O dilema entre a medicação e o autoenfrentamento para curar a ansiedade

Harriet Lerner

Medicação para ansiedade

Existe muita polêmica tanto entre pacientes, quanto entre médicos, terapeutas e cientistas sobre qual a melhor forma de tratar a ansiedade.

Há um consenso de que os remédios fazem o paciente se sentir melhor, o que pode passar a impressão de que o problema foi solucionado, mas será que foi mesmo?

Como já foi discutido neste site por outros autores, os distúrbios emocionais nascem nas idéias, na cabeça do paciente. Sim, em alguns casos temos alterações bioquímicas, algumas causadas por outros medicamentos, outras por alterações hormonais, problemas de tireóide ou até mesmo condições genéticas. Esse site, no entanto, trata de ansiedade, não de outros distúrbios como depressão, bipolar, pânico, entre outros e não dá pra colocar tudo dentro do mesmo saco! Outros distúrbios podem sim ser causados biologicamente e precisam de medicação, a ansiedade em si não. Por quê? Primeiro precisamos definir ansiedade! Ansiedade é uma dificuldade de lidar com as próprias expectativas pessoais e expectativas são matéria de ponto de vista e opinião pessoal, não de variações bioquímicas! A ansiedade é uma questão puramente da cabeça da pessoa.

O caso que discutimos aqui é a ansiedade normal, em níveis administráveis, que a maioria de nós sente por pura dificuldade em lidar com o tempo ou as emoções. É essa ansiedade normal que faz com que percamos tempo demais nos preocupando com coisas que ainda estão para acontecer ou não consigamos nos concentrar nas tarefas do dia-a-dia porque a mente está apreensiva ou excitada demais com o que está por vir.

Um grande problema da psicologia e da psiquiatria moderna é que esses casos leves estão começando a ser medicados e aí sim, temos um grande erro! Mais uma vez não estamos falando em depressão, pessoas que estão à beira do suicídio ou qualquer tipo de caso clínico ou grave.

É um problema sério quando o indivíduo que não sofre de maiores problemas entra no consultório psiquiátrico e reclama de um pouquinho de desânimo e desmotivação e sai com uma prescrição de Prozac!

Essa mentalidade que está tomando conta dos consultórios é extremamente nociva para o paciente que coloca confiança e credibilidade em cima da figura do médico ou psicólogo e passa a acreditar que “tem um problema” pois foi “diagnosticado” por um profissional competente com tal e tal distúrbio quando na realidade a pessoa não tem é nada!

Essa postura leva o paciente a acreditar que só o remédio vai curá-lo e que ele então é impotente e nada pode fazer. O que esse paciente não compreende é que os medicamentos para ansiedade, destinados apenas para casos graves, não têm o objetivo de “curar” já que a ciência ainda não encontrou cura para as mais variadas condições psicológicas – não existe cura para depressão, bipolar ou mesmo ansiedade, pelo menos não através de medicação! O que os remédios fazem é mascarar os sintomas para que a pessoa possa viver sua vida normalmente. Em casos graves, essa é a única solução. O paciente menos sofisticado, no entanto, não sabe disso e coloca todas as suas esperanças em cima do remédio, achando que vai curar-se.

Todo medicamento nessa categoria, contudo, perde muito do seu efeito com o passar do tempo e o paciente fica sem saída. Ele foi “treinado” para acreditar que o remédio iria curá-lo, mas além de não fazer efeito nenhum nesse sentido, passa agora a nem sequer mascarar os sintomas como antes. Alguns pacientes começam a subir na escala de medicação, passando para produtos cada vez mais fortes, pois dois fatores agora contam negativamente: esse tipo de medicação gera dependência e a pessoa que experimentou a ausência de sintomas no início confunde essa sensação com “cura” e continua buscando algo que a faça se sentir como no início do tratamento.

O fato é que a maioria dos distúrbios leves (não bioquímicos e não clínicos) pode ser tratada com terapia ou mesmo pelo próprio paciente refletindo sobre os motivos que geram o desequilíbrio emocional. Como a própria ansiedade nasce “nas idéias”, ao invés de mascarar os sintomas se medicando, a pessoa deve procurar enfrentar a si mesma e resolver os problemas internos que geram as sensações negativas.

