Como estudar em Harvard – Parte 2

Diego Meille

Estudar em Harvard - Parte 2

Esse artigo é continuação do artigo Como estudar em Harvard – Part 1. Se você chegou aqui através de um link ou busca, leia o outro artigo primeiro.

Nesta e na próxima parte do nosso artigo sobre como estudar em Harvard, nós vamos nos focar na Harvard Extension School e na Harvard Summer School (escola de verão). Se você deseja cursar medicina, administração de empresas, odontologia, engenharia, arquitetura ou direito, essas escolas não possuem esses cursos. Para cursar esses cursos, você deve ver as escolas específicas de Harvard para cada um deles. No artigo anterior (veja link acima), há uma lista de todas as escolas de Harvard.

HARVARD EXTENSION SCHOOL

A HES (abreviação de Harvard Extension School) foi fundada no começo do século XX para atender à demanda educacional da população local na época, já que o Harvard College, uma das instituições educacionais mais antigas dos EUA, fundada em 1636, aceitava somente membros da sociedade de elite.

Ao longo das décadas seguintes, a Universidade de Harvard (composta por diversas escolas) percebeu que oferecer educação para a população em geral, sem muito “fru-fru seletivo”, trazia muito dinheiro para a instituição e esse dinheiro podia ser aplicado em melhorias de infraestrutura, pesquisas científicas, etc. A HES existe basicamente para fazer dinheiro para Harvard, mas isso não é negativo, pelo contrário, para nós é extremamente positivo.

A educação na HES não é tão boa quanto no Harvard College ou nas faculdades específicas de Harvard, principalmente porque o nível dos alunos não é tão alto e a exigência acadêmica é, digamos, muito mais relaxada. Isso não significa que o padrão educacional seja “inferior” com relação ao que conhecemos no Brasil. Pelo contrário, a HES é infinitamente superior a muitos cursos de educação superior no Brasil. Lembre-se que a comparação está sendo feita com a mais famosa e elitista escola de Harvard, o Harvard College, onde estudam as mais brilhantes mentes do planeta!

O processo seletivo na Harvard Extension (HES) funciona da seguinte forma: o aluno, candidato, se inscreve livremente em 3 matérias, em alguns cursos, duas dessas 3 matérias precisam ser relacionadas com o curso em si, em em alguns casos, 1 delas é determinada. O aluno cursa livremente essas 3 matérias junto com os outros alunos da HES e se tiver um desempenho maior do que B (equivalente à nota 8 no Brasil), o aluno é aceito no curso que ele escolheu. Bem democrático, não? Não existe processo seletivo em si, se o aluno conseguir provar que possui capacidade intelectual de acompanhar o curso que ele escolheu (o que na realidade é o que importa), ele é aceito e ponto final. Depois de aceito, o aluno precisa manter a nota B (8) para ficar no curso. Se tirar menos do que 8, ele corre o risco de ser expulso do programa. Ou seja, a HES é a escola mais justa e mais democrática de Harvard – qualquer um pode entrar desde que tenha a capacidade intelectual para acompanhar o programa do curso escolhido.

É possível fazer faculdade (o que para nós no BR é graduação) e mestrado na HES (o que para eles é graduação). É muito importante se familiarizar com essa diferença de nomenclatura porque o aluno desavisado acaba confundindo as coisas. Nos EUA, a faculdade primária, ou seja, aquela que o aluno vai depois do 2º grau é chamada de undergraduate ou subgraduação, em português. Graduação é somente os cursos de especialização, mas aí, temos que tomar cuidado também para não confundir pois no Brasil é diferente. No Brasil, o aluno pode entrar direto em medicina, direito e administração, por exemplo. Nos EUA, não pode. Esses cursos são “graduate courses” o que para nós é “pósgraduação”. Nos EUA, só pode entrar nesse cursos quem já fez uma faculdade de 4 anos antes (undergraduate).

