A busca da excelência

John Mackenzie

Excelência Pessoal

Um de meus mentores foi Jack Canfield. Talvez você não o conheça, mas Jack é dos mais renomados autores na área de autoajuda e também um coach muito respeitado. Na época em que comecei a trabalhar com Jack, ele já não estava mais atuando como coach individual para muitas pessoas, ele tinha pouquíssimos e selecionados clientes, como celebridades e políticos.

Para ser aceito como mentorado de Jack, tive que passar por um teste que me fez sentir como se estivesse passando por uma entrevista de emprego! Conversas e mais conversas, dinâmicas de grupo, jogos… A situação toda era “esquisita” – era eu quem estava contratando o profissional, mas para poder pagar por seus serviços, tive que ser selecionado como um estagiário!

Finalmente dentro do programa, tive a oportunidade de perguntar pessoalmente a Jack o que exatamente ele estava procurando nos “candidatos”. “A busca da excelência”, ele respondeu. “Procuro pessoas que não aceitam resultados medíocres, que não se contentam facilmente, procuro guerreiros que vão até o fim para obter o melhor resultado possível”.

Ao longo de minha carreira, tornou-se evidente para mim que a busca da excelência é o verdadeiro diferencial entre aqueles que conquistam o que buscam e os que “só ficam na vontade”, como se diz.

Ao aceitar resultados medíocres, você está enviando uma mensagem para si mesmo que diz que você não merece ou não precisa de nada melhor. Aos poucos, você se acostuma com a mediocridade e deixa de tentar melhorar. É como aquele aluno na escola que se contenta em tirar notas boas o suficiente para passar de ano. Ele não se importa, a mediocridade “é boa o suficiente”.

É triste de observar que, sim, a mediocridade é boa o suficiente para muita gente. Eu luto pela excelência em cada momento da minha vida e, às vezes, é difícil para eu compreender as motivações de alguém que aceita menos do que o melhor. Meus artigos, minhas palestras sempre revolvem em torno da busca do sucesso, da excelência máxima e nem sempre eu me dou conta de que meus leitores e ouvintes não estão interessados! Eles querem resolver o problema X ou Y em suas vidas – fazer mais dinheiro, conseguir um emprego melhor, etc. –, mas eles não querem ser realmente bem sucedidos… Eles não se importam…

E você, leitor? Você aceita passivamente a mediocridade em sua vida ou você tem vontade de furar o céu mesmo que tenha que dar tudo de si para chegar lá?

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


12 comentários em “A busca da excelência”

  1. Caro Editor:

    Estou com os que não se assentam no banco da mediocridade. Quero dar tudo de mim e buscar novos conhecimentos que me proporcionem a oportunidade de ser mais útil para a sociedade e para mim mesma. E, isso representa o crescimento e a satisfação pessoal, mas por muitas vezes nos deparamos com pessoas, no ambiente de trabalho, que retêm possibilidades de crescimento para os funcionários da empresa.
    Mas, mesmo assim, não me acomodo, e busco a minha motivação a cada dia e vocês contribuem muito para que isso aconteça em minha vida.

    Obrigada
    Angela de Carvalho

    Responder
  2. Em um certo momento da vida, tive que mudar alguns paradigmas acerca da mediocridade. Existe um limiar entre a mediocridade e o perfeccionismo, que não raras vezes, impede com que as coisas aconteçam. Desta forma, vale um palpite: Se a busca da excelência for a pretensão em chegar ao perfeito e que, porém, esta busca impedir que o projeto saia do papel, o melhor que se puder fazer é excelente. No mais, o comodismo e a mediocridade devem ser uma exceção à regra.

    Responder
  3. Minha pergunta é :

    Acha que o se resultado é ótimo, excepcional? Não não é ,comece a se comparar e você vai ver que eles são excepcionais pra você seu medíocre!
    Difícil mesmo é saber quando nossos resultados
    são realmente medíocres.Outra diferença é que nos
    identificamos com os resultados, somos
    nós ou os resultados que são medíocres? Ou um é
    reflexo do outro?