Eu parto do princípio (e mais uma vez reitero que só para os casos leves!) de que se os medicamentos não têm o objetivo de curar, mas apenas de mascarar, por que é que a pessoa vai preferir tapar o sol com a peneira ao invés de resolver o problema? Aí é que entra o maior de todos os problemas do ser humano: a covardia para olhar para dentro de si mesmo e se auto-enfrentar. Infelizmente essa postura covarde é reforçada pela própria comunidade científica que parte do princípio de que a mente é gerada biologicamente e que, assim sendo, todos os distúrbios emocionais são uma questão biológica, logo, tratáveis somente com medicação.

Se você luta com um pouquinho de ansiedade, desânimo, desmotivação, nada que justificaria correr para um psiquiatra e pegar uma prescrição para um medicamento de tarja preta, procure ser mais pró-ativo ao lidar com sua própria realidade íntima. Se você sente desânimo, existe um motivo, qual é? Se você vive apreensivo com relação a coisas que estão por vir, isso é algo que você mesmo cria devido à sua incapacidade de lidar com tempo. Por quê? Essas questões têm resposta e as respostas só mesmo você pode saber! Como pode um remédio consertar um problema de opinião sua? Não pode, evidentemente! A ansiedade acima de tudo é um “problema de opinião”, ou seja, você quer que as coisas aconteçam de determinada forma e fica preocupado com a possibilidade de que elas aconteçam de outra! Remédio nenhum conserta a sua opinião ou o seu ponto de vista, conserta?

Agora, essa “opinião” ou esse “ponto de vista” existem por um motivo e você pode não estar intimamente disposto a encará-lo! É aí que entra a covardia de não ter coragem de resolver um problema da forma correta e então correr para um fonte de auto-engano. É como ficar tomando remédio para dor quando se tem um dente careado. Não tem jeito, o remédio faz a dor desaparecer, mas nunca, jamais vai consertar o dente careado, mesmo que durante seu efeito, você tenha a sensação de que seu dente “foi curado”!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


33 comentários em “O dilema entre a medicação e o autoenfrentamento para curar a ansiedade”

  1. Chega a um ponto que a ansiedade atrapalha a vida a níveis onde a pessoa não consegue mais desenvolver as atividades que lhe competem e isto gera um ciclo vicioso, baixa ainda mais a auto-estima, o senso de incapacidade (por melhor que tenha sido o seu passado, tem pessoas que por se subestimarem tem mais tendência a estes pensamentos)… neste caso mesmo que o motivo inicial tenha sido a ansiedade, que aumentou com a falta de seu controle (a nível emocional e mesmo por meio de atividade física) acho sim que o tratamento por meio de medicação deve ser utilizado, para quebrar este círculo “desvirtuoso” e poder depois ir enfrentando novamente os seus problemas e se cuidando para não voltar a eles novamente, daí só a terapia e a auto-análise pode voltar a ajudar…
    Esta foi a minha experiência pessoal. No meu caso foi bem desenvolvido o tratamento onde o médico acompanhou a adaptação ao medicamento, deu um planejamento e agora acompanha a retirada do medicamento.
    Daniela

    Responder
  2. Gostei muito da materia. Sofro de um mal que não sei bem explicar, mas vou tentar. Desde pequena, após a morte da minha avó, desenvolvi um medo de muitas coisas, entre eles o medo de perder as pessoas que amo , de doenças de ver pessoas doentes e sofrendo, tudo que é negativo, sofro e sinto muito mal . Tem dias que recebo noticias ruins eu fico tão mal que não consigo realizar tarefas diarias “normais” do dia- dia. Fico paralizada , com medo do que vem pela frente, do que vou ter que enfrentar. Semana passada eu passei uma crise tão forte de pânico que tive que tomar Rivotril de 0,5mg, que foi o que está me ajudou e está ajudando . Li seu artigo, vi que essa não é a saída, tomar remédios como paleativos . Me ajude por favor , é muito ruim sentir esse mal , tem horas que acho que vou morrer de tanto desespero que sinto. Obrigada e parabéns pelo excelente artigo , me ajudou . Abraço . Lúcia

