O que falta para você deslanchar na vida?

Franciane Ulaf

Por que certas pessoas não têm sucesso? Por que apesar de todo o esforço e todo o trabalho, elas parecem patinar no molhado? As razões podem ser diversas, neste artigo avaliamos as mais comuns.

Muitos dos pontos a seguir estão interligados, às vezes uma coisa puxa ou causa outra. Geralmente toda pessoa possui um gargalo, ou seja, uma característica específica que está empacando a vida inteira dela e mesmo não sendo perfeita nos outros aspectos, se ela trabalhasse naquele problema específico, ela passaria por esse gargalo, abrindo sua vida para um leque de possibilidades.

A leitura desse artigo é importante justamente para que cada um consiga identificar qual é esse gargalo em seu caso particular. Mesmo que o leitor possa se identificar com mais de um item, ou mesmo todos, é essencial tentar afunilar e concluir qual o ponto central que, se trabalhado, irá abrir os caminhos.

Se você estiver lendo esse artigo enquanto a enquete sobre esse assunto ainda está ativa ao lado, aproveite para votar.

1. Perder o medo e ter mais coragem

Todos nós temos algum tipo de medo, algumas inseguranças, mas esse não é o problema central para todo mundo.

O medo torna-se um problema, um gargalo, quando é a razão principal que define a tomada de decisão. A pessoa que recusa uma oferta de trabalho, por exemplo, porque ela teria que fazer algo que desperta medo como falar em público ou assumir compromissos diferentes, pode ter o medo como seu principal gargalo. Ou mesmo a pessoa que permanece muito tempo na mesma posição porque tem medo das responsabilidades e atribuições das posições superiores também pode considerar esse ponto como importante.

A falta de coragem está ligada a vários outros aspectos, incluindo alguns discutidos aqui como autoestima e até mesmo falta de assertividade. Esse tipo de medo está baseado em ideias que as pessoas mantêm na cabeça sobre como as coisas funcionam e quais os “riscos” que elas correm ao tentar fazer alguma coisa. Geralmente essas ideias são exageradas, quando não estão completamente equivocadas.

2. Parar de procrastinar e administrar melhor o tempo

Para algumas pessoas, o problema todo gira em torno da extrema perda de tempo desencadeada por maus hábitos e indisciplina. Essas pessoas costumam andar em círculos com suas metas, nunca ou raramente concretizando algo e se beneficiando dos resultados. Isso ocorre por duas razões: em um caso, a pessoa não conclui nada porque se comporta como um vagalume, indo de projeto em projeto ou de oportunidade em oportunidade, sempre largando o que já foi feito pela metade em busca de algo “mais brilhante” e mais promissor adiante. Em outro caso, a pessoa não consegue resultados porque literalmente desperdiça tempo demais com os mais diversos tipos de “passatempo”, desde e-mails, Facebook, navegação a esmo na internet, televisão, conversas improdutivas e hábitos que, em geral, não geram qualquer tipo de resultado.

Esse problema, contudo, é secundário. A mãe dele se chama disciplina e o pai é o foco. Se esses dois aspectos fossem trabalhados, a pessoa “consertaria” seus maus hábitos de administração do tempo rapidinho.

A procrastinação em si, porém, pode ter outras raízes como a falta de um senso de propósito na vida que leva a pessoa a sofrer de uma desmotivação crônica. Outra raiz pode ser a dispersividade, a vontade de fazer muitas coisas, conquistar o mundo e não se organizar e estruturar ordenadamente “como” isso tudo vai acontecer.

3. Persistir e ter mais disciplina

A falta de disciplina, que causa a dificuldade para persistir, é a raiz da grande maioria dos problemas que as pessoas encontram para “dar certo” na vida, seja o que isso signifique para cada uma. A pessoa que não tem disciplina pode achar que tem uma grande vantagem: a liberdade, quando na verdade, fazer as coisas só quando quiser ou deixar de fazer o que não se tem vontade é o caminho mais certeiro para o fracasso generalizado.

