aluno cursa uma porção de matérias genéricas e pode escolher uma concentração específica nos últimos anos, com direito a escolher também uma “subconcentração” ou uma combinação de múltiplas concentrações e subconcentrações. É muitíssimo importante compreender esse ponto, pois ao se candidatar a uma vaga em qualquer faculdade nos EUA, o aluno não está indo para um curso específico (com exceção das engenharias e arquitetura), ele simplesmente “entra no college”. Ele não entra no college de letras, ou de psicologia, ou de biologia.

O college, contudo, não define a profissão da pessoa, com exceção de cursos de engenharia e arquitetura, como mencionei. Por exemplo, se você quer ser psicólogo não basta fazer a faculdade (bacharel) de 4 anos com concentração em psicologia – isso, na verdade, não vale nada. Para ser psicólogo é preciso continuar após esse período entrando em um programa de PhD em psicologia clínica. Somente doutores em psicologia podem clinicar nos EUA ou mesmo coordenarem departamentos de RH em empresas ou conduzirem qualquer atividade profissional que envolva contato com pessoas. O mesmo vale para medicina, direito, farmácia, veterinária, odontologia, entre outros. Nem todos precisam de PhD, mas todas essas profissões exigem uma faculdade de 4 anos primeiro, depois é possível entrar na escola do curso propriamente dita.

Com relação à Harvard, a entrada no Harvard College é a mais seletiva de todas, talvez só perdendo para a Harvard Medical School, faculdade de medicina de Harvard e a mais concorrida do mundo. A entrada no Harvard College depende de altas notas durante o ensino médio (basicamente só acima de 9*), praticamente gabaritar o SAT, ter um histórico de atividades de voluntariado, como por exemplo, ajudar em uma creche, um asilo, até mesmo igreja conta, mas a atividade precisa ser “comprovável” e também histórico de liderança (isso é muito importante para Harvard). Alunos que foram líderes em sua vida escolar têm muito mais chances de serem aceitos no Harvard College. Que tipo de liderança? Líder de classe, de grupo esportivo, clube estudantil, jornal da escola, adolescentes que abriram empresa ou que empreenderam de alguma forma, lembrando que qualquer que tenha sido a expressão de liderança, precisa ser “comprovável”, não adianta só colocar no currículo um monte de lorota! Também é necessário no processo de aplicação, pelo menos três cartas de recomendação que devem ser escritas por pessoas de destaque, geralmente professores que deram aula para o aluno, atestantando a qualidade do mesmo e o indicando para estudar no Harvard College. Como a competição é acirradíssima e praticamente todos os alunos que chegam a ser considerados possuem notas perfeitas no ensino médio, o que acaba desempatando os alunos e definindo quem entra no Harvard College é o potencial do aluno “contribuir e enriquecer” o ambiente de Harvard fora da sala de aula. Harvard busca alunos “especiais”, pessoas fora de série, com histórias de vida de cair o queixo. Isso vai desde medalhistas olímpicos, atores de Hollywood (Natalie Portman foi aceita em Harvard depois de fazer Guerra nas Estrelas), pessoas que saíram da pobreza e da miséria e conseguiram terminar o ensino médio com desempenho exemplar, empreendedores mirim (aqueles alunos que na quinta série abriram empresa), estudantes com amplo histórico de liderança (alunos que lideraram passeatas, clube escolar, etc.). Há também, é claro, os filhos dos Alumni (ex-alunos de Harvard), os filhos e netos dos doadores (gente que doa dinheiro para Havard), mas também há espaço para alunos “menos excepcionais”, mais normais. É preciso, contudo, ter algo “de especial”. Alguns alunos Brasileiros dão sorte e conseguem vaga tendo como “especial” o fato justamente de serem estrangeiros. Faz parte do enriquecimento do ambiente em Harvard a presença de alunos de vários países. Nada, entretanto, substitui notas fracas. Alunos entram em Harvard com históricos diferentes, uns mais “espetaculares” do que outros, contudo, nenhum entra sem histórico escolar perfeito.

Algo que é muito importante é compreender sobre como funciona a entrada na faculdade nos EUA. Os Brasileiros reclamam do vestibular, mas na realidade, o vestibular é uma benção! O vestibular é um procedimento democrático que nivela todos os participantes. Na prática, independente do “passado” dos participantes, tudo depende de quão preparado o vertibulando está para aquele teste específico. Passou, entrou. Os Brasileiros não se dão conta de quão bom é esse paradigma do “passou, entrou”! Nos EUA, não há teste direto. Existem testes específicos que ajudam na entrada, como o SAT e ACTs, tanto na faculdade como em cursos de pós-graduação (como medicina com o MCAT e direito com o LSAT), mas esses testes não garantem entrada na faculdade, como ocorre no Brasil. Nos EUA, os candidatos a qualquer curso em uma univerdade precisam ser “aceitos” pela institução, e diga-se de passagem, isso é muito negativo! Não há regras, cada universidade se reserva o direito de escolher e rejeitar os candidatos, sem dar satisfacão pra ninguém.

Para entender como funciona o processo seletivo em univerdades de elite nos EUA, recomendamos assistir o seriado Gossip Girl – na segunda temporada, os personagens estão passando pelo processo seletivo de algumas universidades de elite nos EUA, com ênfase para Yale, a concorrente número 1 de Harvard. O retrato do processo seletivo nesse seriado é bem realista e é possível perceber o quão subjetiva é a escolha dos alunos. Independente de qualquer fator, a universidade escolhe os alunos que quer, de acordo com seus próprios critérios e preferências. Então ser um bom aluno no Brasil e ter dinheiro para pagar o curso em si não significa nada quando o assunto é entrar em qualquer um dos colleges das chamadas Ivy Leagues (Harvard, Columbia, Universidade da Pensilvânia, Dartmouth, Yale, Cornell, Princeton e Brown).