    Responder
    • Cara amiga, o único q pode te ajudar é Deus, quem cre Nele “não teme mal algum” e ganha forças para viver, Eu tive todos estes seus sintomas e muito mais, me apeguei a Deus e em oraçoes. agora estou recuperada. Graças a deus, procure-o enquanto pode ser achado e em seu coraçao. tenho certeza q o encontrará.acredite com fé e esperança, no amor do Pai por nós vc aprenderá a superar seus problemas e encontrará paz.Jesus te ama. bjs

      Responder
      • Simone, acredito e confio em Deus, sei que Ele ´nos ajuda sim. É Nele que busco forças todas as vezes que esse mal me acomente. Só que passei por problemas diversos que estão me cansando, estou saturada. Não sou a favor de remédios que viciam e que mascaram os problemas. Acredito que Deus tb nos ajuda através da medicina. Recorri ao ansiolitico e ele me ajudou a pensar com mis lucidez e a resolver muitas questões que a muito tempo não conseguia. Minha mente está mais tranquila , e isso me faz ter forças pra enfrentar os desafios . Sei que foi Deus que me ajudou e sempre me ajudará. Espero não precisar mais dessa solução, mais que foi de grande alivio isso foi . Hoje , nesse exato momento me sinto muito bem e o último remédio que tomei foi ontem de manhã. Como disse antes … estou conseguindo resolver minhas pendencias. Obrigada pelas palavras de animo. Deus te abençoe.

        Responder
      • s as fomas não viver dependo de remedio colocar em minha cabeça que não posso viver depente de remedio tenho uma familia linda deus vai me ajudar a superar mas e muito dificil ja tentei sessão de psicologo remedio passo tempo bem volto a sentir tudo sei que e tudo de minha cabeça mas como terar que não existe e dificil .obrigado vou le sempre esta materia.

        Responder
  3. Em alguns momentos sofro de ansiedade e já pensei em medicamentos, mas percebo que esta situação está mais associada a meu modo de pensar e as expectativas que coloco na vida e quando consigo controlar melhor os pensamentos percebo que o sintoma da ansiedade vai embora e retorno a rotina normal.
    Parabéns pelo excelente artigo e todo esclarecimento que ele trás.

    Responder
  4. Excelente artigo! Fica o alerta para buscarmos ajuda o mais rapidamente possível. Sou acometida de crises de ansiedade e depressão desde os 10 anos quando perdi minha mãe.
    Hoje aos 50 anos, sou dependente de medicamentos para conter a depressão, para dormir e para manter meu nível de fluoxetina. Sinto-me incapaz de me libertar destes medicamentos. Some-se a isto o alto custo dos serviços de psiquiatria e psicologia.
    Somente a fé e o amor do Senhor Jesus tem me ajudado a suportar e superar um dia de cada vez!
    Cuidem-se o quanto antes…. Saúde, Paz e Sucesso a todos!

    Responder
  5. Ótimo o texto e também os comentarios pois fazem com a gente pense e busque descobrir onde nos encaixamos,Acho que o profissional e os medicamentos para ansiedade agem e ajudam justamente até a descoberta de que podemos resolver isso sem o medicamento, pois se apresentamos um problema, é pq não sabemos como lidar com ele, aí a juda é bem vinda e necessaria no meu caso após um grande trauma afetivo/emocional e após a morte de dois irmãos no mesmo ano, não conseguir me aquilibrar sem medicamentos para ansiedade e depressão, mas sempre lutei para não tornar-me dependente e com muitas ocupações atividades que gosto de desenvolver,além do meu emprego estou quase sem meu amigo “lex” que nem dizia minha psicologa referindo-se ao lexotam.

    Responder
  6. Eu peço a senhoria que me de uma força para mim que eu ando muito nervoso e me da convulções, que até no dia 04 de abril eu estava muito nervoso e ansciado preocupado com tudo que eu paço de poblemas em minha cabeça me de uma sujestão para mim tá ok.

