Como lidar com a rejeição

Franciane Ulaf

Rejeição

Um dos pontos de maior dificuldade de compreensão no campo de desenvolvimento pessoal é por que motivo é tão difícil sair do lugar, superar as dificuldades e crescer em busca de um “eu” mais equilibrado e satisfeito com a vida e as próprias conquistas. A resposta está no âmago da personalidade de cada um de nós: nosso maior problema é a vaidade, o orgulho.

A maioria das pessoas consegue identificar pontos fracos a serem trabalhados e superados até o ponto em que esses problemas chegam no limite do ego. Daí pra frente, os traços mais difíceis e verdadeiros vilões em nossa vida ficam escondidos em nosso ponto cego. Somos incapazes de vê-los e se por ventura outra pessoa os identificar e os expor a nós, reagimos como um bicho ferido, com agressividade e negação. Negamos ter tal problema ou defeito e reagimos com descrença e raiva, fechando-nos contra maiores ataques ao nosso ego ferido.

Essa postura imatura é o que mais dificulta nosso crescimento e amadurecimento. De fato, a maior diferença entre uma pessoa verdadeiramente madura e outra imatura é o nível de orgulho de cada uma. A pessoa madura não tem medo de se machucar, pois seu ego já está exposto, ela não tem vergonha de mostrar quem é e do que é (e não é) capaz, não tem receios de que os outros vejam suas limitações e dificuldades. A pessoa imatura falha justamente ao tentar esconder seus defeitos do mundo, tentando passar uma imagem de perfeição.

A timidez nasce exatamente nesse ponto. A pessoa acha que “deveria” ser perfeita, mas sabe que não é. Por isso ela tem vergonha que os outros vejam sua realidade, ela só se expõe quando acredita que a imagem que está passando é a mais perfeita possível – do contrário, ela se esconde, ansiosa de que alguém possa descobrir que ela é uma farsa, que está muito longe de ser perfeita.

Um dos maiores medos que as pessoas têm é de falar em público – pesquisas mostram que esse medo supera o medo da morte em muitas pessoas. Por que as pessoas têm tanto medo de falar frente a uma audiência? Porque nessas situações a pessoa está se expondo ao máximo, todos os olhos estão voltados para ela, ela sabe que está sendo julgada, observada, analisada. Quanto mais orgulhosa a pessoa, mais medo de falar em público ela tem! A mera possibilidade de rejeição mina qualquer motivação ou vontade que a pessoa tenha de superar seus medos, pois, no final das contas, o ego vence.

Mas qual seria a solução para tal problema? Se o orgulho é uma das mais poderosas forças que regem nossa sociedade, como podemos superar esse medo da rejeição e amadurecermos mais rápido?

Uma das mais infalíveis técnicas é criar uma casca grossa, expor-se tanto e ser rejeitado tantas vezes que você aprende na marra, através da experiência própria, que esse orgulho todo é pura tolice. O segredo é se expor sem se importar com a rejeição em situações em que a rejeição é quase certa. O truque é ser rejeitado mesmo, diversas vezes! Quanto mais rejeição embaixo do braço você tiver, menos você se importará com seu próprio orgulho e mais você aprenderá que o medo é maior do que a rejeição em si.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


33 comentários em “Como lidar com a rejeição”

  1. Olá Fran,

    Muito providencial o seu tema para uma maior reflexão dos meus medos que são também inseguranças, dúvidas. Na verdade tenho medo de mudanças de uma forma geral, seja no aspecto profissional ou sentimental. Mesmo sabendo das minhas potencialidades, há uma enorme rejeição que ainda não consegui lidar.

    Obrigada pelo texto e estou acompanhando todos os assuntos publicados.

    Meu abraço.

    Responder
  2. Olá Fran,

    Então entramos em uma duvida sobre o tema discutido, quando o medo da rejeição dá espaço para a ‘coragem’ deixamos de lado o orgulho, quanto mais tentar, mais a pessoa se fortificará.
    Porém, tem que haver um limite, até quando é possivel tentar? A insistencia não pode se tornar humilhação? E a auto-estima neste caso? Como fica?
    Se puder ajudar com essas duvidas!

    Beijos
    Ariane.

    Responder
  3. Adorei o tema sou estremamente medroso, mas necessito perder o medão das pessoas. Fico estremamente constrangido em falar em publico começo a ficar rosa depois vermelho e por fim fico roxo de vergonha teria outra formula para perder o medo?? Esta é uma formula constrangedora.. no meu caso…Amo receber seus emails muito obrigado tem me ajudado muito.

    Responder
  4. Gente que coisa, eu estava procurando respostas para lidar com rejeição, derrepente ao abrir o email, o tema era o qual precisava, pensei que fosse um amigo que me enviou. Então, é muito ruim vc ser rejeitado, ser chamado de imaturo, mais ao mesmo tempo, para distorcer situação, falam, vc é imaturo para o cotidiano da vida, e maduro suficiente para a vida profissional. Palavras de minha sogra e minha esposa! Quando ouvir isso pensei eu morrer na hora! Minha esposa esta grávida. Fiquei procurando justificativas…que situação.