O domínio da disciplina leva a pessoa a conquistar o que quiser – para o bem ou para mal – ela consegue fazer o que tem que ser feito e concretiza suas metas, faça chuva, faça sol, quer ela tenha motivação, quer não, quer ela tenha autoestima, quer não. A disciplina supera todas as outras dificuldades. Na minha opinião, é a habilidade central a ser desenvolvida, acima de todas as outras que discutimos aqui, pois uma vez dominada, todos esses outros problemas aqui ou acabam ou deixam de ter importância com relação ao sucesso e os resultados na vida.

4. Ter um foco e definir metas

O foco é a determinação de um objetivo, uma intenção final a ser alcançada. Um dos maiores males da vida moderna é a dispersão – há muitas oportunidades, muita coisa pra fazer, muitas formas de crescer na vida. O foco define qual a briga que você vai comprar, qual a luta que você vai lutar e quando você faz isso, a dança das oportunidades acaba. Você deixa de se comportar como um vagalume indo de luzinha em luzinha e passa a se focar só em seu objetivo.

O foco é o companheiro ideal para a disciplina. Esta sozinha pode tornar a pessoa “robotizada”, fazendo tudo direitinho, muito bonitinho, mas não indo a lugar algum, apenas gerenciando a vida diária. Metas dão força para a personalidade disciplinada e persistente, levando-a a conquistar seus sonhos.

Muitas pessoas atribuem seus fracassos a outros problemas quando na realidade, tudo se explica pela falta de um foco e a indisciplina pessoal, que causa também a desorganização crônica. Pessoas bem sucedidas não são perfeitas, muitas sofrem de depressão, baixa autoestima, não se sentem motivadas o tempo todo, sentem medo, também se autossabotam e puxam o próprio tapete de vez em quando. O que elas têm em comum, contudo, é o foco e a disciplina para seguir as metas que determinam para si mesmas e aí elas conseguem vencer, mesmo com um monte de “defeitos”.

5. Parar de me autossabotar e ter mais autoestima

A baixa autoestima causa a autossabotagem, ou seja, o hábito de puxar o próprio tapete e frear o próprio progresso. É uma postura de desrespeito e desamor para consigo, uma falta de confiança na própria habilidade de ter uma performance aceitável na vida.

A baixa autoestima leva a pessoa não só a sabotar os próprios esforços, mas a se apagar tanto na vida profissional quanto pessoal, dando o poder para aqueles que aparentemente possuem mais autoconfiança ou são mais assertivos. Com o tempo, esse comportamento tende a levar a pessoa à depressão e outros problemas psicológicos.

Esse problema, contudo, é causado pelas experiências que a pessoa tem na vida, o que pode já vir com ela desde cedo como uma infância complicada em casa e bullying na escola. Como é um problema mesológico, ele pode ser corrigido justamente com o trabalho nos outros aspectos que discutimos aqui, principalmente foco (metas) e disciplina, pois se a pessoa começar a mostrar para si mesma que ela é sim capaz e que pode realizar muito. De repente, ela começa a ver que tudo o que sempre acreditou sobre si mesmo está errado e que ela tem muito valor.

6. Me comunicar melhor e ser mais assertivo

Pelo feedback que obtenho em minha carreira, observando meus alunos e leitores online, vejo que muita gente não dá o devido valor para a comunicabilidade, muito menos para a assertividade. Já diz o ditado que quem tem boca vai a Roma! Bom, quem não tem boca não vai a lugar algum!

A pessoa que não se comunica bem, que não sabe passar sua mensagem de forma persuasiva, mas ao mesmo tempo amigável e simpática, que não sabe se impor quando necessário e fazer valer sua vontade, acaba sendo capacho dos outros, manipulada pelos assertivos e persuasivos.

As dificuldades com a comunicação interpessoal, muitas vezes, acabam levando as pessoas a desenvolverem problemas de autoestima e até mesmo entrarem em depressão.

