Qual a qualidade mais importante para o sucesso?

Franciane Ulaf

Qual a qualidade mais importante para o sucesso

Se eu precisasse selecionar apenas uma única característica presente em todas as pessoas altamente bem sucedidas – de atletas e artistas a empresários, executivos, e personalidades que foram pivô na história, teria que escolher a persistência. Há muitas características importantes na construção de uma vida de êxitos, com certeza. Falamos sobre muitas delas por aqui. Não consigo pensar, porém, em uma pessoa de sucesso que não seja persistente. Sucesso não é uma questão de sorte, algo pontual que de repente acontece na vida das pessoas, é o resultado de anos de dedicação contínua, focada, e disciplinada. Sem persistência, resultados sólidos e realmente prósperos não são atingidos, e quando são fruto de “oportunidades” ou lances de sorte, não se sustentam.

Angela Duckworth
Angela Duckworth
A psicóloga Angela Duckworth, professora da Universidade da Pensilvânia nos EUA, chegou à mesma conclusão. Em seu recém lançado livro, já best-seller do New York Times, Grit: The Power of Passion and Perseverance (ainda não publicado em Português), ela argumenta que o segredo para atingir resultados consistentes não é talento, ou mesmo inteligência, mas um mix de paixão e perseverança que ela chama de garra. A pessoa sem essa garra desiste rápido, se melindra frente a obstáculos, foge dos desafios, procurando sempre o caminho mais fácil. Ficou difícil, apareceu um desafio, ela parte pra outra, ou congela e fica na inércia. A autora define garra como uma vontade fortíssima de continuar perseguindo metas, especialmente de longo prazo, mesmo frente a derrotas, dificuldades, e obstáculos.

Angela se baseou primeiramente em sua própria história. Filha de um pai cientista que vivia lhe dizendo que ela não tinha nenhuma genialidade ou talento, e que por isso corria o risco de ser uma perdedora na vida, a autora hoje é pesquisadora e professora de uma das melhores universidades do mundo e tem um histórico de sucessos em outras áreas, como consultoria e neurociência. Isso a levou a começar a suspeitar que talvez talento não fosse assim tão importante.

Em uma das pesquisas apresentadas no livro, Angela seguiu cadetes da academia militar Americana, a West Point, considerada uma das escolas mais difíceis e desafiadoras do mundo. Não há espaço para talento nesse ambiente, tampouco politicagem, puxasaquimo, ou nepotismo, somente trabalho duro, foco, perseverança, e disciplina. A rotina dos alunos envolve intenso treinamento físico e mental, além de um rigoroso currículo acadêmico. Já no processo seletivo, a escola escolhe cuidadosamente os estudantes mais preparados, tanto intelectual, quanto fisicamente. A maioria dos alunos, contudo, desiste já nos primeiros anos. A autora queria saber o que separava esses alunos que conseguiam enfrentar os desafios da escola dos que desistiam. Seriam eles mais inteligentes? Mais fortes e resistentes fisicamente? Seriam os queridinhos dos professores que conseguiam prosperar? Angela concluiu que não, os alunos que terminavam o curso não tinham nada de especial em termos de notas, habilidades físicas, talentos, ou mesmo personalidades cativantes que talvez pudessem conquistar a simpatia de professores. Os estudantes bem sucedidos simplesmente persistiam, eles não desistiam nunca, mesmo quando estavam esgotados, machucados, ou quando tinham óbvias desvantagens em relação aos colegas.

A pesquisa de Duckworth identificou quatro componentes da garra: interesse, prática, propósito, e esperança. Esses elementos geralmente se desenvolvem nessa ordem ao longo do tempo.

Interesse é a semente da paixão. Você não tem como ser persistente em algo em que simplesmente não está interessado. Você não tem vontade alguma de se dedicar arduamente a algo que não lhe desperta paixão. A primeira dica então para desenvolver a persistência é encontrar coisas em que você tenha real interesse.