Na HES é possível obter um bacharel em “artes e humanas”, o mestrado em “artes e humanas” e algumas especializações. É muito importante compreender que nos EUA, as faculdades são separadas por foco. Artes significa toda a área humanistica, de psicologia à história. O outro tipo de bacharel que há nas faculdades Norte Americanas é o “bacharel em ciências”, em que o foco é física, química, biologia e matemática. Contudo, essa faculdade primária, o “bacharel” em si, não importa muito para os Americanos. A maioria das profissões exige mais educação do que um simples bacharelado.

Se você pretende, contudo, tirar um bacharel na HES e depois voltar para o Brasil, meu amigo, você terá o mundo aos seus pés! O mesmo vale se você já tem um bacharel no Brasil e quer fazer mestrado na HES. É relativamente fácil de entrar (contando que seu inglês é impecável, né!) e você sai com um diploma de Harvard!

Contudo, não é possível fazer certos cursos na HES como medicina, direito, administração, odontologia, arquitetura, etc. Todos esses cursos profissionalizantes são gerenciados pelas escolas específicas de Harvard, por exemplo, direito é só na Harvard Law School.

Na HES é possível tirar o bacharelado “generalizado” em “artes liberais” (o que não existe no Brasil) com um “foco” específico, como psicologia, biologia, antropologia, arqueologia, letras, economia, artes dramáticas, artes visuais, literatura, jornalismo, história, relações internacionais, matemática, religião, ciência da computação e ecologia.

Também é possível fazer mestrado em biotecnologia, psicologia, tecnologia da informação, jornalismo, administração, matemática, ecologia, antropologia, arqueologia, linguística, história, artes dramáticas, relações internacionais, entre outros cursos mais específicos.

A HES também oferece cursos que emitem certificados profissionais nas seguintes áreas: nanotecnologia, estudos religiosos e educação, engenharia de software, administração estratégica, tecnologias da web.

Além desses cursos, a HES também oferece o chamado “pré médico”, o curso que é necessário fazer antes de entrar em medicina para quem não fez uma faculdade que continha física, matemática, biologia, cálculo e química.

O desafio para brasileiros é o dinheiro e o visto. Americanos contam com uma infinidade de opções de financiamento estudantil, cujas taxas de juros são ridiculamente baixas. Brasileiros, contudo, não têm acesso a esses financiamentos com facilidade.

Cada matéria na HES curta em torno de $990 (dólares) para cursos de bacharel e $1.900 (dólares) para mestrado. Alunos fazem em torno de 2 a 3 materias por semestre. Há apenas os semestres do Outono e Primavera na HES (todas as escolas de Harvard fecham no verão Americano, de Junho a Agosto, para a abertura da Harvard Summer School, a escola de verão). O inverno é englobado por parte do semestre da Primavera e Outono e interrompido pelo intervalo de Natal e Ano Novo (que é bem curto). O problema são os altos custos de vida em Cambridge / Boston, onde fica Harvard. Levando uma vida modesta, morando em quarto alugado, ao invés de um apartamento próprio, uma pessoa precisaria de no mínimo $1.800 a $2.000 dólares por mês, fazendo 3 matérias de “undergraduate” por semestre. Um apartamento próprio em Cambridge não custa menos de $1.200 dólares por mês (e um apartamento bem modesto, diga-se passagem!). Uma casa propriamente dita nos arredores de Cambridge pode custar até $6.000 dólares por mês ou mais dependendo do tamanho. Estrangeiros, contudo, não podem simplesmente chegar nos EUA e alugar imóvel! É como no Brasil, há certas exigências burocráticas, uma delas nos EUA, é a verificação de crédito, coisa que só Americanos ou residentes legais possuem.

Estudantes com limitações financeiras ficam limitados à quartos alugados em casas e repúblicas. Estudantes da HES não têm acesso ao dormitório de Harvard, à propósito. A HES só funciona à noite e é focada para pessoas que trabalham durante o dia e, portanto (supostamente), possuem recursos para se sustentar sem precisar se hospedar na própria faculdade. O dormitório de Harvard é reservado somente para o Harvard College e no verão para a Harvard Summer School.

