Condicionando-se para ter sucesso

Steve Pavlina

Como programar seu próprio comportamento para alcançar o sucesso

Às vezes, você pode se deparar com situações em que você sabe o que deveria estar fazendo, mas tem dificuldades em fazê-lo. Ou talvez você até consiga começar alguma coisa, mas não consegue manter o pique para ir até o fim. Se um problema desse tipo persistir por muito tempo, pode ser que você perceba um efeito negativo em seu nível geral de autoconfiança. Você pode começar a achar que tem um problema motivacional, como se não quisesse realmente ter sucesso de verdade.

Uma solução para esse problema é o condicionamento, que tem duas formas primárias: condicionamento de pensamento e condicionamento de comportamento. O condicionamento de pensamento consiste em controlar o que você pensa. Esse é um modelo cognitivo do sucesso, que se baseia na ideia de que se você pensa nas coisas certas, você tomará as atitudes certas e, assim, terá os resultados que quer. Exemplos de condicionamento de pensamento incluem ler ou dizer afirmações positivas, visualizar resultados positivos, vocabulário transformacional (escolher palavras positivas para descrever sua situação ao invés de palavras negativas, como “Estou tendo um dia fantástico”) e alguns tipos de meditação. E em muitas situações, o condicionamento de pensamento é bastante eficaz, principalmente quando pensamentos problemáticos são a raiz do problema, como uma atitude negativa que o faz ser antipático com as pessoas, por exemplo.

O condicionamento comportamental vem de um modelo comportamental de sucesso. Esse modelo supõe que se você tomar as atitudes certas, você vai atingir os resultados que quer, não importa quais sejam os seus pensamentos. O condicionamento comportamental se foca em formar novos hábitos de ação, dando pouca importância para o que você pensa. Muitos estudiosos de comportamento acreditam que se você tomar as atitudes certas, você acabará tendo os pensamentos certos de qualquer maneira. Exemplos de condicionamento comportamental incluem programar seu despertador para acordá-lo todos os dias de manhã ou dar a si mesmo uma recompensa tangível por ter feito horas extras.

Eu já usei ambos os tipos de condicionamento com muito sucesso. Dez anos atrás, eu normalmente usava o condicionamento de pensamento. Hoje, contudo, eu acho o condicionamento comportamental mais eficaz para mim e bem mais rápido. Um dos problemas do condicionamento de pensamento é que se você não toma as atitudes certas rapidamente, então seu comportamento pode “descondicionar” exatamente os pensamentos que você está tentando adotar. Por exemplo, se você está tentando parar de fumar e se foca em pensar que você não é um fumante e faz algumas afirmações diárias sobre isso, mas continua acendendo alguns cigarros ao mesmo tempo, você está enviando sinais antagônicos ao seu cérebro e provavelmente vai ter uma recaída. Seu comportamento contínuo também é uma afirmação. Mas se você conseguir parar de acender os cigarros, mesmo que pense que ainda é um fumante, esse comportamento vai induzir pensamentos de que você não é um fumante. O condicionamento comportamental funciona melhor uma vez que simplesmente mudar o seu comportamento (independentemente de seus pensamentos) é o suficiente para garantir um resultado. Por exemplo, se você parar de fazer compras por impulso, você vai começar a economizar dinheiro, independentemente do que você pensa a respeito disso.

Eu concordo com os estudiosos que dizem que a motivação se segue à ação. Quando você se obriga a tomar uma atitude, mesmo que você não esteja inicialmente motivado a fazê-lo, você vai perceber que sua motivação aumenta automaticamente. Ter um dia produtivo pode ser altamente motivador.

A ideia básica pro trás do condicionamento comportamental é controle e substituição. Descubra quais atitudes você precisa tomar para obter os resultados que você quer (em outras palavras, como você precisa se comportar). Então, condicione-se para tomar essas atitudes.

Você sempre está se comportando de determinada forma – então certifique-se de que seus comportamentos darão a você os resultados que você quer. Se você descobrir que não está se comportando de uma maneira congruente com seus objetivos, então assuma o controle da situação e substitua o comportamento incorreto pelo correto. Para muitos objetivos, simplesmente dedicar algum tempo a eles é suficiente – só investir tempo completa 80% do trabalho.

Por exemplo, hoje, eu podia ter dormido até às 8h (tá, isso já é cedo para algumas pessoas), tomado um café relaxado e assistido ao World Poker Tour*. E isso teria me dado um resultado… praticamente nulo. Eu não estaria mais perto de meus objetivos. Não teria sido sequer tão excitante ou divertido… Apenas preguiçoso.