Nós tomamos um bom tempo falando sobre o Harvard College, contudo, pois é importante compreender a diferença para com as outras instituções de Harvard.

As outras escolas de Harvard são:

– Harvard Medical School (HMS) – faculdade de medicina

– Harvard Law School (HLS) – faculdade de direito

– Harvard Business School (HBS) – MBA e doutorado em administração

Harvard Summer Schoool (HSS) – escola de verão de Harvard*

– Harvard Gratuate School of Arts and Science (GSAS) – cursos de mestrado e doutorado em áreas de humanas e ciências

– Harvard Graduate School of Design (HGSD) – faculdade de arquitetura e urbanismo

– Harvard Graduate School of Education (HGSE) – faculdade de pedagogia

– Harvard Kennedy School of Government (HKS) – faculdade de ciências políticas e sociologia

– Harvard School of Public Health (HSPH) – faculdade de ciências biológicas e saúde pública

– Faculty of Arts & Sciences (FAS) – faculdade de artes e ciências

– Harvard Divinity School (HDS) – faculdade de teologia

– Harvard School of Dental Medicine (HSDM) – faculdade de odontologia

– School of Engineering and Applied Sciences (SEAS) – faculdade de engenharia

– Harvard Extension School (HES) – cursos de subgraduação, pós-graduação e mestrado para a “população local”, mas muitos estrangeiros fazem esses cursos.

Observe que todas as escolas de Harvard, com exceção do Harvard College, School of Engineering and Applied Sciences, Harvard Extension School e Harvard Summer School, apenas oferecem cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado, que nos EUA compõem a “faculdade” em si que a pessoa deve cursar para ter uma profissão. Para entrar em qualquer uma dessas escolas é preciso ter diploma de bacharel, no mínimo. Por exemplo, para ser advogado a pessoa precisa tirar um bacharel em qualquer coisa, fazendo o curso de 4 anos que os americanos chamam de college ou o equivalente à nossa faculdade, que também chamamos de bacharelado. Não importa se o cara é bacharel em física ou em ciências políticas, basta ter o diploma. Ele então aplica para a faculdade de direito, nesse caso aqui, a Harvard Law School. O curso de direito em Harvard leva 3 anos. O tempo é menor do que no Brasil porque a pessoa já precisa ter uma formação acadêmica para depois entrar na faculdade de direito.

Contudo, a maioria dos cursos que no Brasil nós chamamos de “graduação” como medicina e direito, como já falamos, nos EUA, são todos pós-graduação. Não é possível fazer medicina ou direito entrando direto do ensino médio como fazemos no Brasil.

Existem diversos níveis de dificuldade para entrar em cada uma das escolas de Harvard. O Harvard College e as respectivas escolas de especialização (medicina, direito e odontologia, por exemplo) são extremamente difíceis e exigem, sem falar em dinheiro, uma vida escolar estelar, além de atividades extracurriculares de impressionar. A escola de administração é um pouquinho (mais só “um pouquinho”) mais acessível do que a escola de medicina e a escola de direito, as mais concorridas do mundo!

Nesse artigo, para evitar elongá-lo ainda mais, vamos nos focar nas escolas nas quais é possível para qualquer Brasileiro entrar sem muitos empecilhos: a Harvard Extension School e a Harvard Summer School.

A Harvard Extension School é o sonho de entrar em Harvard realizado! A HES (abreviação) é odiada pelos elitistas aceitos com muita dificuldade no Harvard College. O motivo é simples: o processo seletivo é democrático, ao estilo do vetibular brasileiro, e qualquer um que demonstre capacidade pode entrar. Essas pessoas se sentem ameaçadas pela democracia presente na HES, pois se Harvard é “reservada” para a elite do mundo, a “ralé”, por mais inteligente que seja, não deveria ter acesso a essa universidade! Sério, é assim mesmo que pensam os alunos do Harvard College que se móem de raiva dos alunos da Harvard Extension, pois na visão deles: “como é que pode nós aqui filhos da elite do mundo, desembolsando rios de dinheiro e esses aí, sem pedigree e pagando 1/10 do que nós estamos pagando terem acesso à mesma educação??? Não pode!!!”

Parece teoria da conspiração, mas é assim mesmo! Para a nossa felicidade, é possível obter um diploma propriamente dito de Harvard sem fazer parte de uma familia de elite, ter rios de dinheiro ou ser um gênio. Como esse artigo está muito longo, dividimos-o em 2 partes. Clique aqui para continuar lendo.

 

*Quando eu digo que o currículo de notas do ensino médio precisa ser impecável, as pessoas acham que estou exagerando! Mas não estou, não! O Harvard College é a faculdade mais concorrida do mundo, é natural que a triagem mais básica seja através do currículo escolar. Um caso infeliz que ocorreu há alguns anos em Miami mostra isso com cruel clareza. Um jovem de colegial, que tinha intenção de entrar em Harvard, tirou nota 8.5 (B) em uma prova. Ele foi argumentar com o professor que se manteve irredutível na análise e acabou sendo assassinado pelo aluno. Ao ser questionado pela polícia, o menino disse que com 8.5 jamais entraria em Harvard e por isso matou o professor!
**A escola de verão de Harvard (Harvard Summer School) é a única aberta nos meses de Junho à Agosto (o ano letivo nos EUA vai de Setembro até o final de Maio e as férias de verão começam em Junho e terminam na primeira semana de Setembro). Muitos Brasileiros aproveitam para fugir do inverno Brasileiro e aproveitar o verão Norte Americano e vão para a Summer School, na qual a entrada é totalmente livre (desde que hajam vagas). Falamos mais sobre essa escola na terceira parte desse artigo.

