A falsa motivação

John Mackenzie

A falsa motivação

Há pessoas que são dependentes de “artefatos” motivacionais, seja uma mensagem, um texto, um livro, uma pessoa, uma idéia, uma música, um filme… Por um breve momento, elas “emprestam” a energia daquele artefato para tocarem a vida, mas aquele combustível acaba… e muito rápido!

Resolvi escrever este artigo porque a minha experiência me diz que há muitas pessoas que ainda não deixaram cair a ficha, que ainda continuam atrás de um combustível efêmero para prosseguirem com suas vidas. A energia fornecida por esses artefatos é responsável por uma falsa motivação, uma motivação vazia. Algumas pessoas se viciam nesses elementos, tornam-se  dependentes e não conseguem se sentir bem e tocar a vida sem eles. Conheço pessoas que toda manhã precisam ler uma mensagem daqueles livrinhos de cabeceira para começar o dia!

Esses artefatos não são de todo negativos. O problema é quando eles se tornam “necessários”. Esse caso evidencia que a pessoa vive uma vida sem rumo, ela apenas cumpre com sua rotina dia após dia. Sua realidade é tão angustiante e frustrante que ela precisa constantemente de elementos externos para se sentir bem, pois ela não consegue encontrar nada dentro de si.

Essa não é uma situação sem saída, entretanto. Já vi muita gente mudar da água pro vinho, transformando-se de uma pessoa apática e desmotivada para uma fonte contagiante de energia. O que aconteceu? Claro que cada caso é um caso, mas o pilar dessas mudanças foi o encontro de um objetivo a ser alcançado. Não faz sentido? Motivação vem de motivo, se o motivo pelo qual você vive o dia-a-dia é chato e desinteressante – como sobreviver e pagar as contas –, por que é que você vai se sentir motivado? Mas se o motivo é algo a ser alcançado, um desafio, uma meta, a coisa muda completamente de figura, não?

Agora, a meta deve vir do fundo do seu coração. Digo isso porque já vi diversos casos em que a pessoa “aprende” que um dos segredos da motivação é definir metas, então ela senta e põe no papel uma série de objetivos a serem conquistados e fica esperando que eles “façam efeito”! Se não há vontade profunda de atingir um resultado, esqueça… Definir metas por si só não adianta nada! É preciso encontrar aquele sonho que você guardou lá no fundo porque precisava parar de pensar nele para poder pagar as contas. Encontre-o novamente, transforme-o em um sonho estratégico e mãos à obra. A motivação será uma conseqüência natural!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


1 comentário em “A falsa motivação”

  1. Nao entendo porque as minhas depois dos 50 anos amigas e uma irma, estão todas virando ZEN ?. Eu percebi que elas todas são chatas e não tenho nada em comum mais. Percebi que todas são curta e grossa! Parece tipo um culto para fazer a pessoa ficar sem sentimento nenhum. Tipo curta fria e grossa mesmo! Alguém sentiu o mesmo que eu estou percebendo desses falsos motivadores?

    Responder

Deixe um comentário