Como eu enfatizei nas questões relativas ao foco e a disciplina, você pode estar pensando que esses então são os principais problemas de todo mundo e que qualquer pessoa deveria selecionar esta opção para trabalhar e deslanchar na vida, mas não é bem assim… Como eu expliquei no início, cada um deve passar por um processo de reflexão íntima para avaliar qual o problema mais sério que atrasa o progresso. Ao longo da minha vida, conheci pessoas focadas e disciplinadas em suas carreiras, mas que por problemas de comunicabilidade, deixavam com que os outros pisassem nelas e assim elas acabavam perdendo oportunidades e não cresciam. Outras tinham uma autoestima tão baixa, que por mais que o foco e a capacidade de disciplina estivessem ali, elas não conseguiam confiar em si mesmas a ponto de assumir os riscos necessários para galgar os passos do sucesso.

Apesar de pessoas bem sucedidas não serem realmente perfeitas e o foco e a disciplina serem fundamentais, às vezes o problema maior é outro, mais profundo. Cabe a cada um procurar dentro de si a raiz que cobre suas dificuldades para melhorar de vida.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


12 comentários em “O que falta para você deslanchar na vida?”

  1. Muito bom artigo! nos faz refletir sobre problemas de comportamento quase sempre imperceptíveis. Geralmente pensamos que nossos problemas serão solucionados com o dinheiro, esquecendo da paz interior.

    Responder
    • Este artigo é muito bom mesmo, de certa forma, fica até difícil saber ao certo em qual desses problemas nós nos localizamos, pois todos juntos tecem uma só teia.

      Responder
    • Olá Claudinei,

      O Planejamento Estratégico Pessoal e o Um Sentido para a Vida são os que mais se aproximam, ao abordar a parte comportamental, mas ainda não tenho um livro específico que aborde a superação dos seis problemas juntos. A parte do foco e da administração do tempo são discutidas nos manuais de administração do tempo e definição de metas. Contudo, há vários livros de outros autores que abordam separadamente a superação de cada um desses itens.

      Abraços,

      Fran Christy

      Responder
      • Acho que para a questao do foco e como administrar o tempo, realmente os manuais ajudam bastante e o PEP também. O Um Sentido Para a Vida achei muito bom para definir com mais clareza um senso de propósito e para onde eu estava indo na vida, isso ajuda com a disciplina e com a persistência, pois você passa a ter uma visão e tem mais confiança nas coisas que está fazendo, porque passa a saber o motivo de estar fazendo.

        Abração a todos

        Camilla

        Responder
  2. Creio que a disciplina e o foco é um dos maiores problemas das pessoas que não deslancham. A pessoa focada, por exemplo, não perde tempo de forma irresponsável, nem permite serem desmotivadas por pessoas que não possuem sua visão. A verdadeira motivação e foco geralmente faz com que a pessoa passe por um constante aprimoramento pessoal, uma constante lapidação, afim de que nada ou ninguém impeça suas metas se concretizarem. Hitler e Napoleão, apesar de terem usado seus talentos de forma negativa, foram pessoas que superaram várias dificuldades [ origem humilde, baixa auto estima, humilhações etc ] devido a o foco e a disciplina.

    Responder
  3. A vida não é fácil — acostume-se com isso.
    O mundo não está preocupado com a sua auto-estima. O mundo espera que você faça alguma coisa útil por ele ANTES de sentir-se bem com você mesmo.

    Responder
  4. Citação: “Mantenha-se forte diante do fracasso e livre diante do sucesso”, diz frase atribuída ao gênio francês Jean Cocteau. Pode soar como um disparate esta outra frase do mesmo autor que transcrevo a seguir, mas a meu ver ela trata do mesmo assunto: “Deus não teria alcançado o grande público sem a ajuda do diabo.”

    Responder
  5. Quero começar agradecendo por seu trabalho e seus texto, pois contribuem muito para meu crescimento.

    Agora como Coaching posso verificar e observar com outros olhos tal texto.

    e publica-los pelo face para meus respeitando todos os direitos autorais.

    Responder

Deixe um comentário