 

PARTE 2: Como estudar em Harvard – Parte 2

PARTE 3: Harvard Summer School – Como estudar em Harvard – Parte 3

PARTE 4: Como estudar em Harvard – Parte 4

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


95 comentários em “Como estudar em Harvard”

  1. Meu deus! quanta informação vocês trazem nesse blog sobre estudar em Harvard! Venho procurando já há bastante tempo informações nesse sentido, mas é tudo muito superficial. Muito obrigado por dedicar tempo para escrever esses textos, é de grande ajuda!

    Responder
  2. Esta é a parte do artigo com as informações que me parecem ter mais erros, embora o artigo como um todo seja muito bom.

    Apenas uma pequena parte do College é formada pelos alunos de herança, doações e etc… E estes alunos, quando não trabalham tão duro quanto os demais, nãos ão bem vistos pela maioria dos demais.

    Para entrar no College não é preciso ser gênio – é preciso fazer muito esforço muito cedo (adolescência) para mostrar o que eles querem – notas muito altas nos SATs, ações voluntárias e perfil de liderança (abra uma empresa, lidere um clube, destaque-se no esporte, etc…). E, talvez principalmente, estudar bem o processo de admissions – é mais ou menos a mesma coisa para HMS, HBS e HLS.

    A Extension School não é mal vista, em geral. A maioria dos alunos entende que é uma escola para adultos que não podem interromper sua carreira. O que há é um certo preconceito contra quem faz a Extension somente pela marca Harvard, buscando o que vêem como um caminho mais fácil (e não é fácil, porque os cursos são muito mais exigentes do que o que é geralmente exigido no Brasil, com os mesmos professores do College ou Graduate Schools).

    Se você tem 18 ou 19 anos e se matricular na Extension, pode sentir esse preconceito. Mas se você é filho de milionário e entrar no College, pode senti-lo também.

    Responder
    • Economia tem ambos, se você fizer bacharelado em ciências econômicas o nome “disso” é ‘college com major em ciências econômicas’. Ou seja, o college é igual pra todo mundo, seja o que for que você queira fazer, aí você faz uma “concentração” maior (major) e pode também fazer outra menor (minor) em qualquer outra coisa, mesmo uma área completamente diferente como Biologia, por exemplo. Mas nos EUA, isso não significa que você é um “economista” como no Brasil. Para ser economista nos EUA, é preciso ter pelo menos mestrado em economia, mas como é uma área que fortemente se baseia em pesquisas, estatística e teoria, a maioria dos que “são chamados” economistas possuem doutorado na área. Contudo, se você fizer bacharel lá e voltar para o Brasil, para todos os efeitos, você será um “economista” para os Brasileiros.

      Responder
        • A Harvard Business School é só pós, não tem college (bacharelado) lá, precisa fazer uma faculdade primeiro para poder entrar. Além disso não é “qualquer pozinha”! A HBS só oferece MBA, doutorado e treinamento executivo para presidentes e CEOs de enpresas, não oferece pós como no Brasil, nem mestrado normal. Na HBS na realidade, se você não é proprietário de uma grande empresa ou executivo de multinacional, é muito difícil você entrar pois quem preenche as vagas do MBA principalmente são as empresas que tem acordo com Harvard para enviar os funcionários de alto escalão para lá para serem educados. “Pessoas normais” não entram na HBS!

          Responder
  3. Gabriel,

    Isso você tem que ver na própria página deles, pois cada curso tem uma duração diferente e eles podem mudar isso sem aviso prévio. Mas MBA custuma durar de 2 a 4 anos dependendo da velocidade com que o próprio aluno cursa as matérias, já que como todas as faculdades nos EUA, a matrícula nas matérias é livre.

    Responder
    • O foco é em administração, mas tem “business economics” que aborda bastante economia, mas é programa de doutorado. Se você quer foco em economia mesmo tem que ser a FAS ou a Harvard Extension, que oferecem tanto bacharelado quanto mestrado e doutorado, além de alguns cursos de pós nessa área.

      Responder
        • Outras escolas de Harvard também tem administração. A HBS é a escola mais elitista de Harvard, é praticamente impossível para um “simples mortal” que não é executivo de multinacional entrar lá. Não adianta só querer, nem ser bom aluno porque a HBS preenche as vagas via acordo com empresas que enviam seus melhores funcionários de cargo executivo para serem educadas lá.

          Responder
    • Tem sim, mas aceitação na HBS depende muito da avaliação pessoal do comitê de admissão e um dos principais critérios é o currículo da pessoa. Só bacharelado em si não basta, pois o candidato deve ter currículo VIP demonstrando que tem motivo para querer estudar na HBS e cacife para seguir as matérias. Então uma pessoa que após formada, monte um currículo de sucessos profissionais, sendo com sua própria empresa, com consultoria ou trabalhando como funcionário, pode ter chance sim, mas veja que a HBS só admite ‘executivos’, então a pessoa que trabalhou um pouco após finalizar o curso superior, mas não chegou a ocupar cargos executivos, ou não teve a própria empresa, tem poucas chances de ser aceita.

      Lembre-se também que para se candidatar à HBS é preciso prestar GMAT, um teste dificílimo, ter pelo menos 3 cartas dde recomendação enviadas por profissionais ou professores prestigiados que já tenham trabalhado com você ou sido seu professor e ter histórico comprovado de liderança, tanto na profissão quanto em atividades de voluntariado.

      Responder
  4. Eu hei de fazer o meu curso de teologia em Harvard. Posso não ser um gênio,muito menos filho de pais ricos,mas tudo é possível ao que crer. O segredo é ter fé em Deus,e depois acreditar em você,no seu potencial.Tudo que vale a pena é difícil,mas não impossível.

    Responder
    • Depende do que exatamente você está perguntando! Eu falo sobre tantas coisas diferentes neste artigo que preciso de mais detalhes sobre a sua dúvida para te responder!

