Você acha que estresse e ansiedade motivam? Há uma forma melhor para se motivar!

Steve Pavlina

Ansiedade estresse motivação

Muitos gurus motivacionais recomendam utilizar estratégias de estresse e ansiedade para produzir a energia necessária para que a pessoa se motive a agir. Alguns recomendam definir prazos, outros dizem que é bom contar para outras pessoas seus planos para que você se sinta na responsabilidade de atingir suas metas (pressão social), e assim por diante. A ideia é que se você criar estresse artificialmente, ficará ansioso e essa energia lhe impulsionará para frente e em direção à conquista de suas metas. Mas e se você não quiser usar o estresse ou a ansiedade como seu principal combustível motivacional, que tipo de combustível você gostaria de usar? O que você pode dizer sobre sua fonte de combustível preferida para agir e obter resultados?

Gosto de pensar em passar um dia em um parque de diversões como uma boa analogia para o meu tipo ideal de motivação para o trabalho.

Quando minha parceira, Rachelle, e eu passamos alguns dias juntos na Disneylândia, sempre fazemos muitas coisas e temos dias cheios de diversão juntos. Não precisamos de ansiedade, medo ou preocupação para nos motivar a agir.

Nós praticamente nunca vamos por apenas um dia. Normalmente, vamos por 3-4 dias seguidos. Isso elimina qualquer sentimento de escassez, pois tudo o que perdemos em um dia, poderíamos facilmente fazer em um dia diferente. Especialmente quando vamos nos dias de semana, isso dá uma sensação de abundância de tempo, para que possamos ir em um ritmo relaxado e não nos sentirmos estressados ou pressionados.

Nossas intenções são simples: Aproveitar o dia. Ter experiências que apreciaremos. Passar um tempo fora. Caminhar muito. Desfrute de comida saborosa. Jogar juntos. Sermos bobos. Criar belas memórias. Ajudar os outros a terem boas experiências também.

Provavelmente passei cerca de 100 dias da minha vida na Disneylândia. Vou lá todas as décadas desde a década de 1970. Nem uma vez eu apenas sentei lá e procrastinei. Eu sempre fiz muita coisa. Eu sempre coloco muitos quilômetros nos meus sapatos. Eu sempre me senti agradavelmente motivado a continuar agindo e tendo experiências diferentes durante todo o dia.

Isso me deixou super curioso. Por que a Disneylândia é tão boa em me motivar a agir – o dia todo, todos os dias… mesmo por 30 dias seguidos sem um dia de folga e sem sentir que preciso de uma pausa?

Ao olhar mais de perto as fontes de motivação pré-existentes que eu gostava, generalizei e abstraí os padrões delas. Então injetei mais desses padrões de sucesso em outras áreas da vida, como meus projetos criativos. Isso incluía fortalecer qualidades como curiosidade, exploração, imersão, ludicidade, variedade, estimulação, tornar os projetos mais sociais, mas também pressão e uma enorme desconexão de significado e propósito.

Você já teve um dia em que se viu realizando muitas ações com facilidade? Você já encontrou uma fonte de motivação que parecia muito alinhada e agradável? Se sim, veja se você pode ter experiências semelhantes novamente e observe essas experiências profundamente. Descubra por que isso funciona tão bem para você, mesmo que essas experiências tenham sido raras em sua vida até agora. Em seguida, faça o possível para abstrair e transplantar qualidades semelhantes em sua abordagem ao trabalho e a outras partes da vida.

Em outras palavras, em vez de tentar se forçar a usar uma fonte de combustível desalinhada, identifique as melhores fontes de combustível que você encontrou até agora e injete-as em sua vida em uma escala muito maior. Não é isso que gostaríamos que o planeta fizesse também – substituir combustível nojento e fedorento por combustível verde e limpo?

