Planejamento de 5 anos

Steve Pavlina

Planejamento de 5 anos

As pessoas comumente superestimam o quanto conseguem realizar em um ano, mas subestimam o quanto poderiam alcançar em cinco anos.

Se você realmente deseja resultados, trace um plano de cinco anos para algumas metas específicas, como construir um negócio próprio, desenvolver (ou aprender) uma nova habilidade, dobrar (ou quadruplicar) a sua renda, etc. Mas mantenha os olhos no céu, uma meta mais modesta não forneceria motivação suficiente e poderia ser alcançada em bem menos tempo.

Quando eu comecei a escrever na web em 2004, eu tinha expectativa de ainda estar fazendo isso em 2009. Se eu não tivesse essa expectativa, eu não teria nem começado.

Muitas pessoas começam negócios online, blogs ou o que quer que seja, e desistem ainda no primeiro ano, o que é um maciço desperdício de tempo e esforço. Se eles desistiriam em um espaço de tempo tão curto, eles nunca tiveram intenções realmente sérias com relação às suas metas. Os melhores resultados vêm muito além do primeiro ano. Se você não consegue ter perspectiva de ainda estar fazendo o que pensa em começar hoje daqui cinco anos, nem se preocupe em começar.

É claro que há um certo ganho em experiência quando se tenta várias coisas temporariamente, mas não haverá ganhos em termos de resultados. Se você só quer acumular um monte de experiências de curto prazo por diversão – quem sabe você ainda é bem novo(a) – então vá em frente e pirampule o quanto conseguir. Isso não é um erro se é justamente a sua intenção.

Mas se sua intenção é gerar algum tipo de resultado significativo, como construir um relacionamento duradouro, desenvolver uma habilidade competitiva, ter uma carreira satisfatória, aumentar consideravelmente sua renda, então esqueça a pirampulice – o jeito é se comprometer seriamente com algumas poucas metas e colocar seu coração e alma nelas.

Se você nota que a cada seis meses muda de ideia sobre qual meta deseja seguir, você está evitando comprometimento e precisa trabalhar nisso, talvez o problema seja uma personalidade imediatista – você espera resultados rápidos e se desanima quando as coisas aparentam demorar para dar certo? Talvez seja uma falta de perspectiva – você tem dificuldades para imaginar sua vida no médio, longo prazo? De qualquer forma, você precisa aprender a tomar decisões e se apegar a elas, pois se você muda muito de ideia, você acaba pulando fora do barco justamente quando as coisas estavam para engrenar e você nem percebe.

As sementes de cada meta apenas começam a brotar durante o primeiro ano, por isso é tão importante manter a perspectiva de longo prazo, mas ao mesmo tempo, ter a perspicácia para saber quando algo realmente não está dando certo e deve ser abandonado, mas isso é assunto para outro artigo. O problema é confundir esses dois aspectos, achando que se está sendo perspicaz ao abandonar um projeto que parece não ser frutífero, quando na verdade, se está tendo uma postura imediatista, esperando resultados antes do tempo. É por esse motivo que considero cinco anos o tempo de maturação ideal. A maioria das metas pode ser confortavelmente conquistada dentro desse período e ele oferece uma proteção contra o imediatismo – se você tem um plano de cinco anos, você sabe que os resultados podem demorar para vir e mesmo assim continua dedicando esforços, mas ao mesmo tempo, você tem datas em mente – ao contrário de metas sem tempo que acabam nunca sendo concretizadas – aquelas que as pessoas se referem como “um dia vou fazer isso”.

Após um ano de dedicação pode parecer que você não está chegando a lugar algum. A transformação desejada pode demorar muito tempo para acontecer. O efeito do comprometimento de longo prazo pode ser percebido principalmente em metas como aprendizado de outras línguas, artes marciais ou esportes. No começo parece que o esforço não dá em nada, que não há nenhum avanço visível, mas ao passar pelo gargalo do primeiro ano, os resultados começam a se tornar notáveis. Em alguns casos, como em ambos os meus exemplos, línguas e artes marciais, mais de um ano é necessário para que resultados realmente positivos possam ser percebidos. Para que você não perca a motivação, é necessário manter essa perspectiva em mente. Cinco anos depois você não terá como não notar os efeitos da dedicação.
Quando eu comecei a participar de aulas para falar em público eu tinha dificuldade para preparar (e sobreviver) um discurso de 5 a 7 minutos na frente de uma plateia. No final do primeiro ano, eu estava fazendo discursos de 20 minutos, mas que me tomavam um dia inteiro de preparação e uma boa dose de nervosismo. Eu, que sempre fui tímido e quieto, comecei a achar lá pelo final do primeiro ano que isso nunca ia dar certo, que algumas pessoas nascem com o dom de falar em público, sendo extrovertidas, divertidas e espontâneas. Eu não era assim e jamais seria, eu pensei seriamente em desistir nesse ponto, mas acabei, contra minha própria vontade, indo em frente.

No quarto ano eu comecei a ser contratado para os meus primeiros compromissos como palestrante, ganhando 3.000 dólares por palestras de 90 minutos e as empresas pagando minha passagem e hotel.

Um pouco depois da marca dos cinco anos eu fiz meu primeiro workshop (um curso presencial de longa duração, como três dias num hotel), na qual eu fui pago 50.000 dólares por esses três dias. Isso é um resultado visível, não?

