Como superar o medo

William Johnson

Como superar o medo

O medo, ou simples insegurança, pode boicotar o melhor dos planos. De fato, a grande maioria das pessoas mantem-se numa vida ordinária e sem grandes conquistas pois este é o preço que pagam por terem medo de tentar uma vida melhor.

É como um acordo sem palavras feito com o próprio destino – eu fico aqui quietinho, vivendo a minha vida medíocre, não vou fazer nenhum movimento brusco com relação aos meus sonhos, em troca você me dá conforto e segurança, ok?! O destino responde ok e a pessoa assim vive, tranquila, com uma falsa felicidade estampada no rosto, que mais poderia ser traduzida como contentamento.

Construir uma vida de sucesso requer audácia, coragem, ousadia. Requer sair da zona de conforto e enfrentar situações que causam frio na barriga, ansiedade, incerteza. Seja mudar de emprego, falar em público, publicar um livro, conhecer pessoas novas, realizar atividades das quais não se está familiarizado. Passar por situações como estas pode ser difícil, mas não mata. Mesmo assim, a grande maioria das pessoas prefere desistir de seus sonhos do que, por exemplo, ter que falar em público.

Uma das características das pessoas que conquistam repetidamente seus sonhos é justamente o despojamento para passar por situações que causam medo e insegurança. Enquanto o perdedor foge da situação com o rabo entre as pernas, o vencedor respira fundo e mesmo com o coração disparado e com o frio na barriga ele segue em frente.

Ao passar pela curva do medo, o vencedor descobre o segredo que abre um mar de distância para com aqueles que desistiram. O irônico é que todos nós ouvimos este suposto segredo de nossos pais e de nossas professoras primárias repetidas vezes ao nos depararmos com situações desconhecidas na infância! Minha mãe costumava me falar sempre que eu ameaçava desistir de um desafio: “isso não é um bicho de 7 cabeças, mas você só descobrirá se tentar!”

Eu me lembrei do que minha mãe me dizia quando por trás de uma pilha de nervos eu tive que falar em público pela primeira vez. Foi difícil, eu confesso, mas depois da 5º ou 6º vez começou a fazer parte da minha natureza. Hoje eu sou um palestrante profissional. Eu tive a opção, entretanto, de recusar o primeiro convite e jamais ter falado em público na vida, eu optei por enfrentar o meu medo e não me arrependo.

Em um de nossos programas de coaching em que temos a oportunidade de trabalhar com as mesmas pessoas por pelo menos 1 ano, uma das tarefas que propomos aos participantes é fazer uma lista das coisas que eles têm mais medo de fazer. O desafio então é fazê-las até o ponto em que não há mais medo. Os resultados na auto-estima e autoconfiança dos participantes é fantástica!

Certos medos são justificados e normais como medo de afogar-se, medo do fogo, de aranhas ou da morte. Não conheço um só indivíduo que não tenha medo de nada – se há alguém assim, esta pessoa provavelmente é louca! O problema em si não é sentir medo, mas deixar de air em prol do que você deseja por causa da insegurança. O medo entretanto, nada mais é do que a ausência de conhecimento e experiência sobre algo. O segredo para vencê-lo é justamente conhecer e experenciar o que lhe causa insegurança.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


7 comentários em “Como superar o medo”

  1. Boa tarde,

    Li todos os artigos postados ate 13/09/2007 e è impressionante como estou mapeando minhas dificulades de auto estima. Com certesa todos os fantamas presentes na minha cabeça estao baseados no medo de tentar ou ser desaprovada por alguem . Espero com este site, ir quebrando meus “paradigmas” e aprender a nao ser tao vitimas nas situaçoes que vivo.

    Obrigada Sr Johson

    Responder
  2. OLá?!!

    Amo ler os artigos e confesso me identifico pelo menos em um ponto em todos eles; estou passando por um deses frios na barriga….rs tenho que falar a 16 técnicos em informática sobre um banco de dados elaborado por mim…eu?! Sou uma sonhadora que está na fase de ‘me vejam’ ‘eu posso’ rsrsr o Drº. Willian tem razão não tem coisa melhor do que o frio na barriga…porque quando se torna fácil está na hora de novas conquistas…

    Um grande abraço,
    Rosana Militano.

    Responder
  3. Acabei de ler o artigo sobre medo. Confesso que me incentivou a pelo menos tentar superar o medo que tenho de apresesentar simpósios em sala de aula. Nossa, não sei o que acontece, pois estudo todo o programa, mas quando chega a hora de apresentá-lo à turma ocorre aquele chamado “branco”, não sinto meus pés, minha voz fica trêmula e acabo falando um monte de palavras erradas. Já tentei trabalhar isso, mas ainda não superei, pois a cada apresentação sempre acontece o acima descrito. Gostaria de mudar isso na minha vida.

    Um abraço

    Pedrina

    Responder
  4. Gosto muito de vir ao site, ler artigos e opiniões, porque ajuda a me localizar quanto aos meus conflitos.Vejo então, que tenho boas vitória!Hoje, tenho medo mesmo, é de sair a rua por causa da violência.Prefiro chamar esse medo dito no artigo de timidez.Eu já sofri bastante desse mal.E ele é muito prejudicial, mesmo! porque cria uma baixa estima na pessoa e uma frustração,sensção de incapacidade capaz de produzir a infelicidade e apatia.Daí, a doença! Por isso, agradeço muito por ter esta oportunidade de ter um espaço a disposição com orientação qualificada para compartilhar. Obrigada !

    Responder
  5. É interessante que ao ler e ouvir de alguém tentativas positivas para nos livrar e enfrentar nossos medos, torna-se fácil e dá uma sensação de bem estar, mas na hora que temos que realmente encarar, representa ser o pior problema que existe… isso é o que acontece comigo, sofro muito com isso, parece que parei no tempo…não consigo superar meus medos, e quando tento os enfrentar, fico muito frustrada, parece que o dia já não vale nada mais para mim…gostaria de ajuda…

    Responder
  6. Adorei o artigo e me identifique muito. Pois já pedir várias oportunidades por conta do medo de errar e não corresponde. Morro de medo de falar em público.Gostaria muito de mudar isso.
    Forte abraço,
    Teresa

    Responder

Deixe um comentário