Quando eu era criança, havia um grande contraste entre um dia na escola e um dia na Disneylândia. A escola era terrivelmente chata, mas também ocasionalmente divertida. Os dias da Disneylândia eram muito mais divertidos, mas escassos. Se eu pudesse ter feito uma escolha livre naquela época, de jeito nenhum eu teria escolhido um dia de escola se eu pudesse escolher a Disneylândia. Naquela época eu não tinha essa opção, mas hoje posso descobrir e usar qualquer combustível motivacional que melhor me agrade. Eu não tenho que me contentar com dias de trabalho chatos. Posso fazer meu trabalho de uma maneira divertida e envolvente para mim.

Quando estou na Disneylândia, não tenho chefe, então na minha vida profissional também não tenho chefe. É mais divertido e gratificante tomar minhas próprias decisões sobre o que fazer a seguir. Então posso seguir meu fluxo motivacional natural onde quer que ele me leve, assim como sempre faria na Disneylândia.

Na Disneylândia não há horário fixo (exceto alguns shows e desfiles opcionais). Então eu programo muito poucos itens na minha agenda. Na maioria dos dias de trabalho meu calendário está em branco. Eu aprecio ter a maior parte dos meus dias livres de quaisquer compromissos.

Na Disneylândia estou cercado por um campo de convites perpétuos. Há sempre muitas coisas interessantes para explorar. Então eu gosto de ter uma vida profissional rica em experiências interessantes para explorar. Eu quero sentir que há muitos bons convites presentes em todos os momentos.

Na Disneylândia estou cercado por pessoas brincalhonas que estão se divertindo. Será que isso é tão difícil de criar na vida profissional também? Comece dizendo não ao contrário.

Na Disneylândia, posso fazer várias escolhas, a maioria das quais vai dar certo, não importa em que direção eu vá. Esses tipos de condições também podem ser recriados nos negócios, começando no nível da intenção.

Hoje, muitas vezes prefiro trabalhar do que ir para a Disneylândia ou sair de férias. Eu gosto de uma vida de trabalho que inclui muita exploração e trabalho criativo estimulante. Eu consigo me envolver com pessoas orientadas para o crescimento no meu grupo de coaching, o Clube de Crescimento Consciente todos os dias. Eu trabalho em um ritmo que me faz bem, acelerando quando quero ir mais rápido e desacelerando quando prefiro um ritmo mais relaxado. Isso não aconteceu por si só, mas eu não comecei minha jornada empreendedora com essa mentalidade. Principalmente eu aprendi isso da maneira mais difícil, eventualmente concluindo que tentar me fazer trabalhar de forma produtiva com base na minha abordagem inicial padrão era simplesmente horrível.

Descobrir um combustível motivacional melhor exigiu me afastar do que aprendi sobre trabalho e vida quando era mais jovem. Eu tive que descartar as expectativas e suposições que me ensinaram a me motivar com estresse, preocupação, ansiedade, pressão do tempo, medo, competição, satisfação das expectativas dos outros, dinheiro, etc. Isso não foi fácil porque uma parte de mim estava condicionada a pensar que seria irresponsável ou impossível esperar que o trabalho fosse interessante, envolvente e altamente motivador. Foi apenas mergulhando mais fundo nessa zona de problemas e abandonando a culpa desnecessária que encontrei um combustível motivacional muito melhor e mais duradouro. É preciso abrir mão das ideias que crescemos acreditando sobre trabalho e crescimento profissional e se abrir para a possibilidade de que as coisas podem ser diferentes – e sem achar que algum “milagre” precise acontecer para que alguma coisa mude.

Essas coisas soam verdadeiras para você também? Você foi socialmente condicionado a se afastar de suas melhores fontes de motivação, para que possa ser controlado com mais facilidade?

Você já pensou que, se realmente se apoiasse no seu melhor combustível motivacional, isso poderia criar algumas consequências sociais negativas para você? Exemplos? Colegas de trabalho e chefes que se frustram porque o seu comportamento no trabalho é diferente do deles e fazem pressão em cima de você para que tudo volte a ser como era antes. Penalidades na escola ou trabalho porque você não está fazendo as coisas da forma como os outros esperam. Até mesmo amigos e parentes que estranham sua mudança de comportamento e começam a pressioná-lo para abandonar os novos hábitos. Quando nos comportamos de forma diferente, isso incomoda os outros. Mesmo que não afete a vida deles de nenhuma forma, eles não gostam pois você deixa de ser “previsível e controlável” (ahhhh, a natureza humana…). Você já pensou em simplesmente deixar essas consequências acontecerem?