O grande problema da HES para estrangeiros é que a faculdade, por ser somente à noite (e não em período integral como as faculdades tradicionais nos EUA), não oferece I-20 e F-1, documentos necessários para obtenção de visto de estudante. Há alguns “truques” que alguns alunos estrangeiros usam para driblar esse “detalhe”. O mais comum é se cadastrar também em um “Community College” (uma faculdadezinha comunitária de quinta categoria) ou em um curso de Inglês tipo ESL, que dê o documento necessário para obtenção do visto de estudante. Isso pode acabar sendo positivo, na realidade, pois o aluno acaba podendo fazer muito mais matérias num espaço menor de tempo. Por exemplo, para cursar neurobiologia, uma matéria disponível na HES, é preciso ter cursado como pré-requisito química e biologia. Para cursas química, é necessário ter cursado matemática básica. Tudo isso à nível universitário, não basta ter feito essas matérias no 2º grau. Fazer todos esses cursos de pré-requisitos em Harvard custaria uma fortuna, desnecessariamente. Como o aluno estrangeiro não precisa (nem pode) trabalhar, ele tem o dia inteiro à disposição para cursar outras matérias, em outras instituições, para depois frequentar suas aulas na HES à noite. É bem puxado, mas sem precisar trabalhar ou ter qualquer outro compromisso, além de estudar, é possível. Uma ideia é criar algo que gere renda passiva e/ou permita com que você trabalhe em qualquer lugar do mundo de qualquer computador. Assim, você poderia financiar sua vida nos EUA e os custos dos estudos em Harvard, sem precisar economizar uma fortuna antes de ir. Muitas pessoas que fizeram isso possuem negócios na internet.

Para entrar na Harvard Extension School é preciso, em primeiro lugar, prestar o TOEFL, o teste de proficiência na língua inglesa. Outros testes similares como o IELTS e o Cambridge também são aceitos por Harvard, mas todos precisam ser feitos com menos de 2 anos antes da data de entrada no curso desejado. Se você prestou um desses testes há mais de 2 anos (na verdade, menos tempo, contando que você não vai entrar na HES mês que vem), você precisa fazer o teste novamente. Ao fazer o teste, é preciso solicitar à entidade que aplica o teste que envie os resultados selados direto para Harvard. Não adianta você mesmo dar os resultados para eles, “assim não vale”! O código da Harvard Extension é 3458. É preciso fornecer esse código ao fazer inscrição para prestar o exame. Se você já prestou o exame recentemente, é preciso entrar em contato com a entidade que retém seus resultados e pedir para que eles enviem para Harvard no código 3458.

Você também precisará do seu histórico escolar e diploma traduzido pela única empresa autorizada por Harvard para fazer isso (não adianta levar num tradutor juramentado no Brasil, Harvard não vai aceitar). Se você está indo fazer faculdade, você precisará do diploma e histórico do colegial. Se você está indo fazer mestrado, você precisará do diploma e histórico do seu curso superior. Não mencionamos a empresa aqui, pois evidentemente, Harvard tem o direito de mudar de empresa a qualquer momento e nós não queremos que esse artigo fique desatualizado. de qualquer forma, esse tipo de informação pode (e deve) ser obtida no próprio site da Harvard Extension School.

Alunos estrangeiros precisam também tomar uma série de vacinas (sim, vacinas!) para serem aceitos em qualquer programa em Harvard. Como os alunos estrangeiros estão vindo de países em que certas doenças ainda não foram completamente erradicadas (como malária, febre amarela e rubéola), Harvard exige que visitantes sejam vacinados e comprovem que realmente tomaram as vacinas para segurança dos demais alunos.

O segundo passo para entrar em Harvard, na HES, é fazer as 3 matérias que fazem parte do processo seletivo. Para saber quais são essas matérias, recomendamos que você navegue pelo site da Harvard Extension School e veja quais são os requisitos para o curso que você deseja realizar. Por exemplo, para todos os cursos de mestrado, uma das matérias é obrigatoriamente os seminários avançados. essa matéria, em que os alunos discutem um tema específico durante um semestre e daí cada um apresenta uma dissertação e faz uma apresentação do seu enfoque específico do tema, serve para filtrar os participantes e eliminar os candidatos que não têm condições de seguir um programa de estudos que envolva a produção intensa de artigos (papers) e apresentação oral de seus trabalhos. As outras duas matérias são específicas ao curso escolhido. Por exemplo, para psicologia, além dos seminários avançados, o aluno precisa cursar estatística e a terceira matéria é opcional, mas deve ser ligada à psicologia.