      Responder
      • Adorei as informações! Serão úteis demais!!! Mas sinceramente achei muitos erros de grafia, faltou uma boa revisão. Isso compromete a qualidade da leitura e inclusive a credibilidade do blog, principalmente pra leitores mais criteriosos. Trabalho com revisão de textos nas horas vagas. Posso ajudar vocês caso queiram, porque curti muito o blog!! Se tiverem interesse, podem me enviar um e-mail e a gente vai falando. Um abraço!

        Responder
  5. Adorei as informações! Serão úteis demais!!! Mas sinceramente achei muitos erros de grafia, faltou uma boa revisão. Isso compromete a qualidade da leitura e inclusive a credibilidade do blog, principalmente pra leitores mais criteriosos. Trabalho com revisão de textos nas horas vagas. Posso ajudar vocês caso queiram, porque curti muito o blog!! Se tiverem interesse, podem me enviar um e-mail e a gente vai falando. Um abraço!

    Responder
    • Oi Daniele,

      Eu agradeço a preocupação, mas sinceramente não tenho nem dinheiro nem vontade de revisar este blog. É só um passa tempo pra mim e a grande maioria dos leitores não é nem de longe “criteriosa”, vide a quantidade de erros nos comentários que eles postam! A maioria dos bloggers não permite revisão em seus posts, eu prefiro seguir a mesma tendência. Se as pessoas conseguem entender o que eu estou querendo dizer, já é suficiente, assim fica mais autêntico!

      Responder
    • Pedro,

      Isso depende da instituição, algumas não permitem minors, somente 1 major, outras permitem 1 major e 1 minor e outras 1 major e 2 minors. mais que isso é raro, nunca vi mais que 3 minors e pra fazer 2 majors, o cara tem que estudar o dia inteiro e tem instituição que não permite mais de 1 major. Então, você tem que ver isso no site da instituição em que você está interessado.

      Responder
    • O Harvard College permite 2 majors, chamado de ‘joint concentration’ e 1 minor, chamado de ‘secondary concentration’. No caso de 2 majors, você terá que fazer uma dissertação de final de curso unindo os 2, sendo assim, precisam ser campos completares. Tanto fazer 2 majors quanto 1 minor exige autorização do comitê acadêmico e esse aval depende do desempenho do aluno. Se o aluno não é excelente nas matérias que já vem fazendo, nem o duplo major, nem o minor são autorizados.

      Abraço,

      Diego

      Responder
  6. Diego boa noite!
    Meu filho pretende estudar medicina no exterior.Voce me indica,alguma empresa especializada em todo o processo,deste intercambio universitário?Em qual universidade?
    Ele agora tem 15 anos e estuda no 1º ano do 2º grau. Em que período já deverá ir para iniciar os estudos, ou seja, é melhor fazer on2º grau lá também?
    Estou perdida em informações.
    Desde já agradeço,
    Paula

    Responder
    • Olá Paula,

      Recomendo que você leia outro artigo aqui no site: “Como estudar medicina em Harvard” (http://www.guiadavida.com.br/educacao/estudar-no-exterior/como-estudar-medicina-em-harvard.htm).

      Este artigo explica muito do processo de entrada em medicina, não só em Harvard, mas nos EUA em geral, então é bom dar uma olhada para entender o processo, que é MUITO diferente do Brasil.

      Nos EUA, o aluno não entra em medicina (nem em direito, farmácia, arquiterura e muitos outros cursos) direto do 2º grau como ocorre no Brasil, sendo necessário que o aluno já tenha um diploma universitário primeiro para depois aplicar (apply) para a entrada em medicina.

      Isso é complicado para a mentalidade Brasileira que não entende a filosofia do “college” Americano, que é essa faculdade que precisa ser cursada antes da entrada em cursos avançados. Por isso é bom se informar sobre processo primeiro.

      Não conheço nenhuma empresa que preste um serviço desse tipo, até porque entrada em medicina não é como intercâmbio, é um processo extremamente complexo e elitista (nenhuma empresa sobreviveria financeramente prestando este tipo de serviço, entende?)

      Recomendo também um livro (em inglês), disponível na Amazon.com (não a .br) chamado ‘Med School Confidential’ que ensina absoltamente tudo sobre a faculdade de medicina nos EUA, desde o processo de admissão até os anos de faculdade em si, a entrada na residência e a vida nela. É um apanhado completo sobre tudo o que você precisa saber, mas do ponto de vista de um americano que entende o processo do “college” primeiro, faculdade depois.

      Seu filho com 15 anos ainda está muito longe de poder entrar em medicina nos EUA, mas seria bom que ele pudesse fazer o college por lá. Ele pode escolher uma área como biologia, por exemplo, que é comum para aplicantes de medicina.

      Mas dê uma lida nesse material que eu te indiquei (principalmente o artigo) e caso tenha mais alguma dúvida, estou aqui para te ajudar!

      Abraços,

      Diego

      Responder
  7. Eu ouvi falar que o ´´ensino médio“ dos eua tem 4 anos. Entã, se for só o de ensino médotem que mandar o dos últimos 4 anos, mesmo que um seja o nono ano?

    Responder
    • Olá Salles,

      Isso é coisa que você tem que perguntar diretamente (por email) para cada instituição que você pretende aplicar, pois como cada uma delas lida com curriculo de outros países é individual de cada instituição. Não é algo que todas as faculdades tem a mesma política. Provavelemente você terá que enviar só dos 3 anos de ensino médio, não importa como é nos EUA, eles entendem que em outros países é diferente e avaliam esse tipo de equivalência individualmente. Mas você tem que confirmar com cada departamento de seleção.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  8. Nossa… Muita informação, mas não achei nem um pouco motivador! kkkkkk o tempo inteiro fala que é dificil, impossivel, um sonho distante! kkkkk eu acredito que com dedicação podemos chegar onde quisermos…

    Responder
  9. É realmente o melhor site que eu já entrei ,estava procurando a dias um site que me informasse o que eu realmente queria saber sobre essa universidade muito obrifada

    Responder
  10. Pretendo fazer uma pós no Brasil e tentar o metrado em Havard. Porem me formei em um curso tecnólogo. Alguém sabe me dizer se isso é aceito por Havard ?