    Responder
  7. ENTÃO, NO MEU CASO A ANSIEDADE ME DEIXA DE UM JEITO QUE NÃO CONSIGO MAIS ME SOCIALIZAR. SÓ VEJO PESSOAS QUANDO VOU AO TRABALHO E A RUA COMPRAR ALGUMA COISA. POUCAS VEZES VEJO VISINHOS, POIS NÃO ABRO O PORTÃO E NÃO CONSIGO MAIS SUPORTAR O BARULHO QUE ELES FAZEM (NADA PESSOAL) É QUALQUER BARULHO QUE QUALQUER UM DELES FAÇAM.
    NÃO SEI EXATAMENTE O QUE ACONTECE, EU PENSO EM SAIR PARA ME DIVERTIR POR EXEMPLO, SEPARO ROUPAS SOBRE A CAMA, TOMO BANHO, ME PERFUMO E QUANDO VOU ATÉ O QUARTO PARA ME VESTIR, SIMPLESMENTE GUARDO A ROUPA E VOLTO PRA SALA PARA VER TV.
    MEUS FINAIS DE SEMANA SE RESUMIRAM A BEBER E A FUMAR SOMENTE, POIS NÃO CONSIGO IR A LUGAR ALGUM.
    O QUE FAZER! ALGUEM TEM NOÇÃO DE COMO RESOLVER ISSO? EU JÁ PROCUREI EM MIM, MAS NÃO CONSIGO ACHAR OS MOTIVOS. SE É QUE ELES EXISTEM.!
    PARABÉNS PELA MATÉRIA!

    Responder
  8. MATÉRIA MUITO BOA. NO ENTANTO QUANDO NÃO ESTAMOS NA PELE DE QUEM SOFRE ALGUM DESSES DISTÚRBIOS, SEJA ANSIEDADE, PANICO, BIPOLARISMO OU SEI LA MAIS O QUE É MUITO FÁCIL DIZER QUE É COVARDIA DAS PESSOAS, QUE NAO SABEM COMO LIDAR COM SEUS PROBLEMAS NO DIA A DIA. CONCORDO QUE MUITAS QUEREM APENAS UMA MULETA ONDE SE ESCORAR, POR TEREM PREGUIÇA DE CONHECEREM A SIM MESMAS, DE CHEGAR AO SELF, E ENCONTRAREM UMA MANEIRA DE DOMINAR AQUILO QUE AS DOMINA. O MEDO, O HORROR, OS SUORES FRIOS, O CORAÇÃO QUE BATE DESORDENADAMENTE DENTRO DO PEITO… DIGAM PARA ESSAS PESSOAS LEREM ESSA MATÉRIA…

    Responder
    • Olá Dilma,

      Acho que você caiu na armadilha que a autora enfatizou tanto durante o texto. Ela mesma diz que o artigo é sobre ansiedade leve, não sobre depressão, bipolar, ou qualquer outro quadro clínico e ainda diz para não colocar tudo no mesmo saco, pois não é a mesma coisa e você está tratando tudo como sinônimo!

      Leia as coisas com atenção antes de passar julgamento!

      Ah, e não escreva tudo EM LETRAS MAIÚSCULAS pois isso significa GRITAR em linguagem de internet!

      Alessandro

      Responder
  9. Muito bom. Agora, como devo lidar com minha “pouca”ansiedade? Como domar o inconsciente? Como adquirir consciência da real razão que me empurra para a ansiedade?

    Responder
    • tem horas que é muito dificil controlar a ansiedade. Acho que uma terapia e um bom médico pode ajudar . Eu bem sei o quanto é ruim sentir isso. Força e que em breve vc consiga se livrar desse sentimento tão ruim que é a ansiendade sem controle. bjos e tudo de bom pra vc.

      Responder
  10. Adorei esse artigo, mas tenho muita dificuldade de lidar com minha anciedade, ás vezes não consigo controlar e termino fazendo coisas que não deveria ser feito.Gostaria muito de aprender lidar com isso.

    Responder
  11. “O salário do pecado é a morte!”
    Por que será que Jesus Cristo deixou-nos o ‘remédio da alma’: o Sacramento da Reconciliação/Confissão? Que tal uma visita ao Sacerdote de vez em quando para uma bela confissão que é o vômito da alma!”Eu vos dou a minha Paz, a paz que o mundo não pode dar!”

    Que a paz e a graça de NSJC esteja com todos que refletirem sobre o que foi dito acima e se aprofundarem no seu discernimento!

    Na Caridade fraterna,
    Saudações.