Essas 3 matérias podem ser cursadas no seu próprio ritmo e você pode cursá-las estando nos EUA com visto de turista. Também é possível cursá-las na Harvard Summer School e no curso intensivo de Janeiro, cujo currículo compreende um semestre inteiro de conteúdo em 1 único mês (o difícil é brasileiro aguentar o frio de Janeiro em Massachusetts!).

Você deve se preparar bem para cursar essas 3 matérias! Se precisar fazer matérias de pré-requisito, como matématica para poder cursar estatística, por exemplo, faça essas matérias em Community Colleges, que são bem mais baratos e acessíveis. Esses não precisam ser no mesmo local onde fica Harvard, podem ser em qualquer lugar, mesmo no Brasil, desde que sejam matérias de curso universitário. O problema é que no Brasil não existe essa coisa de fazer uma matéria de cada vez, então você provavelmente precisará cursar matérias avulsas em algum lugar dos EUA mesmo.

É importante levar muito a sério essas 3 matérias em Harvard, pois você tem apenas 2 chances de passar no processo seletivo. Se você falhar em conseguir nota B (8.0) em qualquer uma das 3 matérias, duas vezes consecutivas, você nunca mais poderá se candidatar a nenhum curso da Harvard Extension School! Então, quando você for, vá pra valer! Se você não tem certeza de como seria o seu desempenho numa faculdade Norte Americana, faça cursos em Community Colleges para testar sua capacidade e só faça inscrição nas matérias em Harvard quando você tiver certeza de que tem condições de acompanhar o curso com notas altas!

Se você passar nas 3 matérias seletivas, você precisará então se mudar para o estado de Massachusetts para efetivamente estudar em Harvard. Harvard fica em Cambridge, cidade vizinha à Boston, mas você não precisa morar em nenhuma das duas cidades, onde o custo de vida está entre os mais altos do mundo. Há inúmeras cidades ao redor de Boston, que oferecem uma qualidade de vida espetacular a um custo relativamente mais acessível do que Boston e Cambridge, e diga-se de passagem, mais confortável para nós Brasileiros, que estamos acostumados com casas propriamente ditas, garagem, jardim, quintal, coisas inexistentes em cidades empacotadas e velhas como Boston e Cambridge. Não que essas cidades não sejam bonitas e excitantes… são, mas não são confortáveis para morar, principalmente para nós Brasileiros.

Cursos de “graduação” (para eles undergraduation) podem ser completados em 3 a 6 anos. Cursos de mestrado podem ser completados em 2 a 5 anos. Tudo depende de quão rápido você conseguir fazer as matérias necessárias para obtenção do diploma. A maioria dos alunos cursa 2 ou 3 matérias por semestre, alguns até 4, mas não mais do que isso. Se você só puder fazer 1 matéria por semestre, você precisará compensar na Summer School e no intensivo de Janeiro, do contrário você não conseguirá terminar o curso antes do prazo máximo definido.

A Summer School, contudo, é a escola de Harvard para turistas e sendo assim, o preço das matérias é bem maior! Uma matéria que custa $990 (dólares) na HES, custa $3.900 (dólares) na Harvard Summer School. Mesma matéria, mesmo professor, mesmo material…

Uma coisa legal da HES é que se você for bom aluno (mas “bom” mesmo!) você pode solicitar status de aluno especial e com isso pode cursar algumas matérias no Harvard College (no caso de cursos de graduação), na FAS e na GSAS (no caso de cursos de mestrado). É claro que nesses casos você teria que pagar o preço que pagam os alunos dessas instituições, por exemplo, numa matéria que custa $990 dólares na HES, no Harvard College, a mesma matéria custa $4.900 (dólares). O benefício é que por esse preço, você tem a oportunidade de estudar lado a lado com a elite do mundo e as mentes mais brilhantes do planeta! Nunca subestime a “experiência de Harvard”. Mesmo que seja apenas pelas pessoas, os contatos que você pode fazer nessas circunstâncias podem literalmente mudar a sua vida!