    E a excelência quando você vai saber que alcançou?
    Quanto dinheiro eu preciso para não ser medíocre?
    Hoje sai do meu trabalho e passei na peixaria e comprei deliciosos filés de salmão e uma boa garrafa de vinho(minha mediocridade permite isso)e ia levar pra casa e ficar e saborear com minha família. Meu
    companheiro que ocupa um cargo superior ao meu, descia comigo para comprar um sanduíche no Mcdonalds, ele ia sair provavelmente a meia noite como faz todos os dias. Ele se sente medíocre ganhando mais do que eu.
    Ele ganha uns R$1200,00 a mais, e provavelmente no futuro vai ganhar mais ainda, mais eu pelo menos vou estar presente no futuro com saúde. E ele vai furar o céu mais cedo, se conseguir passar pelo buraco.
    Quando atingir todos esses resultados excelentes ou achar que os atingiu, virá um vazio dentro de você.Mas não importa. você que é vice diretor pode pensar em ser diretor e depois em presidente e assim por diante, até…não sobrar mais nada .

    A questão é que todos esses modelos e dicas de gestão pessoal, foram desenvolvidos dentro e para algo doente que é o nossa sociedade.ou seja, um bom barco pra navegar dentro de um rio sujo e fétido. Mas o que importa mesmo é chegar ao outro lado deixando os medíocres para trás.
    E chegar em casa com seu ego “furando o céu” com tudo que adquiriu e conquistou e quando chegar em casa e abrir a torneira, é a água desse rio que você vai usar para beber e se banhar.Ou seja você nunca saiu do lugar. Só tem mais bens, mas está no mesmo rio se banhando. E você só tem que pagar um pequeno pedágio para alguns Joãos ou Johns levarem você.
    Cuidado ao falar em mediocridade e excelência , só existe um por causa do outro, o que é excelência num contexto, num determinado tempo passa a ser medíocre em outro. Simplesmente porque o ser humano não pára de se comparar de forma doentia e viciada. E isso vai ficando sem fim.
    Termino meu comentário aqui assinando como apenas mais um medíocre , mas talvez seja um erro, talvez fosse melhor eu assinar como um presidente ou diretor de uma empresa , e que conquistei muita coisa. Assim minhas palavras teriam mais peso aqui, Mas eu não gosto de mentir pra ninguém principalmente pra mim mesmo.

    Faço meu trabalho pelo trabalho, pela paixão. É o processo que importa, é estar consciente de cada ato me colocando com sinceridade no que faço. Se ninguém percebeu isso então eles( os não medíocres) não merecem que e trabalhe para eles.

    Obrigado.

    Eu mesmo.

    Responder
  4. Editor:
    Posso dizer que seu texto está muito bonito atendendo a esta sociedade de consumismo desenfreado em que vivemos. Mas por outro lado gostaria de colocar que o “sucesso”, pra mim, está em ser feliz com os padrões que coloquei para minha felicidade. Será que é realmente necessário “furar o céu” para atingir algo que ” a sociedade” irá reconhecer um excelente? Não estamos nos desviando da arte de manter a felicidade no dia a dia com aquilo que julgamos necessário, e temos estas coisas?
    Será que não está na hora de ensinarmos encontrar a felicidade dentro de si mesmo desgrudado dos fatores externos que “julgam” sem o nosso melhor?

    Abraço

    Responder
  5. Eu sou muito medíocre, e não me orgulho por isso. Seu artigo me foi de utilidade. Obrigado pelas palavras…A Excelência de uma pessoa sempre inspira outras sinceras com sua própria situação, humildes para reconhecer suas falhas e fortes suficientemente para decidir mudar.

    Responder
  6. Não quero me deter ao termo mediocridade porque o que é mediocre para alguns, é essencial para outros. Quero dizer que busco alcançar pequenos projetos que em minha vida são significativos para mim e que produzem uma importância em meu viver. Esses projetos nem sempre estão ligados a conquista de bens materiais. O sistema capitalista é afoito e eu não posso me deixar levar pelas suas exigências desenfreadas do conquistar,mas devo sim, desenvolver ao máximo, todo a minha potencialidade de talento para poder extrair o melhor que o mundo pode me oferecer e a ele, dar “o meu melhor”.Deste modo, penso que não devo atender as exigências externas da excelência, mas as minhas póprias exigências.O dar e receber deve estar dentro da minha capacidade ,por isso, o parâmetro de excelência varia de acordo com o desenvolvimento das habilidades de cada indivíduo.

