Uma crítica ao estoicismo

Jonathan Farrell

Críticas estoicismo

O estoicismo tem excelentes conselhos psicológicos, embora com imperfeições.

O estoicismo é uma escola de filosofia que se originou na Grécia antiga. Fundada por Zeno de Citium em Atenas, é praticada há mais de 2.000 anos. Apesar de seu início antigo, o estoicismo continua a ser relevante e útil para indivíduos que buscam uma vida plena e significativa hoje. Integra ideias da filosofia e da psicologia.

Princípios fundamentais do estoicismo

Os princípios centrais do estoicismo incluem a crença de que não controlamos os eventos externos, mas controlamos nossas reações a eles. De acordo com o estoicismo, podemos alcançar um estado de paz e contentamento concentrando-nos no que podemos controlar com aceitação. Isso inclui nossos próprios pensamentos, emoções e comportamentos.

O estoicismo pode ser uma ferramenta poderosa para indivíduos que buscam melhorar sua saúde mental e bem-estar. Ao aceitar o que está fora de seu controle e focar no que você pode controlar, você pode evitar estresse e ansiedade desnecessários. Você também pode cultivar um sentimento de gratidão e contentamento.

O estoicismo também oferece uma perspectiva de vida que pode ser valiosa para muitas pessoas que buscam mais realização e significado.

6 problemas com o estoicismo

Como criação de humanos imperfeitos, o estoicismo não é perfeito. Aqui estão alguns problemas que vejo com o estoicismo:

1. O estoicismo falha em identificar a raiz filosófica de toda perturbação emocional. escalar preferências em demandas, obrigações e deveres. Um exemplo: “Seria ótimo se eu pudesse controlar meu parceiro, portanto devo absolutamente ser capaz quando ele ou ela me criticar.”

2. O estoicismo enfatiza a dicotomia do controle. as coisas que controlamos e as coisas que não controlamos. Parece ignorar essas coisas no continuum do que podemos influenciar, mas não controlar, por exemplo, a paz mundial.

3. O estoicismo recomenda irrealisticamente não sentir nem negativa nem positivamente sobre as coisas que não controlamos. Eu não controlo o tempo, mas dadas as minhas preferências, sinto-me bem com um dia de sol e triste com uma tempestade de gelo.

4. O estoicismo sustenta que a virtude moral é necessária e suficiente para a felicidade. A virtude moral não cura a depressão. Talvez essa seja uma visão decorrente do próprio paradigma do pensamento filosófico da época. Temos que lembrar que o estoicismo tem 2000 anos!

5. O estoicismo ignora a grande influência das predisposições genéticas nas perspectivas. É claro que os filósofos estoicos nada sabiam sobre genética há 2000 anos, mas estoicos modernos evitam atualizar suas perspectivas, ignorando tudo o que já sabemos sobre o funcionamento do corpo e do cérebro.

6. O estoicismo omite a importância do trabalho, prática e autodisciplina que a maioria das pessoas requer para se aproximar de uma visão estoica de si mesmas, dos outros e das condições de suas vidas.

Se você estiver interessado em explorar mais o estoicismo, considere ler as obras de Marco Aurélio e alguns dos muitos escritores e pensadores estoicos modernos. Essa filosofia milenar pode ser útil para melhorar sua produtividade e bem-estar. Apenas recomendo que mantenha em mente que muitos dos seus conceitos foram desenvolvidos quando a humanidade ainda não sabia nada sobre comportamento e o funcionamento do cérebro e muitos autores contemporâneos prezam por manter os princípios do estoicismo intactos ao invés de sugerir perspectivas mais modernas.

Sou psicólogo, não filósofo. Congratulo-me com o seu feedback, especialmente de uma perspectiva filosófica. Obrigado por seus pensamentos.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


Deixe um comentário