Na próxima parte deste artigo, vamos falar sobre a Harvard Summer School, a tradicional escola de verão de Harvard, que atrai muitos turistas no mundo todo, inclusive brasileiros. Clique aqui para continuar.

PARTE 3: Harvard Summer School – Como estudar em Harvard – Parte 3

PARTE 4: Como estudar em Harvard – Parte 4

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


33 comentários em “Como estudar em Harvard – Parte 2”

  1. Boa matéria, mas discordo de alguns detalhes:

    Exceto pelo custo, Cambridge dá um banho em qualquer cidade da região para se morar. As casa tem sim jardim e garagem, são mais abertas e charmosas do que talvez em qualquer lugar do Brasil. O transporte público é fantástico, andar e praticar esportes é muito fácil (calçadas largas, sem buracos ou desníveis) e há muitas opções como delivery de compras corriqueiras, ótimas academias, restaurantes, etc…

    E, embora o Harvard College seja muito prestigiado, não creio que o Masters da HES possa ser chamado de mais relaxado. Os professores da HES geralmente dão aulas no College ou outras graduate schools de Harvard, as notas são em curva e há estudantes do College, mestrados e até mesmo do Post-Doctorate lá. Se me recordo corretamente, somente 6% dos alunos que se matriculam nas classes completam o programa. Pode ser mais fácil de entrar, mas talvez seja tão ou mais difícil de sair.

    Uma coisa que o artigo não menciona é que a HES é voltada para adultos. Muitos destes adultos já realizaram muito mais e reuniram mais conhecimentos e experiências do que os estudantes do College, o que é ótimo para um adulto que queira se matricular.

    Para um jovem de 18 ou 19 anos, a experiência não é a mesma – este jovem deixa de aproveitar parte do ambiente de uma universidade americana (alunos da HES não tempo para clubes ou confraternizações – muitos trabalham durante o dia) e vai interagir com pessoas de backgrounds/gerações diferentes. A idade média do estudante lá é 33 anos.

    Responder
  2. Quao facil e para reconhecer esses cursos no Brasil?

    Por exemplo, comecei o mestrado em sistemas da informacao pelo HES, no momento moro e trabalho nos Estados Unidos, mas pretendo em breve voltar ja com mestrado em maos. Sera dificil reconhecer esse mestrado?

    Obrigado pelo artigo, muito informativo!

    Responder
  3. Estou fazendo um curso da HarvardX pela internet, e fiquei com muita vontade de estudar lá num futuro próximo. Essa HES é uma boa ideia pra quem é muito estudioso(a) mas não conseguiu um histórico exemplar no colegial (meu caso hehehe). Muito bom o seu blog, tem muitas informações boas que não encontramos em qualquer lugar.

    Responder
  4. Olá, tava dando uma olhada no site do Harvard Extension school e pude ver os cursos que eles oferecem. Gostei de um curso com duração de 3 meses que custa $2200. Não consegui entender se esse valor é para o curso todo ou não.

    Responder
    • Olá Giovanna,

      Você pode citar qual o curso? Pois pelo que eu sei $2.200 é exatamente o preço de cada matéria com valor de graduação, mas talvez você esteja vendo algo que não conheço ou não esteja me recordando sobre a HES. Você tem certeza de que nao está apenas vendo as descrições de cada disciplina?

      Abraços,

      Diego

      Responder
      • Oi, como posso fazer, após concluir minha graduação aqui de Administração, como poderei fazer MBA lá em Harvard, quais os procedimentos específicos?

