Força de Vontade – De onde ela vem?

Jonathan Farrell

Força de Vontade

Ontem, eu e uma equipe de consultores conduzimos um workshop em uma academia de fitness. As dúvidas, quase angustiantes, daqueles que buscavam perder peso, estavam em sua maioria relacionadas à força de vontade. Como manter a força de vontade numa jornada penosa e desagradável como a perda de peso?

Eu recorri a uma das mais famosas frases de Nietzsche: “Quem tem um porquê pode enfrentar todos os ‘comos’”. Seja na perda de peso, na conclusão de um curso universitário, na progressão de uma carreira, ou na superação de qualquer obstáculo, a força de vontade e a motivação estão diretamente relacionadas aos motivos mais profundos pelos quais a pessoa faz o que faz. No entanto, é triste observar que grande parte das pessoas não tem “motivos” maiores do que pagar as contas e sobreviver. Não, essas pessoas não são simples vítimas do sistema, elas abdicaram do seu próprio poder pessoal para se fazerem de vítimas – e isso é diferente.

Você pode me chamar de insensível, mas eu particularmente não acredito em vítimas – ao menos não nesse sentido em que estamos falando. A pessoa que se sente vítima acha que não é capaz de lutar por objetivo algum, pois pensa que não tem escolha, que sua situação é determinada por forças além do seu controle e qualquer tentativa de lutar “contra o sistema” seria perda de tempo e esforços. A “vítima”, então, aceita passivamente sua condição.

Voltando à frase do Nietzsche, a vítima não tem “porquês”, não tem motivo algum para fazer o que faz – ela tem desejos, mas não tem motivos. Essa situação faz com que ela não consiga enfrentar nenhum “como”, tudo fica mais difícil, qualquer obstáculo se torna intransponível, pois ela não tem razão real para enfrentar algo que exija mais do que ela está disposta a dar.

No caso dos nossos amigos gordinhos da academia, foi muito difícil para eles compreenderem esse conceito, pois quem quer emagrecer, quer emagrecer e ponto, certo? Tem motivação maior que o desejo de ter um corpo perfeito? Sim, a vontade imediata de comer um chocolate, um pedaço de bolo, uma carne bem gorda! E para a maioria das pessoas que luta contra a balança, esses momentos são mais importantes que o corpo perfeito, mesmo que elas não compreendam isso conscientemente.

O objetivo da perda de peso é um exemplo clássico e perfeito, pois é possível ilustrar com perfeição os obstáculos e a maioria das pessoas, em algum ponto da vida, já passou por isso. O esquema funciona da mesma forma com qualquer outro objetivo em sua vida.

Você falha, pois dá prioridade a vontades imediatas. Seu “porquê” é fraco ou até mesmo inexistente e, portanto, não sustenta a força dos “comos”.

Nietzsche está coberto de razão. Só é possível conquistar alguma coisa na vida quando os motivos são fortes o suficiente (emocionalmente falando) para que a pessoa enfrente os sacrifícios necessários.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


5 comentários em “Força de Vontade – De onde ela vem?”

  1. Em primeiro lugar quero elogiar o artigo, bem como o site como um todo. Parabens.
    Quanto ao assunto em questão:
    Trabalho com coaching e tenho descoberto que as pessoas não tem mais sonhos, apenas necessidades a serem supridas. Nosso povo está perdendo o jeito de sonhar e acreditar que tudo poderá ficar melhor, acham que o sonhos foram feitos para as crianças.
    Assim sendo qualquer objetivo é dificil de ser superado.

    Responder
  2. Parabenizo o trabalho. Suas ferramentas . pra mim tem sido muto úteis.
    Tenho feito nova avaliação de meu trabalho, como palestrante-consultor. Com certeza terei os resultados esperados.

    Abs.,

    Luis Costa

    Responder
  3. Primeiramente parabéns pelo artigo pois consegue expressar exatamente o que acontece com a maioria das pessoas. É esclarecedor e no meu caso motivacional, sempre apreciei o conceito e a forma de encarar a vida e agora estou tendo a oportunidade de me aprimorar atraves do site e desse blog.

    Responder

Deixe um comentário