Marketing Pessoal: Aprenda a vender a si mesmo!

Jonathan Farrell

Marketing Pessoal

A capacidade de vender (o que quer que seja) é um dos grandes segredos do sucesso. Todavia, esse conceito encontra ampla resistência em pessoas que vêem a ideia da venda como algo pejorativo e negativo. Digo em meus cursos e treinamentos: “Você precisa, em primeiro lugar, aprender a vender você mesmo!”, e passo a próxima meia hora dando conta dos contra argumentos que surgem!

Ao longo de toda a história da humanidade, profissionais inescrupulosos cuidaram para que o conceito da venda fosse bastante deturpado, a resistência à ideia vem de toda essa bagagem de informações e sentimentos com relação ao tema.

Vamos olhar de outro ponto de vista, então. Os relacionamentos humanos dependem única e exclusivamente da troca – se não houver troca, não há relacionamento, certo? Para que eu aceite trocar algo meu com alguma outra pessoa (seja minha atenção, meu afeto, meu dinheiro, um objeto ou minha forca de trabalho), eu preciso “comprar” a ideia que o outro está me oferecendo, do contrário, eu não darei a minha parte na troca e não haverá relacionamento. Você está me acompanhando?

Se numa discussão entre amigos meu interlocutor não está “vendendo” bem sua ideia, ele não está obtendo a minha atenção. Se num ambiente de trabalho o superior não consegue “vender” a ideia de que aquele projeto merece dedicação, ele não a terá por parte de seus subordinados. Se um rapaz tentando conquistar uma garota não for eficaz em vender sua imagem e appeal, ele não terá sucesso na tentativa. E assim por diante, em qualquer tipo de relacionamento, entre amigos, pais e filhos, trabalho, parceiros, se você não for eficaz ao vender sua imagem e ponto de vista, o outro não lhe dará o que você quer em troca e, por conseguinte, não haverá relacionamento! As coisas estão ficando mais claras agora?! Tudo isso não faz sentido?!

Para se dar bem na vida, você precisa saber vender o seu peixe, mesmo que seja para convencer seu filho de que pizza às 10 horas da manhã não é uma boa ideia! Se você usar técnicas de coerção ao invés de técnicas de persuasão para convencê-lo, ele ficará bravo e se revoltará contra você, mas se você der argumentos lógicos e o fizer acreditar que realmente não é uma boa ideia, ele concordará com você e tudo ficará bem!

Ninguém atinge o sucesso sozinho. Sempre precisamos do apoio de pessoas-chave ao longo do caminho. Essas pessoas, porém, não são obrigadas a saber que você vale a atenção e o apoio delas, você precisa convencê-las disso! 

Esse conceito é aplicado a tudo em nossas vidas. Quanto mais nós dominarmos a arte da venda (que nada mais é do que pura persuasão), mais bem sucedidos seremos naquilo que queremos, seja na vida pessoal ou na vida profissional.

Pense nisso. Se você é daqueles que se consideram péssimos vendedores, que acham que morreriam de fome se tivessem que viver de vendas, reflita sobre este artigo. Essa sua falta de habilidade em vender o seu peixe não está impactando negativamente suas conquistas na vida?

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


15 comentários em “Marketing Pessoal: Aprenda a vender a si mesmo!”

  1. Gostei muito do artigo. O autor foi bastante claro e expôs sua idéia com muita propriedade. Sugiro corrigir a palavra “perorativo” do primeiro parágrafo. Certamente, o autor queria dizer “pejorativo”.

    Responder
  2. Eu adorei este artigo, realmente é uma realidade a nossa imagem muitas veses não é bem explorada e pior quando uzada as veses de mal forma é comodizem nossa imagem é o nosso cartão de visita.
    Eu gostaria que vc sempre foca-se artigo sobre esse tema quem sabe, fazer mais um curso direcionado a este tema.

    Responder
    • Prezado Cleibson,

      Cuidado com seu português. Como professora do nosso idioma me sinto na obrigação de corrigir alguns erros no seu texto.

      1- pontuação
      2- vezes e não veses
      3- usada e não uzada
      4- focasse e não foca-se

      Espero que você fique feliz com minha contribuição e não chateado.

      Um abraço.

      Judie

      Responder
  3. Excelente! a maneira como nós nos comportamos em nossos relacionamentos, neste caso, nosso marketing pessoal, realmente faz a diferença na vida!

    Responder
  4. Sou administradora de empresas, pós graduada em Marketing Estratégico, adorei as informações, precisamos de mais sites como esse, quem sabe assim os brasileiros conseguem ter a perpeção de que se quisermos, podemos sim ser o melhor país do mundo…

    ” Querer é poder”

    Parab´s.

    Responder
  5. Gostei muito do artigo, e no meu entender precisamos de muita leitura e reflexão sobre isto, pois somente quando valorizamos a nós mesmo, é que que vamos saber valorizar o outro.

    Responder
  6. Muito prático, com linguagem clara e objetiva. Por favor indique dicas e conselhos para o dia a dia. Ao ler o que está escrito, a sensação é de que já sei de tudo,e realmente sei, mas me sinto a deriva da sorte. Nada acontece de diferente e continui no mesmo caminho cheia de esperança que um dia as coisas vão mudar. Acredito que tudo é consequencia de nossas atitudes e por ser positiva, não me preocupo em vender o meu peixe, posso dizer.

    Responder
  7. Parabéns, pelo conjunto de informações e forma prática como foi exposta. Acredito que os grandes profissionais, os destaques na área de vendas, algum dia acharam que não dariam conta, mas, através de artigos como esse, conseguiram motivação para vencer a barreira.

    Responder
  8. Parabéns pelo site, realmente todos os artigos tem algo em comum com o nosso dia-a-dia.
    Sou um vendedor e a principal caracteristica minha de vendas inicialmente é a minha apresentação pessoal, invisto muito nisso.

    Mais uma vez meus parabéns!

    Att;

    Ricardo Bortoletto

    Responder
  9. Meus parabens pela perspicácia e a coragem de dizer que “a venda do peixe” tbm tem de ser sempre honesta. Ninguem “vende” sózinho. We are a village!

    Responder

Deixe um comentário