    Responder
  12. Concordo com o ponto que em alguns casos, o remédio mascara a causa do problema, conheço muita gente que usa medicamento durante um tempo, para, e depois retorna, porque o mau não foi tratado na sua raiz. Eu, patticularmente, tenho receio de ir a psiquiatras, pois para alguns, seus problemas são causados pela quimica cerebral, então te receitam medicamentos pesados. E o emocional, onde fica? Se tudo é a maneira como encaramos a vida, existe estudo cientifico que diz que cancer tem a ver com magoas, então, não é a maneira que recebi determinada informação e processei em meu interior? O que ficou armazenado dentro de mim? Gerou algum trauma, que a meu ver, trauma, é o que você guarda dentro de si, de acordo com sua maturidade emocional, e por alguma razão não consegue se libertar, pode ser por ainda não ter mudado o modo de como encarou o ocorrido. Sou contra medicamentos, acho que um verdadeiro terapeuta, se preocupa mais com a causa e prefere trata-la, mas para ter sucesso, o paciente precisa querer melhorar, e claro, se necessário, ajuda de medicamentos, mas para o caso específico do paciente, e não generalizar como a maioria, dizem sofrer de ansiedade e a mesma quimica serve para todos os casos.

    Responder
  13. Sejam abençoadas queridas, eu tmb estou passando por isso mas a cura com Deus tem me elevado cada vez mais para minha melhora e com ajuda doa florarais essa semana tmb vou começar com ajuda de psicólogo que tmb ajuda muito pq só de remédio não tem como e sempre com DEUS as orações com Ele em primeiro lugar ore pedindo a cura e libertação tds os dias ai vcs vão ver sua melhora. Deus abençoe todas.

    Responder
  14. Bom, vou relatar um pouco sobre mim e acho que alguns devem passar por isso também . Lembrando que jamais vou recorrer a remedios pois abriga esta dentro de minha cabeça.

    Quando vou algum lugar pela primeira vez como exemplo a consultas medicas e não fui acompanhado já começo a pensar como vai ser minha consulta? quem vai estar lá?
    exemplo da ultima consulta ao dentista meu coração já começa a acelerar aos poucos mais porque disso? eu sei que não vão fazer mal para mim. é uma angustia tão grande pelo fato de não se sentir a vontade em lugares desconhecido que quando Dr.(a) toca em mim tremo a cabeça rapidamente é um tiki nervoso que não sei da onde vem? Dai vem outros pensamentos se as pessoas verem esse tiki nervoso vou ficar mais constrangido e não consigo me concentrar.

    Então cheguei a seguinte conclusão não tenho medo das pessoas fazerem mal a mim e sim um medo ou timidez tão grande do que vão achar de mim caso aconteça esse tiki nervoso dai acontece esse tiki nervoso entendem? as vezes rio de mim mesmo por causa dessa situação. Entre amigos ou parentes não tenho nada disso me sinto muito a vontade. Então acho que ansiedade entra nessa situação do que vão pensar de mim? parece algo muito bobo, sinto que tenho que controlar isso.

    Um outro exemplo de que não necessito de remédios e sim um auto controle mental é quando vou cortar o cabelo e derre-pente o cabeleireiro da um leve tranco com a tesoura já começo o tik isso no começo mais agora ja controlo mais por conhece-lo melhor ou seja preciso de auto-confiança. então brigo dentro de minha mente para com isso, pra que isso? não a o que temer.

    Responder
  15. ah minha ansiedade está me atrapalhando muito a cada dia que passa encontro dificuldades. Bom esses anos atrás eu estava fazendo um curso e ele exigia uma boa coordenação motora (nas mãos), ai que está o problema eu não conseguia nem segurar um béquer uma pipeta, resumindo tremia muito e a partir desses transtornos que foi acontecendo durante a aula foi piorando, mas não só no curso.
    Bom antes não era problema pra mim ir em um restaurante,assinar algo, segurar um copo de plástico, poxa agora até isso as vezes eu não consigo 🙁 estou ficando muito triste e não sei o que fazer, gosto muito de estar do lado das pessoas mas isso está fazendo com que eu queira afastar. bom pelo menos uma noticia boa, como disse antes eu nem conseguia segurar uma caneta para assinar isso eu já superei, mas o resto ainda está me atrapalhando.:( me de alguma dica sei la,muito obrigada!

    Responder
  16. Olha, sofro de ansiedade a muito tempo, meus sintomas são mãos geladas e suadas, gostaria muito que encontrar uma solução para esse problema …
    Doutora gostaria de saber se tem cura o que sinto?

