Pensamento Positivo – Tudo é muito relativo!

Franciane Ulaf

Pensamento positivo

Pensamento positivo é um dos grandes mitos que envolvem o sucesso e a autoajuda. O que é positivo, o que é negativo, é tudo muito relativo, o que importa é o que você pensa e quais os sentimentos relacionados, se é positivo ou negativo dentro do seu ponto de vista particular pouco importa…

Dentre os diversos temas que são mal compreendidos na área da auto-ajuda, acredito que o “pensamento positivo” seja o que mais ganha interpretações equivocadas.

A mentalidade da sociedade ocidental é fortemente influenciada pelos milênios de religiosidade que fortaleceram um paradigma maniqueísta em que há o bem e o mal somente. Ou você está certo ou está errado, ou você é bom ou é ruim, ou você tem pensamentos negativos ou positivos.

O mundo, no entanto, não é preto e branco. Enxergar as nuances de cinza, porém, requer uma sabedoria e uma maturidade que não nos é ensinada na escola, nem desenvolvida em nosso processo de crescimento – em que se formos bonzinhos, somos recompensados; se fizermos algo que contrarie as “regras”, somos punidos.

Aprendemos a interpretar o mundo, as pessoas e a vida em termos de certo ou errado, bem ou mal, bom ou ruim e tudo isso de acordo com o nosso próprio ponto de vista. O que é certo e o que é errado? Depende. Depende do que EU penso sobre o assunto, não é assim?!

Um dos grandes obstáculos que temos encontrado ao falar sobre a lei da atração e de como seus pensamentos influenciam seus resultados na vida está justamente na má interpretação que as pessoas fazem do que é exatamente “pensar positivamente”.

É comum, por exemplo, ouvir pessoas questionando por que nada dá certo em suas vidas, por que elas não conseguem o que querem se são tão positivas. “Eu não penso mal de ninguém, sempre vejo a vida como um copo metade cheio, sou otimista e, mesmo assim, as coisas não acontecem pra mim, qual o problema?” – essa é uma pergunta freqüente!

E a resposta está no próprio paradigma que a pessoa está usando para interpretar os fatos. A lei da atração diz que você atrai o que está em seu foco de atenção, aquilo que você pensa com mais freqüência, com EMOÇÕES positivas sobre o que você quer. E isso dá pano pra manga, pois vejo que a maioria das pessoas não sabe diferenciar exatamente o que pensam do que sentem, suas intenções racionais de suas intenções motivacionais.

Há alguns anos, uma jovem executiva nos procurou para aconselhamento de carreira. Ela tinha altas metas profissionais e queria crescer rápido. Ela dizia que sua prioridade máxima era sua carreira e que a construção de uma família ficaria para depois.

Com o tempo, porém, fomos percebendo que apesar de suas intenções RACIONAIS sobre sua carreira, ela passava todo o seu tempo mental livre sonhando acordada com uma família. Ela dizia que essa era uma forma de esvaziar sua mente dos problemas no escritório e devanear sobre algo diferente – o que, no fundo, era uma desculpa que mascarava suas intenções motivacionais. No entanto, quando ela finalmente “atraiu” a família que tanto sonhava, a frustração e depressão tomaram conta de sua vida. Apesar de desejar ardentemente construir uma família, ela não queria uma naquele momento de sua vida. Não que carreira e família não sejam compatíveis, mas não era isso que ela desejava conscientemente. Seu cérebro e seu coração entraram em guerra e até o momento ela ainda luta contra a frustração de ter começado uma família no momento errado de sua vida.

Veja que seu pensamento constante em construir uma família não era positivo nem negativo, apenas era contrário ao que ela estava tentando construir e até hoje lhe causa frustração. Se ela estava certa ou errada, definitivamente não é o caso! O FATO é que seus pensamentos e sentimentos freqüentes atraíram algo que ela não desejava naquele momento de sua vida e ela ainda não conseguiu lidar com isso.

Vemos casos como esse a todo momento. A pessoa deseja algo conscientemente, define metas, faz planos, mas seu padrão de pensamento está em outro lugar. Positivo e negativo é muito relativo. Não pensar mal de ninguém e ser otimista não o levará a lugar algum, o que construirá seu futuro são seus pensamentos constantes somados com o padrão de sentimentos que você coloca em cima deles.

Para ir um pouquinho mais a fundo nesse assunto, procure pensar em quais os sentimentos que dominam o seu dia-a-dia. Medo? Frustração? Irritação? Ansiedade? Motivação? Entusiasmo? Sobre o que você costuma devanear quando não tem que pensar em nada? Quais os sentimentos que vêm à tona? Como você reage quando se depara com um problema inesperado? Fica bravo e irritado? Frustrado? Corre para pedir ajuda? Sente-se confuso? Ou olha o problema com sangue frio e começa a mapear mentalmente as possíveis soluções e testa uma a uma sem se alterar emocionalmente?