Agora eu realizo workshops quando quero e recebo uma fortuna por cada um, na verdade, em cada workshop eu ganho mais do que costumava ganhar por ano em cada emprego que eu tive antes de começar a falar em público.

Eu costumava levar um mês para preparar um novo workshop, agora eu preparo tudo em uma semana. Hoje em dia eu também consigo preparar uma palestra de uma hora em 15 a 30 minutos e minha performance é muito melhor do que quando eu levava um dia inteiro para preparar um discurso de 20 minutos em minhas aulas de oratória.

Isso não é resultado de sorte, mas sim de prática e comprometimento. Não seis meses, não um ano, mas cinco.

O primeiro ano de comprometimento é com certeza o mais difícil, não só porque ainda não temos garantia dos resultados e não conseguimos perceber nossos avanços, mas também porque somos forçados a enfrentar desafios que podem ser muito difíceis para nós, como para mim era falar em público. Nesse primeiro ano, precisamos nos forçar a dar cada passo, pois o progresso não ocorre naturalmente e muitas vezes, a ação deve ocorrer contra nossa própria vontade. Nesse primeiro ano também estamos à mercê de erros e embaraços que podem ainda nos tornar mais resistentes ao comprometimento e nos dar uma vontade enorme de desistir.

Nós compreendemos teoricamente que esforço sempre traz resultados e que não devemos ser imediatistas, mas na prática secretamente desejamos encontrar atalhos que nos tragam resultados o mais rápido possível e sem que precisemos fazer algo que seja difícil para nós ou que exija com que nós enfrentemos nossos maiores obstáculos. A realidade é que atalhos existem, mas geralmente não para alcançar os resultados que desejamos. Ganhar na loteria pode ser um atalho para um maior conforto financeiro, mas não existe atalho para superar dificuldades pessoais como a timidez, a ansiedade ou o medo de falar em público, por exemplo. O dinheiro, então, resolve um problema, mas não resolve outros e a insatisfação para conosco e com a vida continua a mesma. Mesmo no mundo dos negócios não existe atalho. Ganhar na loteria, por exemplo, poderia providenciar fundos para a abertura de uma empresa, mas nenhuma empresa sobrevive à má administração de uma pessoa que não sabe o que está fazendo.

Agora, não fique empolgado com esse artigo a ponto de se comprometer hoje mesmo com alguma coisa que você supostamente deve desenvolver em cinco anos. Reflita sobre o assunto, tenha paciência. Você pode selecionar mais de uma meta, como por exemplo, aprender uma língua, perder XX quilos e manter o peso ideal e montar o seu próprio negócio. São três metas em três áreas distintas e não conflitantes. Você pode concretizar as três juntas em cinco anos – ou antes e se comprometer a manter os resultados no longo prazo. Se dê um tempo para pensar e principalmente reflita sobre seus resultados fracos ou a falta de resultados que você teve no passado. Pense se o problema não foi desistir muito cedo, pense se você tivesse feito um planejamento de cinco anos se você não teria alcançado a meta.

Evite se comprometer com coisas passageiras e modismos. Tem gente que se empolga com a moda da hora, como aquelas mulheres que começam a fazer dança do ventre por causa da novela ou aquelas pessoas que abrem negócios porque saiu numa revista que aquela área é o que está quente no momento. Há algumas coisas que são importantes para praticamente todo mundo, como por exemplo, se comunicar bem, falar inglês (se você não é nativo de um país de língua inglesa), ter uma renda confortável, manter a saúde em dia, e superar problemas psicológicos como ansiedade e medo exagerado. Essas coisas já oferecem campo para definição de várias metas específicas que são importantes e que não há como você não ver resultados após um certo tempo de dedicação. Se você fizer exercícios cinco vezes por semana, mais dia, menos dia, você vai começar a notar resultados concretos.

Você pode eventualmente também definir metas que exigem um certo esforço de reflexão, como que tipo de negócio você deseja abrir ou se vai fazer um mestrado ou não. De uma forma ou de outra, reflita sobre o comprometimento de longo prazo e evite colocar tempo e esforço em coisas que você não se vê fazendo daqui cinco anos. Também não comece nada “só para ver se vai dar certo”. Isso é para inventores. Você é a versão moderna do Thomas Edison? Não? Então você não precisa adotar essa mentalidade do “ver se vai dar certo”. Se o que você pensa em fazer já foi feito por outras pessoas com sucesso, como por exemplo, abrir uma loja de roupas, a única razão para não dar certo para você é se você desistir antes da hora ou fizer tudo errado. Ambas as situações são facilmente remediáveis com planejamento e pesquisa – planeje para o longo prazo e faça pesquisa, estude bem antes de fazer coisas que você não sabe como fazer para evitar cometer erros por ignorância.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


2 comentários em “Planejamento de 5 anos”

  1. Steve Pavlina é sempre muito bom de ler, costumava ler os artigos dele no site original em inglês, mas é muito mais confortável ler em portguês. Obrigado pelo site Sonhos Estratégicos por traduzirem seus textos. Fiquei feliz também de saber que o site vai publicar um livro inédito do Steve! Estou ansiosamente aguardando!

    Responder

Deixe um comentário