    Responder
  17. ola a todos tenho 40 anos,vou descrever o que aconteceu comigo geralmente de manhã e a tarde na hora que o sol vai se pondo, dava uma agustia no peito, uma aflição insuportavel e a noite então n conseguia dormir ficava até 2 ou 3 horas da manhã acordado, ainda mais depois que meu filho nasceu em 2008, a noite geralmente eram pensamentos e medos de morte, morte dos meus pais, pensamentos de morte sobre o meu filho, achava que qualquer hora alguem ia tentar entrar na minha casa a noite e a cabeça geralmente esquentava, em 2010 fiz um tratamento em um psiquiatra tomava pondera 15mg de manha e a tarde e a noite tomava olcadil 2mg, com esse tratamento, consegui estabilizar minhas idéias, mas há aqueles dias em que acontece uma recaida , passei 2011 quase sem precisar tomar o bendito remedio, que eu vou morrer algum eu sei todos morrem, mas quando tinha essas crises parecia que a morte era eminente para mim e meus pais e meu filho, mas acredito que é uma questão de atitude , quanto mais mantenho-me ocupado , seja no serviço ou fazendo minhas caminhadas senti uma melhora na minha cabeça, mas não é facil quem passa por isso, minha esposa qoando começei a comentar sobre as crises ue tinha ela dizia que era frescura minha, com depois do tratamento e conversando ela mesma com o meu medico que ela entendeu a situação, espero ter ajudado.

    Responder
  18. a minha ansiedade começou quando montei um comercio, e fui assaltada varias vezes. Agora tomo sertralina 50 e rivotril 1mm estou bem melhor dos nervos, mais a ansiedade ñ mim deixa. sinto a garganta seca, parece que vou explodir, alguem mode mim ajudar a controlar isto?

    Responder
    • boa noite se ajudar e vc puder contate um bom psiquiatra e converse muinto a respeito disso , se estiver fazendo tratamento lembre-se tomar remédio é bom ajuda mas melhor viver sem ele, deixe para tomar nas horas de crise e angustia , o tratamento geralmente dura de seis meses a 1 ano que foi o meu caso , procure viver cada dia o seu mal, deixe o mal de amanha para o dia de amanha, procure ficar sempre ocupada durante o dia , faça caminhadas se possivel toda a tarde de preferencia com amigos, procure chegar em casa cansada demais para ficar pensando besteira, esses momentos de angustia são passageiros nimguem esta livre disso, sobre o negócio n deixe valores expressivos no caixa da firma , se acontecer de novo haja com calma sem movimentos bruscos, afinal o mais importante é a vida , dinheiro tendo saude se trabalha e ganha.

      Responder
  19. Segundo a minha psicologa sofro de ansiedade e estou tomando fluoxetina que segundo a psiquiatra que a psicologa me indicou e para me deixar mais confiante. Fui relutante em iniciar o tratamento com a medicação mais a psicologa disse que achava necessario e como a profissional da area é ela cedi e iniciei o tratamento com a medicação além de ja fazer terapia individual e em grupo. Porém não notei melhora alguma com o uso da medicação, minha ansiedade parece que só estar aumentando, ela se manifesta da seguinte forma: fico muito vermelha no rosto e pescoço e de uns tempos para cá estou tambem suando tem momentso q nem fico vermelha e só suo e isso me deixa mais nervosa, mais ansiosa e DESESPERADA! Não sei mais o que fazer, se alguem puder me ajudar ficarei muito feliz e só pra variar ansiosa esperando resposta bjs a todos e parabens pelo artigo

    Responder
  20. começou assim, um dia eu estava em casa eu vir uma situação que me deu um medo, dai o meu coraçâo disparou ai pensei que ia morrer e depois não conseguia dormir q o coração palpitava acelerado ai fui internado com pressão alta me medicarão e normalisou, só era chegar a noite tinha dificuldade de dormir viajei para a capital para procurar recursos e fui no neuro e me medicou disse q era ansiedade tomei rémedio não resolveu me indicou psicologo e não resolveu poucas consultas porque moro no interior e trabalho não posso ficar muito tempo fora e na minha cidade não tem médicos espercialista, e ai me indicaram um psiquiatra q me medicou com clonazeplam de o.5 mg q foi água na vervura isso faz a tres anos e continuo tomando o rémedio a noite para dormir, mais tou querendo parar mais não consigo me ajude por favor.