    Responder
    • Olá Lucas,

      Provavelmente não será aceito. O mestrado em Harvard exige que você tenha feito uma faculdade tradicional de alto gabarito e ainda que tenha se envolvido com pesquisa científica durante esse período, e de preferência tenha publicado artigos científicos em journals de destaque. Esse é o perfil do aluno aceito em Harvard. Se seu curso técnico teve duração de 4 anos no mínimo, talvez a Harvard Extension School seja uma opção, mas as outras escolas de Harvard estão provavelmente fora do seu alcance.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  11. No caso se eu fizesse uma graduação de 4 anos, não me envolver em nenhuma tarefa grandiosa fora do âmbito escolar mas ter um boletim impecável em todos os semestres eu teria chance de entrar em Harvard?

    Responder
    • Olá Clark,

      Em que escola de Harvard e em que curso? Cada escola de Harvard tem seus critérios. Mas em geral, não, se você só tem boas notas e nada mais, Harvard não tem motivo algum para te aceitar. Há milhares de outros alunos que também têm notas perfeitas, e algumas centenas que além das notas perfeitas, também têm um currículo de atividades montado especificamente para entrada no curso que querem. São esses que vão competir entre si. Não é assim só em Harvard. Qualquer graduate school de mínima qualidade vai exigir que o aluno tenha profundo envolvimento tanto com pesquisa científica quanto com a área em que deseja estudar. A única exceção é a Harvard Extension School que adota um sistema democrático, similar ao vestibular no Brasil. Tem um post só sobre ela aqui.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  12. Ok, então se além da graduação eu tivesse um amplo currículo de atividades relacionadas a área em que eu estou envolvida eu teria uma mínima quase impossível chance de entrar?

    Obrigada pela resposta.

    Responder
    • Olá Clark,

      Ajuda se você me informar em qual escola de Harvard você deseja entrar e em que curso. SE você tiver um currículo de atividades relacionadas à área, sua chance é tão boa quanto a dos demais alunos que têm esse mesmo perfil. Eu não diria que é “mínima”. Mínima seria sua chance de entrar só com notas e sem currículo.

      Abraços,

      Diego

      Responder
        • Olá Clark,

          A grande maioria das vagas da Business School são preenchidas por funcionários de alto escalão de grandes empresas que “os enviam para Harvard”. Geralmente é preciso já ter trabalhado em cargo alto em uma grande empresa ou ser empreendedor de muito sucesso para ser aceito na HBS. Muitos têm amplo envolvimento no terceiro setor, já tendo fundado ONGs. De todas as escolas de Harvard, a HBS é a mais injusta na seleção. Tem muito aluno que entra apadrinhado por pai ou avô ex-aluno ou porque a família conhece um doador de peso. Empresas como GE e Bank of America, que estão sediadas na Costa Leste, simplesmente mandam seus dirigentes para escolas como HBS ou Wharton sem qualquer processo seletivo. Sobra muito pouca vaga para pessoas “normais”.

          No seu caso, seria mais fácil e coerente, entrar na Harvard Extension, que tem inclusive uma graduação em management que pode ser feita parcialmente online. A Harvard Extension tem pós e tem mestrado também. O processo seletivo é democrático, mas é muito difícil (similar a dificuldade das melhores faculdades federais no Brasil). O processo é longo também, pois não é um teste como vestibular, mas matérias que precisam ser cursadas como aluno. Se você provar na prática que tem gabarito para seguir um curso em Harvard, você entra ha HES.

          Abraços,

          Diego

          Responder
          • Bom é complicado, mas acredito que com muito esforço ( muito mesmo) não chega a ser impossível…
            Obrigada pelas informações e parabéns pelo site e pelos textos, são ótimos!

            Abraços!

  13. Olá Clark,

    Não é uma questão de esforço… Com esforço se entra na Harvard Medical School ou na Harvard Graduate School of Arts and Sciences. Na Harvard Business é muito mais uma questão de contatos, não de notas boas e esforço. Sonhar com coisas que você pode realmente atingir é o primeiro passo para o sucesso, mas ficar se iludindo com algo irreal faz com que você não consiga nada, nem algo “quase tão bom quanto”.

    Abraços,

    Diego

    Responder
  14. Olá Amigos me Chamo Wendell, pretendo futuramente cursar minha graduação nos EUA!Minha dúvida é referente as férias Americanas,Pois sei que o ano letivo vai de Setembro ao Fim de Maio… Então como brasileiro posso quem sabe, A partir de Junho passar esses 03 meses(junho,Julho e Agosto) de Férias no Brasil? todos os anos será nesse ritmo? ou se eu realmente desejar em algum ano ficar por lá,é possível?Desde já agradeço muito se me responderem por mais que a dúvida seja simples me ajudaria muito alguns detalhes… Um Grande Abraço a toda a Equipe!

    Responder
    • Olá Wendell,

      Não ficou bem claro pra mim se sua dúvida refere-se ao visto de estudante, é o que eu entendi… Pelo que eu entendo do visto de estudante, no final de maio, você já deve ter se matriculado para o ano letivo seguinte e a escola emitido o documento que lhe permite dar continuidade ao seu visto. Você simplesmente fica no país durante as férias, podendo fazer estágios (de até 40hrs pagas por semana) e outros cursos de verão. Se você quiser voltar ao Brasil, também pode voltar, issonão prejudica o status do seu visto.

      Abraços,

      Diego

      Responder
      • Não foi muito bem relacionado ao visto,Mas foi quase que respondida…Mas no caso todos os anos tenho que tipo “renovar a minha matrícula”para o ano letivo seguinte?
        Da mesma forma se eu quiser passar esses 3 meses aqui no brasil como férias então não terá nenhum problema?

