Consistência: Como não desistir de seus sonhos?

Franciane Ulaf

Qualquer coisa é possível se você acreditar em sua ideia o suficiente para agir consistentemente.

O que isso significa?

A maior parte das coisas na vida das pessoas não dá certo ou “nunca acontece” porque elas não agem e elas não agem porque não acreditam o suficiente em suas ideias para manter a consistência e continuar agindo no médio e longo prazo. Esse “acreditar”, contudo, nem sequer precisa ser uma crença cega no sucesso, apenas um pensamento positivo de que as coisas podem dar certo.

No final das contas, o fracasso é uma simples equação em que a descrença estimula a desmotivação e ambas freiam a ação. As pessoas fracassam, em sua maioria, porque simplesmente deixam de fazer o que é preciso fazer para alcançar o sucesso.

Muitas pessoas “morrem de medo” de fracassar e até mesmo deixam de definir metas ou planejar por conta disso. O fracasso, contudo, não é preto e branco – assim como o sucesso. Quando o fracasso é resultado de erros, apesar das perdas, aprende-se a lição e segue-se em frente. Porém, como eu disse, a maioria das pessoas não fracassa porque erra, fracassa simplesmente porque não faz nada. E elas não fazem nada porque mantêm uma descrença no potencial de sucesso da ideia.

Esse é o famoso medo de “perder tempo”. Nessa de não querer se engajar em uma meta que pode se mostrar infrutífera no futuro, as pessoas deixam de agir, continuamente procurando alguma ideia que seja “à prova de falhas” (o que na realidade nem sequer existe). É como aquela pessoa que está pensando em abrir o próprio negócio há 10 anos e nunca toma a atitude de começar. Nem esboçar um plano de negócios ela se dá o trabalho (na maioria das vezes ela nem sabe o que é um plano de negócios ou como fazê-lo, ou seja, não se deu o trabalho também de buscar informações). Ela fica pirampulando de ideia em ideia em sua cabeça, tentando encontrar algo mágico e perfeito que ela possa fazer e que “vai dar certo com certeza”.

Há ainda o grupo daqueles que esboçam ações. Esse grupo começa as coisas, mas nunca dá continuidade a nada, sempre pulando para alguma outra meta que “promete” mais e mais rápido do que aquela no presente.

Em ambos os casos vemos claramente que o problema é simplesmente falta de consistência nas ações, falta de seguir em frente ao invés de desistir (ou nem começar).

Isso tudo começa com as coisas que a pessoa acredita, por mais simples que seja. A pessoa que fica engatada na dúvida se aquilo vai dar certo ou errado, faz tudo com um pé atrás, já esperando para ver se suas suspeitas serão confirmadas e ao menor vislumbre de obstáculo, ela já desiste – tá vendo, eu disse que não ia dar certo! Isso decorre de uma visão preto e branco – desde quando obstáculo é sinônimo de fracasso? Desde quando as coisas “não dão certo” só porque houve um problema, um erro ou uma perda qualquer?

Eu gosto bastante de traçar paralelos com nossos heróis favoritos de histórias. O herói é sempre aquela pessoa que acredita no sucesso de sua meta – seja salvar sua família em perigo ou evitar um desastre nuclear – e não se deixa abater por eventuais fracassos momentâneos. É claro que a maioria das histórias nos livros e no cinema é pura ficção, mas o perfil do herói é verdadeiro.

Se todo mundo adora um herói, por que então não temos todos aquela atitude proativa e corajosa que tanto admiramos?

Uma das razões é simples falta de perspectiva. Sabe aquela sensação quando estamos assistindo um filme ou lendo um livro e como espectador, de que o personagem está para fazer algo errado ou desistir de sua meta porque ele não sabe “toda a história”? Nós temos uma perspectiva que o personagem não tem e então ficamos tiririca quando o personagem não se dá conta daquilo que nós já sabemos e acaba tomando a decisão errada. Muitas das desistências e da hesitação quanto às nossas metas são decorrentes da nossa própria falta de noção quanto a todos os fatores que formam o quebra-cabeça da nossa vida, principalmente uma deficiente perspectiva de longo prazo. O adolescente que prefere não ir para a faculdade ao final do colegial para ir trabalhar porque ele quer ser independente logo e não “perder mais tempo” na escola é um bom exemplo. Falta perspectiva, falta o jovem se dar conta de que o salário mínimo que ele tanto almeja fazer hoje para adquirir sua tão sonhada “independência” se transformará em um teto de vidro da qual ele não conseguirá passar no futuro. Pessoas que não pagam seguro também sofrem de falta de perspectiva – depois elas choram quando batem o carro e se veem pressionadas com uma dívida da qual não têm condições de pagar.