    Adorei o email, de Fran Christy

    Responder
  5. Olá! Meu nome é Suzy recebi de um amigo o seu artigo, gostei muito pois estou há tempos percorrendo um caminho tentando encontrar qual a minha vocação, está difícil desvcobrir qual o meu talento.
    Caso vc pssa me ajudar neste aspecto ficarei muito grata.
    Um beijo e desde já agradeço.

    Montes Claros – Minas Gerais

    Responder
    • Querida Suzi,tive a oportunidade de compartilhar contigo num desses seus momentos de busca, e eu acho que você deve acreditar mais em você mesma. fazer o que seu coração mandar. Saudades! Ana Maria

      Responder
  6. Olá Flan,
    Pela primeira vez, li alguma coisa boa,
    O que não falta são charlatões dizendo que podemos tudo.
    Só vamos aumentar a nossa auto-estima o dia que entendermos que não somos nada.
    Que não podemos nada, a não ser através do autor da nossa vida, que é Deus.
    O amor a Deus produz compreensão do próximo.
    “ A vida é o Eco”. Se vc não ta gostando do que está recebendo, observe o que vc está emitindo”

    Responder
  7. Olá Fran,

    Seu tema veio na hora certa,estou em uma fase de decisão muito dificil,mas percebi que estou matura o suficiente para decidir o melhor,aprendi que o medo tira a vontade de vencer,por isso não deixo ele me dominar. obrigado pelo tema.

    Responder
  8. O famoso ego! E quem não tem, ainda que pouco, ego?
    No entanto, tenho que concordar com o artigo: enquanto ficarmos concentrados em alimentar e proteger o nosso ego(orgulho), ainda que inconscientemente, o crescimento ficará para trás e a vida junto.
    Gosto muito da dica de criar uma ‘casca dura’ e até tenho tentado isso ao longo dos anos. O problema, é que requer um esforço e determinação quase divinos e já falhei tantas vezes, que já perdi a conta. Gostaria de uma dica para fazer com esse processo se tornasse um pouco mais natural a natureza humana daqueles que nasceram com um ego muito elevado e pouca coragem.

    Responder
  9. A opinião do outro não vale nada. O importante é vc ser quem vc é, é exercer a modéstia sendo do tamanho que é.

    Do outro podemos esperar tudo, e da mesma forma que vem o elogio, vem crítica. Vc gosta qdo é elogiado? Então, pode esperar, que qdo vier uma crítica vc vai pro fundo do poço.

    Abraços
    Fernandez

    Responder
  10. Olá a todos e desde já muito obrigada Fran Christy por ter posto um tema que para mim, vem mesmo “em cima do acontecimento”.

    Durante um largo tempo vi-me impedida de realizar os meus workshops pois acontecia-me exactamente isto que descreve.

    Até que percebi que o “fracasso” era não arriscar, não fazer, não ter coragem. E atirei-me para a frente, EXPONDO-ME.
    Umas vezes tem sido maravilhoso, corre mt bem, o Grupo VIBRA, fico feliz.

    Outras…. nem tanto, sinto que falhei aqui e ali, não encontro “vibração” nem feedback que alimente o meu ego. E por isso mesmo, sinto que é o “ego rasteirinho” a queixar-se, não o meu “melhor Ego”.

    E não desisto. EXPONHO-ME e para a próxima há-de ser melhor! Aprender a lidar com isto foi das maiores riquezas interiores que pude obter na minha Vida, que já não é curta….

    Consigo não ficar em baixo qd não corre tão bem e perceber que tudo…. faz parte de uma aprendizagem e que é para isso que estou VIVA!!

    Um grande abraço, que belo Tema! PARABÉNS!

    Isabel

    Responder
  11. Obrigada pelo tapa na cara que acabei de levar ao ler seu texto!! Eu precisava mesmo disso, de enxergar a minha verdadeira condição. É um começo para eu me aceitar melhor e permitir quebrar as barreiras que me separam de pessoas queridas. Desde que comecei a ler seus textos, sabe que já melhorei um bocado? Abraços.

    Responder
  12. Olá, Fran, recebi seu artigo, e achei que veio a calhar com a situação em que estou no momento.
    Me separei a um ano, estou tentando encontrar uma pessoa para me relacionar, mas não tem sido fácil,estou tentando vencer o mêdo, o orgulho e a insegurança.
    Outro aspecto que tenho tido dificuldade em me encontrar junto a uma profissão que possa me proporcionar uma melhor situação e que me complete, para deixar de ser dependente.(OBS. tenho 53 anos)
    Se tiver outros artigos que possa me ajudar, Agradeço.
    Um abraço

    Responder
  13. Bom dia! Fran,

    Gostei muito do seu artigo,no qual eu me encaixo direitinho, pois tenho muito medo de falar em público e sempre esqueço como vou contar algo, e já começo com o medo de ser rejeitada.

    abraços.

    Responder
  14. Gostei muito do artigo, porém fiquei indagando algumas coisas comigo mesma. Não sou medrosa, não tenho medo de mudanças e também não tenho vergonha de falar em público, mas tenho uma dificuldade danada de manter relacionamentos, por que meu medo à rejeição é tremendo.