É engraçado que muita gente que se considera “superpositiva” é vítima constante de sua própria atitude – que, em seu próprio ponto de vista, seria considerada negativa –, mas essas pessoas parecem se esquecer disso quando pensam sobre si mesmas. Em dinâmicas de grupo, observamos esse fato com bastante clareza. É comum candidatos a vagas de emprego que se auto-intitulam pró-ativos, positivos e otimistas (e eles realmente acreditam que o são, sem intenção de enganar o entrevistador!), mas basta colocá-los em situações de problemas reais para que a realidade venha à tona.

Temos a tendência de “esquecer” nossas reações ao pensamos sobre a nossa vida e personalidade. Se você se considera uma pessoa positiva e otimista e acha “estranho” que sua vida não reflita isso, faça esse exercício: procure lembrar com clareza como você reage quando enfrenta problemas, adversidades e competições e procure observar o seu padrão de pensamento e sentimentos durante o dia. Isso revelará muito mais sobre o destino que você está construindo do que você pode imaginar!

Não deixe de registrar sua opinião e/ou perguntas na seção de comentários abaixo!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


13 comentários em “Pensamento Positivo – Tudo é muito relativo!”

  1. Concordo plenamente com o texto do “Pensamento Positivo”. Aliás, mais importante do que o pensamento só por si, são mesmo as nossas emoções e sentimentos, pois como meu mestre me ensinou: “Nós não somos o que pensamos, somos o que sentimos!” e “a mente serve para nos ajudar a ir onde o nosso coração nos manda” Leia-se coração como emoções, intuição, energia, tudo o que nos guia na nossa vida! O que aconteceu à moça da família, foi que toda a anergia dela pedia a família, mas ela só mentalizava o trabalho, aí é claro que só podia haver um conflito interior com as consequências descritas.
    Bem Haja a todos da Equipa de Sonhos Estratégicos

    Responder
  2. Relativo, incessante, emocional e incoerente… Pensar positivo, porem com proposito negativo, isso é relativo, o proposito negativo, é parte de um processo estrategicamente planejado, os fins sempre justificarão os meios, ou não?!

    A grande questão Fran, é saber o que é entendido como positivo pelo “Universo”, desejar incontrolavelmente com pensamento concreto e posição coerente um objetivo nobre, mas com um processo digamos, maquiavelico, como é subentendido pelo universo?

    Nem sempre o pensar positivo, é o que o universo espera de vc, falar em positivo e negativo, é muito “relativo”. A grande sacada seria, mudar a palavra fortalecedora, de Positivo, para… (À que melhor se adpatar a sua perspectiva, essa é a real)

    Extravase, não importa o que custar, sempre faça as coisas de “uma certa maneira”.

    Responder
  3. Christian,

    Fiquei com a impressão de que você não compreendeu exatamente o que a autora quis dizer, pois ela disse exatamente a mesma coisa que você! Pelo que eu entendi, o X da questão neste artigo é exatamente mostrar que positivo e negativo é totalmente relativo e ligado à nossa própria interpretação do que é positivo ou negativo e não tem nada a ver com a lei da atração em si.

    Por tudo o que já vi sobre este assunto, o Universo não julga, não faz diferença entre positivo e negativo, não tem uma moralidade que enquadra o seu desejo como “adequado ou inadequado”…

    Um ladrão por exemplo que queira roubar um banco e mantém seus pensamentos nisso, mantendo uma autoconfiança positiva, ou seja sem medo ou ansiedade, hipoteticamente conseguiria realizar o roubo com sucesso. Sei que meu exemplo é um pouco bobo, mas estou pouco criativo hoje! O que quero dizer é que bom e mau, certo e errado é definido por nossa própria moral.

    O universo não julga se seu objetivo é nobre ou não, se vai prejudicar outras pessoas ou não, ele te dá o que você pede, se você conseguir se concentrar o suficiente nisso. As consequências são de responsabilidade sua!

    Responder
  4. olá,

    Me identifiquei com a profissional do texto , pois ocorreu o mesmo comigo . estava a mil com minha carreira de cantora ,era ótima e frequentemente comparada a Elis Regina de tão boa , não estou aumentando não. estava com tudo esquematizado para viver plenamente meu sonho de ganhar dinheiro fazendo o que gosto . Mas ficava sonhando com um bebê , com um esposo etc . fiquei grávida , parei de cantar , casei , meu marido é muito acomodado , não tem ambição , acho minha vida chata e sem graça , nem se compara a vida que eu tinha , shows , pessoas interessantes , etc . hoje estou tão desmotivada que nem consigo cantar , parece uma maldição , amo meu bebê mas a vida ficou óbvia demais , acho até que estou com depressão , tenho raiva de meu marido por ele ser assim tão sem sal , ao mesmo tempo não queria me separar mas não estou aguentando a vidinha de casada , nasci para ser livre e viajar , me expressar ao máximo , atualmente me sinto uma velha mesmo sendo jovem , pois esta vida de casada é como se os dias fossem todos iguais , sabe aquele filme que o cara acorda sempre no mesmo dia? é o que esta acontecendo comigo , sinto-me presa dentro de um espaço tempo que não suporto !!!!!!! perdoem meu desabafo!!! mas pensem nisso , curtam suas vidas e trabalho , desenvolva seus talentos , viaje , viva a vida , filhos são ótimos mas não tem quem não fale que muda tudo , realmente muda tudo.

    abraço

    Clara

    Responder
  5. Bom dia!

