Compartilhe!

Mike Filsaime, um dos maiores empreendedores da internet, acaba de publicar em seu blog um artigo perturbador! Mike faz dinheiro ensinando como se faz dinheiro online, ou melhor, assim era, até que ele descobriu que ensinar a pescar não é bem uma mina de ouro, como ele costumava acreditar.

No artigo, Mike analisa as diversas formas de se fazer dinheiro com um negócio, seja online ou não. Ele diz que finalmente descobriu o “segredo de um milhão de dólares” (Mike seguidas vezes já atingiu a marca de um milhão de dólares ao lançar seus produtos online).

Mark Joyner, outro grande empreendedor da era digital, reza que o segredo do sucesso nos negócios é “vender as ferramentas para os garimpeiros” ou ensiná-los como garimpar. Os garimpeiros em si dificilmente farão algum dinheiro, mas você ficará rico. Ensinar a pescar foi e continua sendo a fonte de renda de muitos milionários da atualidade. Aparentemente, as pessoas estão dispostas a pagar ouro para aprender “como” fazer as coisas. Como ter sucesso, como administrar o tempo, como construir um website, como consertar o próprio carro e assim vai. Livros de auto-ajuda nesse sentido são uma mina de ouro.

Mike Filsaime, contudo, foi um pouco mais fundo na investigação das motivações de seus clientes e público em geral e o que ele descobriu foi perturbador: “O fato (e isso é muito triste) é que as pessoas não querem aprender a pescar, a maioria das pessoas simplesmente não quer aprender nada!”.

Mas como assim? Se você não sabe pescar, como você fará amanhã se você não conseguir o seu peixe? Um fato ainda mais triste: as pessoas não pensam no amanhã, não tomam precauções, não planejam, não chegam nem sequer a analisar as conseqüências de sua falta de ação. Elas só pensam no aqui e agora, elas só querem o peixe (já assado, na mesa e pronto para comer!).

Mike, então, revela seu segredo de um milhão de dólares: “vender botões” – ou seja, vender soluções prontas em que o cliente simplesmente aperta um botão e o benefício adquirido é entregue imediatamente, assim como sentar numa mesa com o jantar já prontinho para ser devorado. Para que saber pescar se você pode ir a um restaurante?

O meu primeiro impulso foi continuar esse artigo dizendo que esse é o mal da sociedade moderna. Bem, não exatamente… Esse é o mal dos fracassados. Mike, com sua nova ideia, criou, então, mil websites, cultivou-os durante um ano e vendeu-os prontinhos e já fazendo dinheiro por 749 dólares cada um, fazendo mais de 100 mil dólares em apenas 7 horas. Ele ofereceu peixes já prontinhos para comer. Os clientes estavam ávidos com seus cartões de crédito na mão aguardando o momento em que poderiam comprar os websites. Como empreendedor, Mike sabe que o conhecimento de como se constroem websites lucrativos como os que ele estava vendendo vale muito mais do que todos os mil sites juntos. Mesmo assim, seu produto anterior que justamente “ensinava como pescar” não teve tanto sucesso. As pessoas retornavam o produto e diziam que não tinham tempo de estudar o curso e aprender, outras diziam que já sabiam tudo aquilo que estava no curso, mas ainda não tinham conseguido fazer dinheiro nenhum online. “É tudo muito complicado e demorado”, elas diziam. O que as pessoas querem realmente é apertar um botão e ter o resultado desejado na mão imediatamente, elas não querem aprender nada, elas não querem ter trabalho algum, elas não querem pensar.

Qualquer semelhança da experiência de Mike com a minha na área de auto-ajuda não é mera coincidência! As expressões “esse livro (ou curso) não funciona” e “auto-ajuda não funciona” já viraram lugar comum. O próprio marketing feito para vender produtos de auto-ajuda já vem carregado com a idéia de alívio imediato ou pílula milagrosa. Se não fosse assim, garanto que o ramo de auto-ajuda seria tão obscuro quanto o de física quântica! 99% dos consumidores de auto-ajuda jamais compraria um livro que se descreve como “técnica difícil de ser implementada que requer imensa força de vontade, comprometimento, foco e disciplina”, mas a verdade é que todos eles deveriam conter esse alerta! Se você não está disposto a suar a camisa comprometida, repetida e disciplinadamente (ufa!), não gaste seu dinheiro com auto-ajuda, pois “não vai funcionar” pra você.

Você sabe o que as pessoas bem sucedidas têm em comum? Elas vão até o rio e, sem preguiça nenhuma, vão tentando pescar até conseguirem alguma coisa. Na margem do rio, elas conhecem outras pessoas, fazem contatos, aprendem o que precisam saber, adquirem o material necessário e pescam dez vezes mais que seus companheiros que estão perdendo tempo jogando papo fora na margem, nadando, jogando uma pelada, ou simplesmente sentados na beirada esperando que alguém lhes dê um peixe por pena.

Meu trabalho é ensinar as pessoas a atingirem o sucesso em suas vidas. Eu faço o que está ao meu alcance. Eu sei, no entanto, que a grande maioria das pessoas que passa por meus cursos e lê meus livros simplesmente não está a fim de aplicar nem sequer 1% de seus esforços para colocar em prática o que eu ensino. Elas esperam que algo mágico aconteça e, sem que haja esforço algum, suas vidas se transformem em um mar de rosas. Elas querem o sucesso numa caixinha, como os websites do Mike. Eu sinto informar, mas auto-ajuda não é aspirina!

Este artigo continua, clique aqui



Palavras-chave: atingir o sucesso, auto-ajuda, conquistar o sucesso, evitar o fracasso, sucesso fácil, vencer na vida

Compartilhe!