Mas hoje eu acordei às 5h, fui direto para o computador, passei quatro horas escrevendo uma nova palestra do zero enquanto o resto da minha família dormia, tomei um café da manhã rápido enquanto discutia alguns planos para o dia com minha esposa, passei mais duas horas trabalhando em um software que estou desenvolvendo e escrevi este artigo. Então, em uma manhã qualquer, eu completei seis horas sólidas de trabalho produtivo que me levam para mais perto de meu objetivo. E não foi difícil. Eu simplesmente substituí uma manhã preguiçosa por esse tipo de manhã. Consequentemente, me sinto energizado, ao invés de cansado ou desmotivado.

O problema é que muitas pessoas não sabem que têm comportamentos que garantirão resultados medíocres. Repare em seu comportamento nesse último mês. Seus resultados foram congruentes com suas ações? Se você passar o próximo mês agindo de maneira diferente, isso vai mudar os seus resultados? Onde você vê incongruências entre os resultados que você quer e seus comportamentos atuais? Que mudanças você gostaria de fazer?

N. do T.:
*Torneio Internacional de Pôquer transmitido pela televisão.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


11 comentários em “Condicionando-se para ter sucesso”

  1. Desejar é estabelecer uma relação com o mundo real, entretanto é importante definir que a solução esta de dentro para fora, é como a Fé, muito dizem eu confei tanto e todos esses anos e não tive algo que pudesse acreditar; Houve um grande equivoco fé sem obra é apenas desejo. Fundamental é instrumentalizar nossa percepção e rever nosso interior e fazer dele algo concreto se eu quero, eu posso e eu faço, acompanhado do contínuo exercício de saber o que eu quero e como vou fazer, é como estar se descobrindo diante de um novo mundo.

    Responder
  2. Ok, este texto na teoria é muito lindo e inspirador. Porém o seu autor esqueceu de nos contar como devemos proceder para “trocar” um comportamento errado por um correto (como ele fez no caso da “manhã preguiçosa para a manhã produtiva). Como, de fato podemos condicionar os nossos comportamentos, essa é a pergunta que fica. Eu realmente adoraria acordar todas as manhãs as 5 horas e me sentir energizado parar trabalhar, acontece que isso, na prática é impossível, no meu caso. Eu consigo, sim, acordar as 5 horas se desejar, porém ficarem cansado o resto do dia. Então repito a pergunta: Como, de fato podemos condicionar os nossos comportamentos, para alcançar objetivos específicos?

    PS: De qualquer forma, é muito inspirador ler esse tipo de texto e saber que há, sim, soluções para todos os nossos problemas, e esta solução se encontra em nós mesmos.

    Responder
    • Para você desenvolver sua motivação, penso que primeiro deve pensar e definir como meta para sua vida o que deseja para você. Imagine como se sentiria, como seria sua vida com o alcance do seu objetivo, o que mudaria no seu dia-a-dia, de sua família, etc, pense no seu contra-cheque. Tenha confiança, acredite em você mesmo antes de qualquer coisa.

      Responder
    • Em vez de perguntar ao autor “Como, de fato podemos condicionar os nossos comportamentos, para alcançar objetivos específicos?” é melhor PERGUNTAR A SI MESMO “como eu posso condicionar meus comportamentos….”.

      Cada um encontra seu caminho, suas escolhas e seus motivos.

      Responder
    • 1º saiba o que você quer mudar
      2º descubra qual o comportamento oposto: ex: impaciência x paciência
      3º estude, pesquise, aprenda sobre esse comportamento que você quer desenvolver em várias fontes e depois de um tempo já vai surgir uma listinha de faça e não faça
      4º pratique o que estiver na lista de faça o máximo de vezes possível
      5º evite o que estiver na lista de não faça sempre que puder.
      depois de bastante prática vai virar automático e ai você muda para outro comportamento.
      🙂

      Responder
  3. Muito bom!
    Deve-se considerar também que a auto-sabotagem envolve normalmente bloqueios emocionais, originados em crenças negativas e eventos traumáticos; muita vezes para conseguir permissão interna para agir de forma diferente é fundamental desbloquear energias… entretanto, sempre é possivel conseguir-se atuar diferentemente, por vontade própria ou acidentalmente, quebrando-se então um “tabu” formando-se uma “nova gestalt”e agregando-se sentimentos de auto-confiança e competência!!!

    Responder
  4. A questão da motivação é ótima. As pessoas geralmente querem ter motivação para então agirem.
    Minha prática clínica mostra que a motivação é um efeito de recompensa do comportamento que, quando ocorre várias vezes, já vem por antecipação.
    Da mesma forma que a expectativa que geramos quando vamos para uma festa legal ou para comer uma comida que sabemos que gostamos. A motivação ocorre depois dos resultados num primeiro momento antes deles quando já temos memórias suficientes para que ela possa surgir.
    Quem quiser conhecer meu trabalho, visite o blog: http://www.akimneto.wordpress.com

    Responder
  5. Interessantíssimo!
    Na minha opinião não adianta ficar tentando controlar os pensamentos sem tomar atitudes. Mudar padrões é difícil sim.. mas necessário se quisermos ver resultados.

    Responder

Deixe um comentário