        Responder
        • Da mesma forma caso contrário posso permanecer esses 03 meses de “Férias” fazendo Estágios,Cursos de verão…Ou até mesmo conhecer a cidade… ou demais outros estados?

          Responder
        • Olá Wendell,

          Sim, é assim também no Brasil. Todo ano de faculdade, a pessoa precisa fazer a matrícula no novo ano. Só que nos EUA, essa matrícula é feita bem antes do começo do ano letivo, principalmente para estudantes que precisam renovar visto. Se você voltar para o Brasil nas férias não tem problema nenhum, não.

          Abraços,

          Diego

          Responder
  15. Eu tenho 18 anos ,eu posso fazer o curso de física na USP e depois fazer mestrado e doutorado em Harvard?
    Pra entrar em Harvard então a nota do meu curso em física que vai contar para minha entrada?
    Eu sei que tem que fazer teste de Ingles tbm,é que ao fazer o curso de física na USP queria saber se precisa ainda apresentar as notas do ensino médio …

    Responder
    • Olá Hanna,

      Em universidades top como Harvard, MIT e Stanford, não é só a nota geral do curso superior que conta, mas principalmente a quantidade e relevâncias das pesquisas científicas das quais você participou e publicou, principalmente se você deseja seguir na área de física que pesadíssima em termos de pesquisas científicas.

      Durante o curso superior, procure voluntariar nos laboratórios dos professores mais engajados e tente se colocar no meio de equipes que estão produzindo artigos para publicação em journals internacionais. Isso é de longe o fator mais importante. Se você não conseguir publicar nada até o final do curso, você dificilmente terá qualquer chance de entrar em Harvard.

      Teste de inglês (TOEFL) é totalmente irrelevante. Você só precisa de uma nota limite para provar que fala inglês. Há muitos outros fatores, incluindo esse das pesquisas científicas, que contam muito mais, como também a nota do teste estandarizado que nessa área de física eu não sei qual é, mas é um “segundo vestibular”, cartas de recomendação de seus professores na faculdade, intercâmbio científico em outras universidade do mundo (coisa que alguns alunos fazem nas férias ou tiram 1 ano inteiro para fazer).

      Notas do ensino médio (e tudo o mais que você fez antes de entrar na faculdade) não conta.

      Abraços,

      Diego

      Responder
    • Olá Samuel,

      Em geral não. Alunos excepcionais podem ter bolsas oferecidas a eles junto com uma vaga, mas não é o aluno quem vai atrás, é Harvard que vai buscar esses alunos especiais (medalhistas olímpicos, estrelas de Hollywood como Natalie Portman que estudou psicologia em Harvard, ou casos especiais como pessoas que têm histórias impressionantes). Harvard em si não oferece nenhum tipo de financiamento. Os alunos pegam financiamento com o governo e com bancos privados. Há instituições supra-governamentais que oferecem bolsas para estrangeiros, mas não é para uma faculdade específica, e geralmente essas instituições não dão bolsas para escolas privadas como Harvard, privilegiando alunos que não têm condições e que precisam de uma educação de ensino superior. Aí no caso, as escolas são as community colleges ou universidades estaduais. Financiamento em si só com fiador que seja Americano ou tenha Green Card e ótimo crédito no mercado (assim como seria a exigência para um fiador no Brasil).

      Abraços,

      Diego

      Responder
      • Diego, o que vc recomenda fazer então, por exemplo, no meu caso, em que não tenho condições financeiras pra pagar? E ainda por cima não conheço nenhum americano.

        Responder
        • Olá Samuel,

          Existem programas do governo Brasileiro para estudo no exterior, assim como outras instituições privadas de estímulo à educação. Eu não tenho informações sobre esses programas, mas sei que eles existem. Procure no Google, tem bastante coisa sobre isso. Contudo, não há qualquer garantia de que essas bolsas cubram o altíssimo custo de Harvard, e principalmente que, independente de qualquer bolsa ou mesmo pagando do próprio bolso, você consiga ser aceito em Harvard. São dois problemas diferentes que você terá que investigar melhor. Vale mencionar que a Harvard Extension, que é a mais fácil de entrar, não aceita bolsas de nenhum tipo, só financiamento do próprio governo Americano.

          Abraços,

          Diego

          Responder
  16. Parabéns pelo Post!! Mais eu queria saber se eu repetir de ano no ensino fundamental por problemas Psicológicos e pessoas duas vezes tem como eu entrar em harvard já que tenho o inglês muito avançado, e se eu tiver o Sat muito alto a entrevista e a história for tudo bom se tem como eu entrar

    Responder
    • Olá Jorge,

      Muito, muito difícil… seu nível de inglês é totalmente irrelevante… todos os alunos aplicando para Harvard obviamente possuem inglês fluente, isso não é nem sequer um ponto a ser considerado. A entrada de alunos estrangeiros em Harvard em si já é limitada. Os alunos estrangeiros que entram são absolutamente excepcionais, em diversos aspectos. Nota do SAT para Harvard é quase que irrelevante também, já que todos os alunos que são considerados têm pontuação perfeita. Como nos EUA não existe isso de “repetir de ano”, quando um aluno precisa refazer um ano inteiro de matérias é por uma razão muito drástica. Quando sua aplicação é avaliada, portanto, a pessoa ou equipe, não sabe o que entender disso, já que não se repete de ano aqui. A tendência é que sua aplicação seja simplesmente rejetada sem maiores preocupações. Se você quer estudar nos EUA, faça uma lista de escolas que estão ao seu alcance. Se mesmo para alunos excepcionais, Harvard acaba não dando certo, não ache que você vai conseguir por um motivo ou outro. Mesmo os alunos que acabam conseguindo entrar em Harvard aplicam para dezenas de escolas.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  17. Olá,

    faço direito em uma universidade particular por intermédio do prouni. Pelo o que entendi, e se diferente não, for eu poderia pretender fazer a “pós” na Harvard Law School que, até onde eu entendi, é uma das mais seletas ou, de maneira mais “facil”, e com amiores probabilidades a Harvard Extension , correto?
    Saberia me informar acerca quais requisitos deveria aprimorar/aperfeiçoar para que as chances de admissão sejam reais? Acredito que pesquisa científica seria uma delas, mas algo além disso como recomendação?