    Responder
  7. Muito oportunos os comentários que se seguiram ao artigo “A busca da excelência”. A mediocridade nada tem a ver com a busca da excelência, porém quando ela esbarra na lei imutável do universo que trata sobre a evolução de todos os seres, essa mesma mediocridade se rende a algo muito simples:
    “No universo existe coisas e (seres) pessoas e a lei é: “Usar as coisas e Amar as pessoas!”.
    Um abraço a todos.
    Angela

    Responder
  8. ACREDITO QUE A EXCELENCIA ESTA NA MANEIRA DE VER AS COISAS COMO SÃO NAS MAS DIVERSAS SITUAÇÕES, NÃO EXISTE FORMULA PARA O SUCESSO MAS SEI QUE PARA ATINGIR UM DADO OBJETIVO É PRECISO ESQUECER DE SI MESMO RECONHECENDO SEU LIMITE,DE ATÉ ONDE POSSO CHEGAR E SÓ DEPOIS PODE REFLETIR SE O CAMINHO QUE PERCORREU LHE TROUXE A FELICIDADE OU SE TUDO NÃO PASSOU DE ILUSÃO. É PRECISO PLANTAR PARA COLHER.

    Responder
  9. Caro Editor,

    Fiquei realmente pensativa apóe ler seu artigo. Sempre estive em busca da excelência. tanto que as vezes erqa tomada por chata e perfeccinista por meus companheiros. Ano passado acabei relaxando e percebo agora, que entrei para o grupo da mediocridade. Esse não é meu desejo, procuro o sucesso profissional e pessoal e para isso sei que devo não me preocupar tanto com opiniões que não contribuirão para o meu enriquecimento pessoal.

    Obrigada pelo artigo

    Responder
  10. Mediocridade ou Excelência, comparado com o quê? Ou com quem?
    Como posso buscar comparações em um planeta, ou uma vida que a cada instante se transforma? Os papéis que desempenhamos, são apenas papéis..Os títulos, vão e vem, o dinheiro pode ir e vir.. E o que fica? A constatação de que fico e sou mais forte e melhor a cada dia que passa.Independentemente das circunstãncias…Que posso me orgulhar da pessoa que venho buscando ser…Todos temos escolhas, e duvido que alguém queira o menos bom para si…O que é excelência? É viver em paz consigo mesmo? Mas,isso não seria considerado mediocridade? Sinceramente, oscilo entre a insanidade da busca incessante pela mudança, e a mediocridade de procurar ver a minha realidade com olhos de gratidão…
    Obrigada
    Obrigada

    Responder
  11. Desde já queria dar os parabéns ao autor pelo texto supra exposto, digno de alguém de excelência.

    E queria deixar a minha gargalhada para alguns dos comentários! Acho que fizeram muito bem em os deixar, pois assim quem lê consegue consolidar melhor o que aprendeu! dignos de medíocres!
    meus caros, a excelência nada tem a ver com bens materiais, ou altos cargos. O excelente é idealista, rebelde, aventureiro, altruísta, insatisfeito. Um excelente sabe distinguir o que é bom do mau, e sabe identificar quem é excelente também. Só os medíocres mandam os excelentes a baixo, pois nao conseguem identificar e interpretam mal.

    Um lavador de pratos pode pender para a excelência, se assim for irá vestir-se com gosto. Ainda que barato, e saberá apreciar o trabalho dos outros, como tentará ultrapassar-se a si próprio em cada obstáculo.
    Por outro lado o chefe de uma empresa poderá ser medíocre, apesar de ter ascendido, nao saberá identificar a excelência, irá ter uma casa decorada sem estilo ou personalidade. E as suas funções serão pedir cafés e gritar com as pessoas.

    Esse mediocre chamado Leonardo está ruidinho de inveja do seu colega, porque ele é exelente! e nao vejo o mal de comer no mac

    O meu nome é Rita,
    Obrigado pela atenção.

    Responder

Deixe um comentário