    Eu acho que temos que ter pensamentos positivos sim, mas o que é cruel em nossa vida. é que muitas vezes nos aliamos a pessoas erradas, que apesar de serem boas , não nos fazem crescer como gostaríamos; nesse ponto eu concordo com a clara, que desabafou e por coincidência tenho o mesmo problema que ela: adoro cantar, mas apesar dos elogios e incentivos, sempre teve um marido para brecar tudo! Quem mandou casar…

    Responder
  6. Como vão!!!!

    Ficou evidente no artigo um antagonismo muito grande na executiva que descreveu sua situação: A força do pensamento racional (a idéia de se desenvolver profissionalmente e rápido) é inferior a força do sentimento ou sensação(de construir uma família)!!!!!

    O porque é que se achar em um relacionamento e este se aprofundar é muito fácil pela força natural do sentimento e da natureza dos seres vivos!!!!!

    Porém imaginar uma carreira e propósitos profissionais-financeiros são conceitos desenvolvidos pelo homem!!!!

    O que quero dizer é que família é uma idéia que praticamente se movimenta sozinha no ser humano porque não envolve só sentimento de uma pessoa para outra, mas outras sensações, inclusive físicas e daí para originar uma família não precisa muito esforço!!!

    Para construir uma carreira e pensamento tem de ser tão intenso quanto a sensação de se contiuir família e para que isso ocorra é necessário muita repetição e repetição para alcançarmos a positividade necessária!!!!

    Além disso, creio que não pode existir esse antagonismo interior no ser humano que deseja formar uma família, assim como no que deseja sucesso profissinal, ressalvando que no segundo caso – profissinal – o esforço e foco, assim como o desejo para atingir as metas têm de ser intensamente trabalhado para que o pensamento racional e as emoções relacionadas sejam coerentes e as ações se direcionem ao objetivo.

    Na verdade, o exemplo demonstra o desafio verdadeiro que um profissional encontra na carreira:
    “Nesse momento desejo mesmo meu sucesso profissinal ou desejo família, filhos,….”

    abraço,

    Wilson

    Responder
  7. Achei interessante a exposição da autora em relação a positivo e negatico. Mas prinicpalmente o que é movido para nós sobre o pensamento.

    O ato de reflextir é fundamental.
    O que somos, o que queremos, o que fazemos.

    Responder
  8. Muito interessante a explicação de Wilson! Incrível este antagonismo!! Parece que vida pessoal/sentimental (família, amor etc…) não é compatível com a vida profissional/racional!!! …. E isso é devido à ‘formação’ humana, infelizmente ainda principalmente para as mulheres, que são mais ’emoção’ e que cresceram ouvindo que deveriam se casar, cuidar da casa, ter filhos etc… Isto ainda faz parte do inconsciente coletivo e gera um conflito enorme na vida moderna!! Que bom quando podemos conciliar todas as áreas de nossa vida de forma positiva…

    Responder
  9. Ah, só para continuar com essa idéia do antagonismo, me lembrei de um fato interessante que aconteceu comigo. Desde bem pequena, sempre gostei de estudar, ler e me informar sobre tudo. Quando tinha mais ou menos 16 anos meu pai me disse que se eu continuasse estudando, pensando em crescer intelectualmente, “nenhum homem iria querer se casar comigo” (aquela velha idéia de que os homens não gostam de mulheres cultas…). Nem precisaria dizer que ele disse isso porque era o que ele acreditava, o que pensava ser verdade… Ironicamente, quem me ensinou a ler antes mesmo de ir para a escola foi ele! Cresci e, depois de alguns relacionamentos e dois casamentos fracassados, me dei conta de que INCONSCIENTEMENTE ACREDITEI no que ele disse!! Meu pai sempre foi uma figura importante na minha vida e, claro, o que ele dizia ficava muito bem gravado em minha mente. Então me deparei com uma dualidade: ele queria que eu crescesse com uma boa educação (me ensinou a ler tão cedo…) e queria que eu me casasse e tivesse uma família – mas as duas coisas não eram compatíveis!!! Continuei a estudar, fiz duas universidades, tenho uma carreira. Desde há muito tempo acredito que posso mudar o passado, as crenças, mas acho que ainda estou lutando para me livrar dessa teoria que ficou tão encravada…. 🙂

    Responder
  10. Em minha opinião eu acho que o pensamento positivo pode ajudar muito, desde que a pessoa procure se aprofundar no conheciemnto e praticá-lo em sua vida. Acho que é o primeiro passo para mudança de comportamento,em vez da pessoa afirmar positivamente, ela deve afirmar que está em processo de mudança e não que já mudou! Por que assim vc não estará se enganando afirmando uma coisa que ainda não aconteceu, assim no processo vc se aceita e trilha o caminho até a conquista da afirmação positiva em sua vida. Abraços….por favor fran me corrija se necessário quero aprender muito com você, aprendi te adimirar sem te conhecer….

    Responder

Deixe um comentário