        Responder
        • Olá Filipe,

          Seu comentário havia ficado preso na pasta de spam pois você incluiu seu email na pergunta, por isso ele não foi respodido antes. Isso não permitido. Também é recomendado começar uma nova discussão, não responder em baixo da pergunta de outra pessoa para não confudir futuros leitores. Aqui é a discussão da Giovanna (acima).

          Para qualquer informação sobre o MBA de Harvard você deve ver a página da Harvard Business School. São inúmeros procedimentos e eles mudam todo ano. Contudo, já posso te dizer que a HBS é preenchida quase que exclusivamente por executivos de grandes empresas que os enviam para lá. Um aluno “solto”, não ligado a uma institução fazendo MBA em Harvard é muitíssimo difícil.

          Abraços,

          Diego

          Responder
  5. Gostaria de saber mais informações sobre os cursos que emitem certificados profissionais, ate onde eu sei nao é necessario toffel e as aulas não são anoite como as de graduação mas nao tenho certeza.

    Responder
    • Olá Vitor,

      Para informações detalhadas você precisa acessar o site de cada instituição que oferece cursos de certificado. Além da Harvard Extension e da Summer School, algumas outras também oferecem cursos rápidos. Alguns não precisam ser feitos necessariamente em Cambridge e podem ser feitos online. Alguns possuem aulas híbridas, são online com 1 ou 2 finais de semana em Harvard. Até onde eu sei, nenhum desses cursos requer TOEFL mesmo. Se você vai estar em Cambridge/Boston pessoalmente por um período, eu sugiro também dar uma olhada nos cursos do MIT.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  6. Não identifiquei essa informação no post, mas vi no site da HES que existe a possibilidade de fazer uma disciplina de forma isolada na modalidade “non credit”. É possível, para quem não é aluno de Harvard, se inscrever somente em uma disciplina (que, no caso, não exige pré-requisito)?

    Responder
    • Olá Jaciel,

      A HES é aberta (open-enrollment). Você pode fazer qualquer aula, mesmo por crédito, é só se matricular. Para se candidatar a algum programa específico, contudo, você precisa passar com nota satisfatória em algumas matérias específicas (cada curso tem as suas exigências), mas só para assistir às aulas, não precisa.

      Fazer aulas “non-credit” não vale a pena. Você paga a mesma coisa que um aluno que está fazendo por crédito (undergraduate) e sai sem nada, não pode nem fazer prova e ser avaliado. Você não recebe nada, nem um certificado de que fez a matéria, nada. É como pagar para ir na sua universidade local e simplesmente sentar em uma cadeira e observar a aula.

      A diferença dos créditos é “undergraduate” que significa crédito de faculdade normal ou simplesmente crédito que conste em um histórico que comprova que você fez a matéria em Harvard e teve a nota X e “graduate credit” que é para quem faz o mestrado da HES. Qualquer pessoa pode se matricular para fazer “undergraduate credit”. Não há qualquer motivo para pagar a mesma coisa para fazer “non-credit”.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  7. olá, Diego. tenho duas dúvidas: é possível conseguir bolsa de estudos para a HES? no caso, já tenho formação superior no Brasil e já iniciei a 1ª das três matérias (cursando remotamente). a segunda dúvida: após cursar as 3 e ser “aceito” para o mestrado, preciso mesmo fazer no campus? achei que era obrigatório cursar presencialmente apenas parte do curso (de 3 a 4 matérias). agradeço sua atenção.

    Responder
    • Olá Ana,

      Só é possível obter financiamento estudantil (que não é bolsa) para a HES se você tiver Green Card or cidadania Americana. Os órgãos Brasileiros que dão bolsa, não dão para a HES e pela escola ou pelo governo Americano, você teria que ser residente legal do país. No mestrado você precisa fazer 3 matérias cuja opção é “campus only”. Matérias híbridas que podem ser feitas no campus e online, mesmo que você faça o semestre todo no campus, não contam. Essas 3 matérias podem ser feitas em 1 só semestre em Harvard ou podem ser divididas da forma como você achar melhor. É possível cursá-las na Harvard Summer School também, mas fazer 3 matérias ao mesmo tempo na HSS seria bem puxado.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  8. Olá, eu adorei a sua publicação. Eu faço graduação de psicologia no Brasil, isso interfere em alguma coisa no curso de extensão de Harvard? Essas três matérias são escolhidas como? E quanto tempo dura esse curso de extensão? Existe alguma agência que auxilie o aluno nisso ou não?
    Desde já agradeço a resposta