A prática é o exercício da vontade. A prática envolve uma vontade e esforço de estar constantemente se aprimorando, buscando a excelência. Se você tem paixão por uma atividade, é natural que sinta desejo de estar envolvido com ela frequentemente. Isso, contudo, é algo que exige disciplina, uma parceira importantíssima, mas não inseparável da persistência! Você pode ser persistente e não ter disciplina. Nesse caso, você tende a encontrar problemas ao ter picos de alta produtividade alternados com total abandono ao que estava fazendo. Angela diz que isso é normal, por isso é que identificou esses quatro componentes como fluídos e em constante desenvolvimento. É comum pessoas muito jovens terem muita garra, mas não conseguirem manter a continuidade em seus empreendimentos. A prática é algo que é construído aos poucos.

Com paixão e disciplina, aparece o propósito. Muita gente acredita que propósito é algo que você deve ter antes de começar, mas nem sempre é assim. Você quer fazer algo porque gosta, porque sente uma paixão enorme, mas não entende muito bem como tudo aquilo cabe em sua vida e como você impactará o mundo com suas vitórias. Propósito é algo que surge com o tempo, ou melhor, você vai percebendo-o a medida que progride.

A esperança é o combustível da paixão. O último elemento, a esperança, caracteriza todos as etapas da persistência, envolvendo a habilidade de continuar seguindo em frente, mesmo quando tudo ao redor indica que você deva desistir.

Angela também diz que um mentor, seja um amigo, um colega de trabalho, ou um coach profissional, pode fazer maravilhas para a sua produtividade e consistência. Nós naturalmente sentimos uma obrigação maior quando nos comprometemos com outras pessoas e acabamos persistindo para não passar vergonha! Com o tempo, essa perseverança se torna natural. Um mentor também pode ajudá-lo a enfrentar melhor os desafios, estimulá-lo a crescer, a dar mais de si mesmo, e até mesmo ajudá-lo a identificar e corrigir erros que estão em seus pontos cegos.

Persistência é algo que se desenvolve aos poucos, à medida que você vai insistindo em fazer o que gosta. Assim como a mal compreendida motivação, não espere se sentir persistente ou motivado antes de começar. Simplesmente comece, dê os primeiros passos, sinta o frio na barriga, mas ao invés de recuar frente as dificuldades e derrotas, teimosamente siga em frente. De pouquinho em pouquinho você se tornará um guerreiro!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


9 comentários em “Qual a qualidade mais importante para o sucesso?”

  1. Sempre estou por aqui, lendo e aprendendo muito sobre desenvolvimento pessoal…
    Posso dizer que ganho qualidade de vida a cada reflexão feita, via esses textos tão bem elaborados e didaticamente formatados.
    Este, em especial, vai ter um lugar seleto em minha mente e coração.
    Parabéns a toda equipe que faz este site ser um de meus melhores momentos do dia, para uma produtividade sem limites…

    Responder
  2. Concordo com o David Pereira plenamente… Em meio a tanta baboseira jogada na internet diariamente em que temos de refinar o que realmente é útil lermos, Artigo de qualidade intelectual como este, na maioria, é a leitura melhor leitura que tenho na semana.

    Gratidão!

    Responder
  3. Muuuito bom esse conteúdo. Sem dúvida alguma não venho sendo persistente e consequentemente perco muitas possíveis conquistas.

    Após ler este conteúdo sei que devo fazer e como fazer.

    Muito obrigado

    Responder
  4. Gostei muito do texto é como os demais tem me ajudado ao longo desses anos que acompanho o site na busca da excelência pessoal. Parabéns pelos conteúdos cada vez melhores. Gostaria de sugerir um tema : excelência pessoal x TDAH “Uma luta mais radical “

    Responder
  5. Otimo artigo! Já vinha pensando isso a muito tempo atras. Até que comecei a acreditar que um dos motivos para o sucesso era persistencia. Agora está confirmado!

    Responder

Deixe um comentário