    Responder
    • Olá Claudney,

      A Harvard Extension não oferece direito. É importante entender o sistema educacional Americano. Eu digo que direito é “pós” para que os Brasileiros entendam que eles precisam de uma formação universitária primeiro. Mas eu só falo isso pras pessoas entenderem melhor. Direito não é “pós graduação”, é “graduação” (graduate school). É que os Americanos fazem uma “sub-graduação” antes, que é equivalente ao curso universitário no Brasil. Direito em Harvard só na Law School mesmo. O LSAT é uma peça importante na aplicação e é uma prova bem difícil, exige anos de preparação. Então já é algo que você pode começar a juntar material online, comprar livros digitais na Amazon, participar de fóruns de discussão sobre o assunto, etc. Atividade profissional trabalhando na área de direito é essencial se a pessoa não tem fortíssimo perfil acadêmico (para ser professor universitário, por exemplo). Pesquisa científica é de certa forma importante, mas não tanto em direito. Contudo, é preciso ter alguma coisa relacionada no currículo, principalmente para Harvard. Harvard também valoriza muito o trabalho voluntário. Nessa área, seriam quaisquer atividades ligadas à profissão ou assistência social que você pudesse conseguir participar sem ser formado em direito ainda. O curso de direito na Law School é equivalente a faculdade que você já está fazendo no Brasil. Contudo, a HLS também oferece pós graduação, mestrado, e doutorado da forma como conhecemos no Brasil e que podem ser opções pra você também.

      É importante mencionar que a Law School exige um nível de erudição em Inglês muito mais alto do que as outras escolas, já que a base da atividade no direito é a comunicação. O LSAT já testa muito isso, mas para sobreviver em Harvard você precisa se expressar muito bem em Inglês tanto oralmente quanto na escrita.

      Outra questão, você diz que usa o prouni em seu curso no Brasil. Você está ciente de que como estrangeiro, você não teria acesso a nenhum tipo de bolsa ou financiamento para cursar qualquer curso em Harvard, certo?

      Abraços,

      Diego

      Responder
  18. Oi, atualmente tenho 16 anos e venho pesquisando a 1 ano formas de estudo no exterior voltado a medicina, estou cursando o 1º ano do 2 grau ler o seu documentário e observei que mesmo terminado o ensino médio eu terei que cursar mais 4 anos em alguma matéria objetiva para depois poder fazer faculdade de medicina.
    Eu estou cursando em técnico em enfermagem e instrumentação cirúrgica, será que já serve como uma porta de entrada?, já procurei também como são as formas de moradia la.
    haveria alguma forma de entrar em contato para mais perguntas?

    Responder
    • Olá Sandy,

      Quando você diz “exterior” você precisa especificar qual o país onde deseja fazer medicina. Os EUA tem regras completamente diferentes do resto do mundo. Esse meu texto é só para os EUA, não para outros países como Inglaterra e União Européia. É impossível para Brasileiros estudarem medicina nos EUA, isso está claro em meu texto. O texto foi escrito para Brasileiros vivendo nos EUA com Green Card ou cidadãos naturalizados. Se você não se enquadra nesse perfil, essas dicas não são úteis para você. Eu já respondi em inúmeros comentários aqui que eu acredito que seja melhor sempre fazer o curso de medicina no Brasil mesmo. Se você não conseguir passar no vestibular, as únicas opções são outros países da America Latina como Uruguai e Argentina. Na Europa o esquema é o mesmo (vestibular) mas muito mais competitivo e caro. No Brasil, você tem a oportunidade de estudar de graça em uma Universidade pública e ainda ficar perto da sua família em uma idade em que você ainda não tem independência financeira para morar sozinha em outro país. Não conte com bolsas de estudo, elas são raras em medicina (nos EUA nem existem). É preciso considerar esse fatores antes de planejar qualquer coisa. Fazendo medicina no Brasil, aí sim você pode aplicar para uma residência médica nos EUA, o que não é um curso, mas sim um emprego. Você teria um salário, Green Card para poder morar nos EUA e após o final da residência poderia continuar morando no país e posteriormente se tornar cidadã Americana. O mesmo vale para outros países como Inglaterra, Alemanha, ou Itália.

      Abraço,

      Diego

      Responder
    • Concordo com o Diego. Isso não é pessoal, ok? Não fique ofendida, nós nem te conhecemos. Nossa opinião é baseada na curta, gramaticamente incorreta, e obtusa pergunta que você deixou aqui. Um dos principais fatores que levam uma pessoa à Harvard é a capacidade de se expressar de forma eloquente e absolutamente perfeita – e em inglês. Você escreveu apenas uma única frase e não se preocupou nem sequer em colocar um ponto de interrogação no final indicando que você está de fato fazendo uma pergunta. Isso fora todos os outros erros que “couberam” nessa curtíssima frase.

      O Diego está certo, isso não é perfil de aluno de Harvard. O extremo cuidado com a comunicação, escrever corretamente, se preocupar com a forma, com a apresentação pessoal é fundamental para o aluno que deseja entrar em escolas de alto prestígio. Outro fator que o Diego mencionou é a falta de proatividade. Alunos que tipicamente são aceitos em Harvard não precisam vir em um blog perguntar algo de forma tão genérica. Eles pesquisam e descobrem a resposta rapidamente, sem precisar perguntar pra ninguém.