    Responder
    • Olá Roberta,

      Se você já faz psicologia, a única coisa que você não pode fazer na Harvard Extension é outra graduação. Você pode fazer pós normal (igual ao estilo Brasileiro) e você pode fazer mestrado. Cada área possui suas determinações para essas 3 matérias. Se você for fazer mestrado em psicologia, por exemplo, uma das 3 é estatística intermediária, outra é o seminário avançado de psicologia e antropologia e a terceira é uma qualquer da área de psicologia (graduate level). A duração dos cursos depende 100% de você. O mestrado tem um tempo máximo de 5 anos, mas você vai fazendo as matérias no seu ritmo e tem 5 anos pra terminar as 9 e defender sua dissertação.

      Não há nenhuma agência que te ajude nisso, pois a Harvard Extension não dá visto de estudante (sendo assim, as agências internacionais não se interessam).

      Abraços,

      Diego

      Responder
      • A pós funciona do mesmo modo? Sobre uma das matérias se estatística, se eu já tiver feito essa matéria na faculdade brasileira eu posso ‘isentar’ ou escolher outra matérias?

        Responder
        • Olá Roberta,

          Não. Pós, assim como no Brasil, não tem pré-requisito nenhum. É só se increver nas matérias e ir fazendo. Se você quiser fazer mestrado em psicologia, não há como escapar da estatística, mesmo que você tenha feito faculdade de estatística ou matemática, por exemplo. O nível que Harvard cobra é extremamente avançado. Eles chamam de “estatística intermediária”, mas na realidade é avançada. A maioria dos alunos de psicologia no Brasil ficariam totalmente perdidos nessa matéria. Estatística de curso de psicologia no Brasil é a básica (equivalente à matéria de código STAT E-100 em Harvard se você for procurar). Como não é essa a matéria necessária para entrar no mestrado, é obrigatório cursar a STAT E-150 que é bem mais avançada.

          Abraços,

          Diego

          Responder
  9. Olá Diego,
    Primeiramente parabéns pelo post, muito rico em informação!
    Estou indo esse ano para Boston como Aupair, então terei uma rotina de trabalho bem cansativa, mas quero aproveitar para alguns cursos voltados para marketing, que é minha área de atuação aqui no Brasil.
    Sou formada em ADM de empresa, e gostaria de fazer apenas cursos mesmo, pois acredito que sendo Aupair não terei tempo para me dedicar a uma pós graduação, como eu gostaria.
    Posso cursar algumas matérias de marketing no HES e ao final eu obtenho certificado de conclusão da matéria, como funciona? Ou você sugere outra escola/ faculdade com bons cursos nessa área.

    Obrigada!

    Responder
    • Olá Thais,

      Você pode fazer matérias soltas na Harvard Extension sim. Inclusive, você não precisa estar fisicamente em Boston, muitas matérias são online. Caso você não esteja lá no início do semestre (janeiro ou setembro), você também pode começar pela internet e depois frequentar as aulas presenciais em Boston. Você, contudo, não receberá nenhum certificado por ter feito matérias soltas. Você pode solicitar à Harvard um documento que confirme que você realmente cursou as matérias X e Y e teve nota tal. Mas é só isso. Esses cursos não são para serem feitos dessa forma, elas fazem parte de uma graduação ou pós-graduação, portanto, eles não emitem certificados soltos se cursados isoladamente. Se você não tem tempo para fazer uma pós propriamente dita, não há nada melhor do que a HES. Você ganha muito mais em fazer matérias do seu interesse dessa forma mesmo e ainda tem uma experiência legítima em Harvard.