Uma pergunta que realmente me pegou foi: que tipo de vida vou viver se usar regularmente – em vez de raramente – o poder do meu combustível motivacional mais eficiente?

Acho que há uma certa selvageria, um caos no meu melhor combustível motivacional. Eu não tenho controle total sobre isso. Não posso simplesmente trancá-lo em um conjunto de regras fixas. Às vezes ele coopera com a estrutura, mas outras vezes se rebela porque adora seguir ser livre e o fluxo, aonde quer que isso o leve.

Trabalhar com seu combustível motivacional mais poderoso exige prática e paciência, e sua capacidade de entender e prever seu comportamento melhorará com o tempo. Inicialmente você pode não confiar nele, preocupando-se que possa ser muito caótico, muito imprudente ou muito irresponsável e que possa causar problemas. E inicialmente isso pode realmente parecer verdade. Mas quanto mais você dança com essa fonte de combustível, mais você pode confiar nela.

Senti como se tivesse que passar por uma fase de transição primeiro, onde essa fonte de combustível me tirou da minha zona de conforto para me afastar ainda mais de minhas antigas suposições e hábitos. Esmagou as partes da minha vida que não estavam funcionando bem, mesmo que eu resistisse a essa purgação na época.

Esse combustível poderoso me mostrou vislumbres de como a vida poderia ser através de experiências de pico, e isso me deixou com um contraste ainda maior quando tentei me apoiar em fontes de combustível antigas que eram muito menos estimulantes.

Você tem que fazer isso perfeitamente para melhorar seus resultados? Não. Mesmo fazer pequenos ajustes em seu combustível motivacional pode fazer uma diferença significativa. Mas imagine o que poderia acontecer se o fluxo descontraído da ação inspirada se tornasse sua experiência cotidiana?

Embora possa parecer indulgente mergulhar em experiências que o motivam com facilidade, eu recomendo. Tive alguns avanços perspicazes fazendo mais do que achava naturalmente divertido e motivador – e aprendendo a fazer isso sem culpa. Isso me permitiu continuar melhorando outros aspectos da vida, de modo que não há mais um contraste tão grande entre dias de trabalho e dias de diversão. Agora eu tendo a gostar de ambos igualmente bem, apenas de maneiras diferentes. E não preciso me apoiar no estresse ou na ansiedade para me motivar.

Quando você entra em sintonia com o fluxo do seu melhor combustível motivacional, a vida fica muito mais fácil e agradável. Problemas de longa data finalmente são resolvidos como se não fossem grande coisa para começar. A escassez vai embora e a abundância se torna sua nova realidade.

Lembre-se que mais é possível. Não importa há quanto tempo você está preso a um combustível motivacional fraco. Você sempre pode mudar para uma fonte de combustível diferente. Em vez de usar o dinheiro como combustível, você pode tentar significado e propósito. Em vez de usar a obrigação, você pode tentar um serviço alinhado ao coração. Em vez de usar estresse e preocupação, você pode tentar diversão e desafios.

Esta é uma exploração profundamente pessoal. O que me alimenta pode não alimentar você. Portanto, não assuma apenas que você pode copiar minhas fontes de combustível e esperar que elas funcionem para você igualmente bem. Não olhe para a Disneylândia em busca de pistas motivacionais se você odeia a Disneylândia (ou parques de diversão!). Olhe para o seu próprio passado para as pistas que a vida está lhe dando. No decorrer da sua vida, em quais momentos se sentiu mais energizado? O que te fez sentir em estado de fluxo? Seja grato pelo presente dessas pistas e siga-as para suas melhores fontes de motivação.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


Deixe um comentário