      Talvez se você se atentar para esses pontos que a gente chamou sua atenção, você tenha condições de passar em algum vestibular de uma instituição boa no Brasil. Harvard? I don’t think so…

      Responder
    • Olá Jheyce,

      Eu não quero ser indelicado com você, mas só pela forma como você formulou essa pergunta eu posso te dizer que você não condições de entrar em Harvard. Alunos com perfil para entrar em Harvard se expressam claramente, sem erros, e principalmente, se dão o trabalho de pesquisar o que querem saber antes de perguntar qualquer coisa para outras pessoas. Sua curta frase tem inúmeros erros de gramática, pontuação, estilo, e forma e sua falta de proatividade demonstra que você não tem perfil para fazer pesquisa. Harvard não é uma escola democrática que aceita alunos por caridade, é a melhor universidade no mundo. Você pode ser uma ótima pessoa, não estou te criticando nesse sentido, ok? O que estou te dizendo é que Harvard é uma universidade onde entram os melhores dos melhores alunos do mundo todo. Esses alunos tem um “perfil”, e é possível ver quem tem esse perfil e quem não tem. Escrever com erros é inaceitável em Harvard, e você está escrevendo errado em português. Como seria sua expressividade em Inglês? E por que você não correu atrás de informações, pelo menos o básico, antes de fazer essa pergunta? Me desculpe, mas eu prefiro ser sincero aqui do que dar esperanças falsas.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  19. Olá bom dia ! Você sabe que a Harvard disponibiliza cursos online de forma gratuita, você pode me informar algo mais que saiba em relação a isso. Estou com um certo medo de me inscrever.

    Responder
    • Olá Letícia,

      Desconheço cursos gratuitos em Harvard (além de palestras online). Você pode me passar o link? Te dou uma opinião depois de ver do que se trata.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  20. Gostaria de saber se consigo entrar direto na Universidade de direito em Harvard tendo uma faculdade feita aqui no Brasil? E também se vale a pena fazer direito fora e trabalhar posteriormente aqui no Brasil, quais o prós e os contras disto?

    Responder
    • Olá Kim,

      Tendo uma feito uma faculdade, você “qualifica” para aplicar para a faculdade de direito em qualquer universidade dos EUA. Contudo, estar qualificada é uma coisa, entrar na Harvard Law School, uma das escolas mais exclusivas e prestigiadas do mundo, é algo completamente diferente! O processo seletivo (de qualquer curso nos EUA) envolve uma série de pré-requisitos. Ter feito uma faculdade é apenas um deles. Quanto mais prestigiada é a instituição, mais “coisas” você precisa ter preenchendo seu currículo como ter feito trabalho voluntário (intenso e por muitos anos) em ONGs, ter vasta experiência na área jurídica, cartas de recomendação de pessoas de destaque na área, ter participado de pesquisas científicas e de preferência ter publicado artigos científicos na área jurídica (journals da área). Harvard precisa ter um motivo para te aceitar, pois assim como você, milhares de outras pessoas estão tentando conseguir uma vaga. E é natural, quanto maior a competição, mais “chata” é a univerdade com os pré-requisitos e níveis de avaliação. Isso tudo sem falar no LSAT, que é o vestibular de direito. Você precisa de uma nota praticamente perfeita nesse teste para entrar em Harvard. Então quando você diz “entrar direto” eu não sei o quanto você sabe sobre esse processo seletivo e o quão complicado ele é. Fazer Law School nos EUA para trabalhar no Brasil não faz muito sentido. O direito no Brasil é Romano, o dos EUA é Common Law. Só vale a pena fazer Law School aqui se você pretende trabalhar aqui e não voltar mais para o Brasil.

      Abraços,

      Diego

      Responder
    • Olá Catarina,

      Depende. As melhores universidades nos EUA não permitem matrícula de alunos que já possuem um bacharelado em novo curso de nível de graduação (chamado de undergraduate nos EUA). É o caso de Harvard. Já tendo um diploma, o que está disponível para você é somente pós-graduação, mestrado e doutorado. Lembrando que muitos cursos como direito e medicinai nos EUA é pós graduação, não é faculdade.

      Abraços,

      Diego

      Responder
    • Olá Kamila,

      Não, arquitetura é college e Harvard não permite com que uma pessoa que já tenha um bacharel entre em outro curso do mesmo tipo, mesmo que uma área completamente diferente. Na realidade, a grande maioria das boas escolas nos EUA tem essa mesma política, não é só Harvard. Não é normal para os Americanos fazerem 2 faculdades, o que eles fazem é apenas 1 college e daí só se sobe pra cima (graduate school, mestrado, doutorado, pós-doutorado, e outros tipos de especializações).

      Abraços,

      Diego

      Responder
    • Adiciono também que tem a questão da idade. Harvard só aceita (em seus cursos de bacharelado) alunos em idade logo após o término do ensino médio. É típico das escolas de elite nos EUA não misturarem “alunos mais velhos” com “crianças”, os alunos de 17, 18 anos entrando no college. Coisa de Americano…

      Responder
    • Olá Ekene,

      Não, Harvard não oferece engenharia do petróleo. Esse campo é mais popular no centro sul dos EUA onde estão as empresas petrolíferas.

      Abraços,

      Diego

      Responder
    • Olá Milena,

      Não, as escolas de Harvard não possuem qualquer ligação umas com as outras. Para entrar na Harvard Law School você só precisa ter um diploma de curso superior, qualquer curso, de qualquer faculdade, em qualquer país. O custo anual da Law School é $63,800 dólares (só o curso, sem custos de vida). Informações sobre empréstimos para cursar a law school podem ser obtidos aqui. Bolsas, contudo, são muito raras para law school, principalmente para alunos estrangeiros.

      Abraços,

      Diego

      Responder
    • Olá Ekene,

      Eu não conheço nenhuma em particular, mas tenho certeza de que uma busca no Google pode retornar algumas instituições em estados como Texas, Alabama, New Mexico, e Arizona que tenham esse curso.

      Abraços,

      Diego

      Responder

Deixe um comentário