      Abraços,

      Diego

      Responder
    • Olá Luiza,

      Não tinha visto sua pergunta aqui, me desculpe. Eu já pensei em fazer January course, mas desisti… conheço gente que fez. O problema é o seguinte: o tempo aqui em Janeiro é muito, muito, muito ruim. Neve, tempestades, aeroportos fechados, queda de eletricidade, anoitece às 4 da tarde (o curso é à noite). É muito difícil se deslocar para chegar até Harvard diariamente nessas circunstâncias. Além disso, os cursos da Harvard Extension são muito difíceis e têm uma carga de trabalho muito intensa. Conseguir dar conta do material em 3 semanas e meia é extremamente difícil. Outro ponto, os cursos em janeiro não valem pra aplicação (se você não é aluna já aceita e matriculada, não adianta fazer).

      Abraços,

      Diego

      Responder
  10. Ola,

    O grande problema dessa escola é o visto. Para conseguir um F1 de outra faculdade, vai ser necessário se matricular no curso e consequentemente gastar uma grana alta.

    Responder
    • Olá André,

      Sim, é complicado porque para ganhar F1 não é necessário só se matricular em alguma outra escola, é preciso se matricular com uma carga horária integral ou pelo menos parcial, o que onera demais o seu tempo e daí para fazer matérias na Harvard Extension além do curso em que você se matriculou em outra instituição pode ficar muito puxado. O que você pode fazer é ir fazendo matérias online na Harvard Extension e se programar para passar verões ou alguns semestres não consecutivos preenchendo os requisitos de residência.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  11. Diego,

    Uma duvida, eu já fui várias vezes para os USA, tanto para trabalhar quanto para estudar.

    Se eu me matricular para a Extension School e entrar como turista, tem problema? Eu liguei na Harvard, e eles disseram que eles só se preocupam com a imigração, ou seja, se eu estiver la eu posso fazer o curso, não importa o visto.

    Outra dúvida, você sabe se nos summer courses, eu consigo pegar certificado também? Ou é somente durante a primavera e o outono? De acordo com a extension school harvard, os cursos são somente na primavera e no outono.

    Abraços e obrigado pela sua atenção.

    Abraços
    Andre Menezes

    Responder
    • Olá André,

      Não é necessário ter visto de estudante pra estudar na Harvard Extension e os cursos da Harvard Summer School contam como créditos para os cursos da Harvard Extension, então é possível se organizar para todo ano, ou de 2 em 2 anos passar alguns meses em Boston para completar os requisitos de residência, que não são muitos de qualquer forma. O resto você faz online. Os cursos de verão aparecem no site da Harvard Extension sim, mas não nessa época do ano. Eles são anunciados lá por maio ou junho só. É necessário TOEFL ou score equivalente para se matricular.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  12. Diego,

    Eu consegui 108 no TOEFL. Por favor, deixa eu ver se eu entendi corretamente.

    Eu conseguiria ir para Boston como turista, de férias por exemplo, e fazer os cursos da Harvard Extension School?

    Quanto ao verão, a Harvard Extension School, também disponibiliza cursos durante o verão?

    Abraços e obrigado novamente. Por acaso você tem facebook?

    Responder
    • Olá André,

      108 no TOEFL é suficiente, mas o resultado precisa ter menos de 2 anos. Você pode fazer os cursos da HES quando estiver de férias com visto de turista sim. A HES é uma escola que atende à comunidade de Boston e Cambridge, então o status imigratório não faz parte da aplicação (pelo mesmo motivo, a escola não dá visto de estudante). A Harvard Extension disponibiliza cursos durante o verão através da Harvard Summer School.

      Abraços,

      Diego

      Responder
  13. Olá Diego. Adorei seu post! Irá ajudar bastante!!!!

    E para quem tem cidadania européia e pode residir nos EUA? Pode conseguir bolsa?

    Camila

    Responder
    • Olá Camila,

      Cidadania Europeia não oferece nenhum benefício nesse sentido. O Europeu também não pode ficar nos EUA mais do que o tempo do visto e também não é elegível para a maioria das bolsas.

      Abraços,

      Diego

      Responder

Deixe um comentário