Mas esses exemplos apenas tocam nas coisas óbvias. É fácil pensarmos nas consequências de não pagar seguro, não estudar, não se preparar para a aposentadoria. O que não é tão fácil é analisarmos o potencial de cada caminho que podemos tomar na vida e é nessa dificuldade que nos apegamos quando deixamos de agir com medo de que as coisas não deem certo.

Apesar de não ser fácil, contudo, impossível não é. As pessoas tomam decisões o tempo todo e há pessoas bem sucedidas no mundo em quantidade suficiente para que ninguém duvide de que é possível atingir o sucesso, seja lá o que quer que cada um deseje.

Independência financeira está entre os sonhos mais comuns, já que é uma condição que permite com que muitos outros sonhos também se realizem, além de fornecer um senso de liberdade incomparável. Há diversos caminhos para aumentar a própria renda e é justamente aí onde mora o problema. As pessoas não conseguem se decidir ou ficam tão afobadas que ficam pulando de uma oportunidade para outra sem critério, apenas querendo fazer mais dinheiro, o mais rápido possível.

Há também o conflito entre os sonhos. Mulheres, com frequência, se debatem com o dilema de ter filhos ao mesmo tempo em que tentam construir uma carreira promissora. Outras pessoas sofrem com a necessidade de escolher dentre dois sonhos incompatíveis, duas áreas que exigem muito e que portanto, não podem ser levadas juntas.

Tomar decisões não é fácil, mas escolher não tomar nenhuma decisão e ficar permanentemente em cima do muro é a pior das opções, sem dúvida alguma. A certeza necessária para nutrir a “fé” na meta que sustentará a ação consistente precisa vir da firmeza com que a escolha foi feita. Começar qualquer coisa “só para ver se vai dar certo” não dá certo! É preciso escolher e se comprometer firmemente com a decisão tomada.

Mas e se não der certo? Em primeiro lugar, é preciso tirar a máscara de horror de cima da ideia de erros ou mesmo fracasso. Esse “não dar certo” é, na realidade, muito relativo, já que tudo tem seus altos e baixos, mas se você desistir no “baixo”, achando que não deu certo, você nunca passará pelo “alto” e continuará achando para o resto da vida que aquela empreitada “não deu certo”!

Uma coisa é certa: você precisa se apegar às suas metas de tal forma que você irá lutar por elas, você irá fazer dar certo e se inicialmente não der, você irá continuar tentando até dar. Essa é a síntese da determinação e da persistência – sem ambas você nunca chegará a lugar algum. Esse negócio de “medo de não dar certo” é coisa de gente covarde! E se no final das contas não der certo mesmo, bola pra frente, nada de choramingar e se desesperar. Lições foram aprendidas, experiências foram acumuladas, quem sabe o fracasso pode ter sido a melhor coisa do mundo, pois a próxima meta será aquela que te levará para as alturas!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


9 comentários em “Consistência: Como não desistir de seus sonhos?”

  1. Fran, excelente artigo. Você conseguiu nos mostrar um outro paradigma, com argumentos profundos e inteligentes. A falta de fé nas conquistas trava o sucesso de muita gente, pois gera a desmotivação, fica faltando aquela “entrega” responsável por nossa superação. Já acompanho seu trabalho a um tempo e gostaria de parabeniza-la. Você tem o talento de saber explicar muito bem novos pontos de vista, coisa que não é fácil.

    Responder
  2. Texto inspirador Fran Christy! Eu estava precisando ler isso! Sou daquelas pessoas que pensam que um dia todo o esforço valerá a pena! Outro lema que levo comigo é “daqui um ano você vai desejar ter começado hoje”. Frases assim e textos como os seus me inspiram cada vez mais a perseguir meus sonhos, tenho uma meta para daqui um ano, mas preciso lutar cada dia para que ela aconteça! Ela depende de um esforço diário. Mas juntamente preciso manter e cuidar do meu trabalho, cuidar de casa, filho pequeno, marido, etc etc. O que torna a luta mais cansativa. Mas é por eles que luto e, embora cansativo, tenho certeza que com determinação e persistência, vou conseguir atingir meus objetivos! Obrigada pelo texto lindo!

    Responder

Deixe um comentário