    Responder
  15. Muito interessante o seu artigo ate agora um dos melhores gostaria que vc falasse mais sobre isso em outra oportunidade ok….e parabens……Se vc ja tiver um livro sobre o tema gostaria de adquirir.obrigado.

    Responder
  16. Olá Fran,

    Adorei esse artigo que espelhou como sou e como lido diante dessa dificuldade. Me considero realmente uma pessoa muito orgulhosa eu perco mas não procuro. Mas ao mesmo tempo não sei como agir para perder esse medo. Fico com receio da reação das pessoas. Daí, acabo deixando por conta do tempo se encarregar de fazer com que meu desejo se realize.

    Responder
  17. Olá Fran,
    Adorei o artigo, o que mais me deixou pensativo foi o trecho “Quanto mais orgulhosa a pessoa, mais medo de falar em público ela tem!”, realmente isso é fato.
    Ótimo texto. Parabéns!

    Responder
  18. Gostei muito do artigo. Há tempos venho tentando entender essa questão do medo de falar em público, e esse artigo, veio esclarecer. O que preciso trabalhar em mim para melhorar, tenho intenção de dar aula.
    Preciso me desnudar do meu orgulho e encarar esse desafio.

    Responder
  19. Olá Fran, tenho lido seus artigos e tenho me sentido melhor , naõ bem o suficiente para fazer qualquer coisa no sentido profissional. eu trabalho c/vendas
    estou parada .Tudo que penso fazer bete um enorme medo .Desisto antes de tentar

    Responder
  20. Estou muito insegura,irei trabalhar no mesmo ramo,que trabalhei à quatro anos atrás,até então gostava do que fazia,tive problemas com o minha chefe,eu estava muito estressada, cansada das faltas de educação e escandâlos que ela fazia por pouca coisa.Desde então não tenho vontade de trabalhar, não é preguiça não. Não tenho vontade de trabalhar para os outros não, tenho vontade de ter um próprio negocio, mas o que?

    Responder
  21. Sabe, essa questão de orgulho é uma barra. faz alguns anos que venho lutando quanto a esse sentimento, desde então tenho vencido alguns medos como falar para um grupo de pessoas, mas o desafio maior está sendo manter uma discursão sobre determinados assunto onde sei que estou com a razão e no fanal das contas a rejeição é inevitável. Mais seus artigos tem me ajudado muito a entender meu comportamento e tambem do outro.
    Obrigada, Deus te abençõe!

    Responder
  22. Esse artigo é tudo de bom, pois confrontou-me com muitas situações vividas, a qual me mostra com clareza
    as reações que tive.E só hoje eu cair na real. Quanto ao tamanho do meu orgulho que chega a deixar-me paralisada de medo de me expor. valeu . Você tem me feito muito bem.Que deus cotinue lhe dando sabedoria para ajudar o teu proximo.

    Responder
  23. Este tema foi muito oportuno para mim, pois estou no momento sofrendo com certos medos que tem me inquietado, tanto o corpo quanto a mente. Na verdade quero resolver alguns problemas, mas a insegurança bate forte, só que depois que li este texto começou a clarear a mente poder ver que ainda podemos vencer o medo da rejeição.

    Portanto obrigada pelo artigo.

    Responder
  24. Já tive muitos problemas por ser tímido, hoje vejo o mundo de uma outra forma e posso dizer com convicção que ser espontanio é muito melhor do viver preso dentro de mim mesmo.

    Gostei muito do seu artigo.

    Responder
  25. Este artigo nos mostra como o orgulho atrapalha nosa vida.
    Eu não tenho o costume de falar de meus problemas a ninguém,
    em um dado momento fique de saia justa em ter que falar da
    minha situação a alguém,isso me deu um arroxo no peito e de
    vontade de chorar.Muito obrigado por este artigo.

    Responder
  26. Sou pedagoga, trabalhei 35 anos en colegios no ensino fundamental e ensino medio. Só agora vim ler estes textos maravilhosos.Nunca é tarde. Agora serve para mimha vida, pois estou aposentada. Parabéns pelos textos são muito enriquecedores.
    Abraço Ieda

    Responder
  27. Uma explanação sobre timidez totalmente diferente do que vemos por aí, alguns pontos citados eu já “sentia na pele”, porém, não compreendia não sabia o motivo. Agora vou lutar para tirar a máscara da perfeição.
    Vou montar uma ONG – MVPV – Movimento dos Vamos Passar Vergonha!

    Grato,

    Rodrigo Lima

    Responder
  28. Não devemos ter medo de falar em público mas também não devemos expôr nossa intimidade de forma inadequada no convívio social para tirar a “máscara da perfeição”
    Basta ser realista e perseverar sem exageros.

    Responder
  29. Seu texto é perfeito. Sem mentiras, você me deu uma dica que eu consigo acreditar ser infalível, para um problema que me sonda e é o único de um tamanho relevante para acabar com a minha vida desde o dia em que eu nasci, a ponto até mesmo de eu pensar várias vezes que seria mais fácil morrer do que enfrentar isso. Mas essa história de casca grossa me deu uma esperança gigante.

    Responder

Deixe um comentário