É possível motivar pessoas?

Franciane Ulaf

É possível motivar pessoas

Hollywood mostra em seus filmes técnicos de times esportivos, donos de empresas, líderes de comunidades fazendo discursos empolados, conduzindo todo um grupo em direção à conquista de uma meta comum.

Esse é o sonho de qualquer gestor: ser capaz de motivar seus funcionários energicamente, conquistando uma legião de seguidores que farão de tudo para conquistarem as metas da empresa.

A realidade, no entanto, é que nem todo gestor é um líder nato e a grande maioria dos funcionários não está nem aí para as metas da empresa, eles querem um pagamento no final do mês, só isso.

O gestor desesperado contrata, então, um profissional de RH (que também não está interessado nas metas da empresa!) para criar programas de incentivos. O resultado é um ambiente artificial onde funcionários interessados na recompensa farão o que for possível para conquistá-la. O grande erro, entretanto, é acreditar que isso é motivação.

Como empresas como Google e Microsoft conseguem manter um nível de produção quase eufórico entre seus funcionários?

Dica: elas não usam programas de recompensa ou incentivos, nem trazem um palestrante motivacional por semana para levantar o ânimo do pessoal!

Em primeiro lugar, elas garantem que o ambiente de trabalho inspire liberdade, igualdade e abertura. Sem esses três elementos juntos, não há motivação e também não há produtividade. Ambas as empresas incentivam seus funcionários a criarem e desenvolverem seus próprios projetos. Elas sabem que as pessoas dificilmente se motivam para seguir as metas alheias (ou da empresa), então a “tática” é fazer com que o funcionário crie sua própria meta dentro da empresa.

Diversas das grandes iniciativas do Google – do Gmail ao Froogle – saíram de “metas pessoais” dos próprios funcionários. Não é a diretoria que chega e “informa” a todos: “Nós desenvolveremos esta plataforma de e-mail chamada Gmail e contamos com a colaboração de todos”, da forma como ocorre nas empresas convencionais. Não, é o funcionário que tem “uma grande idéia” e conta com o apoio da empresa para desenvolvê-la.

Esse é um dos “segredos” que fazem com que essas empresas tenham um nível de motivação tão alto entre seus funcionários, mas ainda há muitos elementos nesse quebra-cabeça e todos eles são diferentes do que as empresas convencionais utilizam. Se há uma dica final que eu posso dar aqui neste artigo é esta: abra mão do controle!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


4 comentários em “É possível motivar pessoas?”

  1. Venho acompanhado todos os textos sobre MOTIVAÇÃO em o Segredo .
    No texto deixam claro que liberdade, igualdade e abertura são essenciais para a motivação e que Sem estes 3 elementos juntos, não há motivação .
    Pergunto : Trabalho em uma empresa onde os três elementos acima não fazem parte,ou seja, trabalho em uma força Militar onde não existe Liberdade de expressão, nem Igualdade muito menos abertura . Como motivar seus colaboradores ?
    grato

    Responder
  2. BOA TARDE!!

    É motivador participar deste fórum.

    Em primeiro lugar quero dizer que trabalho em uma empresa nacional, com 130 funcionários. Cada vez mais a empresa (A ALTA DIREÇÃO), quer controlar os funcionários e, está se perdendo cada vez mais.Ultimamente só se contrata “chefe” ; e o resultado = deterioração da qualidade, entregas atrasadas. Há uns 5 anos, a empresa entregava tudo em dia, com melhor qualidade. Agora, a empresa está desesperada (a ALTA DIREÇÃO); O QUE ESTÁ ACONTECENDO ? Os funcionários tocam seu dia a dia como se nada estivesse acontecendo. O que pode acontecer ? A empresa logo poderá fechar, pois o cliente vai procurar novas opções no mercado. – E os funcionários ?? – Vão receber suas indenizações e vão partir para outra empresa.

    Responder
  3. Em primeiro lugar, as pessoas podem motivar-se por quaisquer motivos e nas mais diferenciadas situações. Vejamos: é sabido que o consumo é uma atividade fortemente disseminada no sistema capitalista, e, mesmo sendo um “estímulo externo”, é comum encontrar indivíduos “verdadeiramente ou intrinsecamente motivados” para o consumo. Assim como a corrida para o alcance ou resgate do status, reconhecimento público; vício pelo jogo, etc, etc e etc. isso é um fato – e perfeitamente observável no meio!
    Outro ponto é o mito da “Motivação positiva”: quantos líderes encontram verdadeiras barreiras para estimular colaboradores que se encontram na contramão dos princípios e valores da organização porque suas ações se encontram eivadas de posturas negativas, depreciativa – verdadeiro ato motivacional!!!
    E, para finalizar, temos o fato de que não podemos generalizar este estado psicológico no repertório total do comportamento humano.Isto é, a motivação não pode ser estendida a todos os aspectos da conduta humana. Dessa forma, não é possível a pergunta: “Afinal, ele está ou não motivado?”
    Obrigada,
    Angela Paes!

    Responder
  4. Olá me chamo Vanessa, cheguei até vocês através de um trabalho postado na internet sobre motivação, li o trabalho e me identifiquei muito com as palavras da autora, na verdade estou fazendo um trabalho sobre motivação onde estou usando como base o livre ” As pessoas nas organizações”, da Editora Gente, onde é sitado as principais teorias da motivação e que mesmo assim não chegam a resposta de como motivar seus funcionários?
    Ao ler seu artigo ao som do meu filho chorando, tadinho ele só tem 3 meses, consegui enxergar com mais clareza o tema, consegui até enxergar meu papel dentro da organização, me considero como perdedora, porque não sei exatamente quais são meus desejos, penso em conquistar muitas coisas, principalmente agora que sou mãe e não encontro forças, muitas vezes até chego a me sentir entusiasmada, mas depois me desanimo, não sei encontrar dentro das minhas inúmeras admirações pelas coisas da vida, meu real desejo, que me motive de verdade.
    Hoje estudo administração de empresas, já tentei fazer um curso de comissária de bordo, pensei até em ser modelo, fiz buque, me inscrevi em algumas agencias, mas nada.
    Sei que o que escrevi é muito pouco de mim, mas acredito que já tenha se deparado com casos semelhantes, gostaria, é claro se possível, de uma orientação, para que eu possa me direcionar na vida, hoje tenho 25 anos, tenho muita vontade de ser reconhecida, e de fazer com as pessoas se impressionem comigo, porém não sei por onde começar, nem que direção tomar, muito menos o que fazer para alcançar isso.

    Obrigada pelo espaço!
    Vanessa

    Responder

Deixe um comentário