    Responder
  21. Se vcs puderem imaginar o que é terror psicológico, imaginem o que sinto, tomo antidepressivos faz anos, rivotril para controlar ansiedade, pânico e dormir, fluoxetina q tbm serve parta ansiedade e depressão, quero me libertar e n consigo e msm com o medicamento eu ainda sinto as vezes, aí tomo 1 mlg de rivotril para poder controlar a mente e resolver situações cotidianas, como viajar poe exemplo, pior é que sempre depois da ansiedade vem a depressão, se vcs puderem se cuidar fazer terapia sem medicamentos, façam, pq é triste essa dependência, minha filha é ansiosa, é universitária e ja ta se tornando visível para os amigos, e eu ja pedi mil vezes para ela ir a um psicólogo, não desejo para ela um futuro como o meu entupida de medicamentos, quando fui a psicóloga ela achava que eu não precisava ir a um psiquiatra, fui por minha conta, n aguentava mais, mas vcs especialmente se forem muito jovens se esforcem e não estraguem vossas vidas, não q a minha esteja um estrago, mas eu ja não sou a msm fico esquecida, n tenho vontade de fazer as coisas que antes me interessavam, estou com 57 anos e quero viver, quero ver meus netos o que vai demorar um pouco, mas isso n me deixa ansiosa não, o que me deixa super preocupada é minha filha, que tem uma bela carreira pela frente com sintomas de ansiedade, as vezes fica desanimada, mas o remédio dela é o estudo, muitos a criticam, pq acha que ela é preguiçosa, mas so eu sei e entendo, faço tudo para ela se auto-ajudar, se divertir e se ocupar em algo, eu sou habilidosa para pinturas, e n tou conseguindo fazer, ela é habilidosa mas n tem tempo, estuda numa federal o curso de nutrição e estagia no laboratório, vive sobrecarregada. Como ela estuda em João Pessoa e eu moro no interior de Pernambuco, fica difícil lhes dar assistência. Mais ja pedi a ela para procurar na UFPB msm uma psicóloga pois estudantes tem direito, ela falou que ta esperando a segunda via da identidade chegar pq ela perdeu a primeira. Para vcs que convivem com o problema ou tem pessoas que tem o problema ou tem vc e mais alguém, te digo: forçaq so parta para medicação se for o jeito msm. Abraço!

    Responder
  22. ops, o desânimo dela é os afazeres de casa, pq fica como que num casulo, muito cansada por passar o dia todo estudando, mas no estudo se sai muito bem apresenta seminários e tudo, eu percebo que ela tem ansiedade desde os 10 a 12 anos, pq fica roendo cutículas, esquece até que estar em lugar publico e que isso é antisocial, eu nk me informei sobre, aí passava um remédio amargo nos dedos para ela não botar o dedo na boca, pq tbm foi muito difícil tirar a chupeta e ela ja grande se vingou no polegar.Ela fica triste pq tem pessoas que pensam que é relaxo, preguiça por ela assim qdo chegar da federal não mergulhar na cozinha, ela divide ap com 2 moças, agora ta bom encontrou uma família, mais antes sofreu muito. Hj sofre so da cunhada mulher do irmão que suporta rojão e n olha que o dela ja não é normal. Mas graças a Deus estão longe agora.

    Responder
  23. à uns quarenta dias, mediante prescrição médica, comecei a tomar remédio para tratar minha ansiedade média. Ocorre que, o remédio prescrito acabou fazem uns tres dias e estou assustado, como o mesmo, em tão pouco tempo, fez com que meu corpo ficasse dependente da substancia, pois agora não mais consigo dormir à noite, e durante o dia fico suando frio e com uma terrível sensação de mau estar. Agora não sei de devo voltar ao médico, pois temo ficar dependente de drogas “legalizadas” pelo resto de minha vida!!!!!!!!

    Responder
  24. Estou passando por problemas emocionais mais tenho uma boa convivência com as pessoas mais estou muito ansioso com oque possa vir a acontecer e isto está me atingindo em algumas atividades vou direto ao ponto , no sexo .. Poderia isto ser ansiedade?

    Responder

Deixe um comentário