Perguntas & Respostas sobre Propósito de Vida – Parte 3

Franciane Ulaf

Propósito de Vida - parte 3

Continuação da seção de perguntas e respostas sobre projeto e missão de vida. Veja as partes anteriores:

PARTE 1: https://guiadavida.com.br/psicologia/proposito-de-vida-parte1/

PARTE 2: https://guiadavida.com.br/psicologia/proposito-de-vida-parte2/

Existe muita confusão e talvez uma idéia mitificada do que é um “propósito de vida”, o que pode levar algumas pessoas a andar em círculos sem conseguir identificar a própria missão. Você poderia comentar um pouco sobre essa questão?

Sim, há muita mitificação e conceitos equivocados sobre esse tema. Há uma pré-concepção de que o propósito de vida (talvez até pela interpretação de seu sinônimo mais popular, “missão”) é algo “a ser realizado”. A pessoa, então, fica obcecada com a idéia de encontrar aquilo que ela “deve fazer”, fica tentando adivinhar, dá palpites, reflete sobre possibilidades quando, na verdade, o propósito é algo que é vivenciado diariamente, não é geralmente algo que é realizado no tempo num determinado momento. O propósito também pouco tem a ver com profissão ou atividade profissional em geral. Com nossa limitação humana, temos pouca visão de conjunto, portanto a noção de que alguém pode “descobrir” seu propósito de vida como um todo é simplesmente tola. O propósito “acontece” se deixamos ele se desenrolar, se o desvendamos aos poucos, à medida que vamos andando na direção certa, aceitamos os desafios e mantemos nossa autenticidade.

Se você espera “descobrir” seu propósito no sentido de saber exatamente o que deve fazer e está buscando por algum tipo de “missão”, você pode estar procurando no lugar errado, aguardando algo que pode jamais acontecer. O risco maior é de ficar andando em círculos indefinidamente esperando uma informação que jamais virá no formato que se espera. Não temos visão de conjunto de nossas próprias vidas, ponto final. Nossa única alternativa é manter a lanterna acessa e seguir pela escuridão aceitando que só podemos enxergar dois metros a nossa frente. Essa é a realidade, fingir saber o que há 1km adiante é tolo e arrogante.

A questão que poucos se dão conta é de que é possível viver de acordo com um propósito de vida sem ter visão total de todo o caminho, é possível viver com significado um dia de cada vez. Erroneamente, se espera ter visão do todo primeiro para depois começar. As pessoas esperam algo que jamais acontecerá, como se esperassem ter uma visão sobrenatural e, de um dia para o outro, soubessem qual o caminho a seguir na vida.

Recomendo aos meus alunos e leitores que reflitam sobre suas expectativas quanto ao próprio propósito.

Ficar esperando “descobri-lo” como se ele fosse algo a vir de fora é uma grande armadilha, é como esperar alguém chegar ou um evento acontecer. Trata-se o propósito como uma informação que deve vir de fora, como algum tipo de “revelação”. Não é esse o caso. O propósito é algo extremamente íntimo, relacionado às necessidades de crescimento pessoal e potencial para superar essas dificuldades.

Para algumas pessoas também significa que esse potencial ou experiência de superação das dificuldades também pode servir para o crescimento de outras pessoas, mas nem sempre é o caso. O ponto principal é que nossa missão se desenrola e se mostra pouco a pouco à medida que seguimos em frente e seguir em frente requer coragem e desprendimento para não ceder à tentação de não encarar os desafios que surgem, pois é mais confortável simplesmente permanecer onde se está, sentimo-nos mais felizes quando tudo está bem e não temos problemas ao nosso redor. Se cairmos na armadilha da felicidade, acabamos não indo muito longe e, no final das contas, o que sobra é o arrependimento de não ter tido a coragem de viver de forma extraordinária.

Você pode deixar seus comentários e perguntas na seção de comentários abaixo (perguntas não são respondidas individualmente, se sua pergunta for selecionada, ela será respondida aqui nesta seção de perguntas e respostas).

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


19 comentários em “Perguntas & Respostas sobre Propósito de Vida – Parte 3”

  1. Meu questionamento, tenho vergonha de me expor…, tenho medo do”homem”. Vivi um casamento 17 anos, tenho três filhas. Divorciei-me faz vinte anos e nunca vivi outro relacionamento…sou frustrada em relação ao casamento. Não tenho arrependimento de ter separado. Acredito q/ me tornei muito mais independente, mas daí nunca tive coragem de me envolver com outra pessoa.

    Responder
  2. Concordo com o Sr.Fran Christy,mas acho que no trabalho ou profissão podemos direcionar para uma vida com propósitos.Estou abrindo uma funerária com o proposito de fazer um trabalho diretamente para as pessoas carêntes.Claro que não pretendo trabalhar no prejuizo,mas ganhar menos do que od outros para poder ajudar os que não tem condições de um enterro digno,pois até para morrer sai caro hoje em dia.Deus abençoe este trabalho de voces que tem beneficiado muitas pessoas.

    Responder
  3. Concordo plenamente com Fran Christy. Acho que não devemos ficar de braços cruzados esperando as coisas acontecerem em nossa vida. Temos que ter coragem e motivação para alcançarmos o que desejamos. Um abraço à todos…

    Responder
  4. Concordo plenamente com Sr. Christy. Quantas vezes começamos com projetos, os quais estamos absolutamente certos de que são a verdadeira missão de nossas vidas, e no decorrer da estrada você percebe que não era bem isso o que queria e interrompe algo que julgava a razão da sua vida.
    É verdade. O propósito ou missão, seja lá qual for o nome que se queira dar, nos é indicado dia após dia, muitas vezes silenciosamente, dentro de cada um de nós. Há que estar com ouvidos, mente e coração bem abertos para perceber suas pistas e seguir adiante com mais felicidade e alegria.

    Responder
  5. Os testos de Fran Christy são revolucionários na vida de quem os lêem. Eu tenho passado por grandes mudanças motivacionais em minha vida lendo os artigos de Fran.
    Continue assim: nos motivando pela vida, pois a sua própria vida é um exemplo de vida.

    Responder
  6. Cara Fran cristy, bem ilustrativa a resposta. A proposito voce sabe seu proposito de vida ou esta vivenciando o dia a dia…. em nossa modesta opinião..
    A pessoa tem que se definir —- procurar saber o que gosta —- procurar saber os seus pontos fortes – suas fraquezas — e procurar ajustar-se naquilo que melhor harmoniza com os seus propositos pessoais…

    Responder
  7. Ótimo assunto!
    Passei a ler os textos de Fran Cristy ano passada e já foi o suficiente para me ajudar a passar por momentos e decisões muito importantes na minha vida.

    Parabéns Fran pelo sucesso e que você possa continuar ajudando pessoas que realmente precisem de palavras que nem essas!!

    Grande Abraço!!

    Responder
  8. Esta visão sobre a missão ou propósito de vida é muito reconfortante, mas a vida nos cobra mais que isso.
    Ela nos cobra um norte desde muito cedo, e não perdoa os erros de percuso.
    Quem tem o dom (sim, porque é um dom, e não é para todos) de identificar cedo o caminho a seguir consegue viver uma vida mais plena.
    Um grande abraço,
    Elaine Alves

    Responder
  9. Interessante é que quando proucuramos o proposito e de uma certa maneira duvidamos. As respostas aparecem aqui deixando fortalecer cada vez mais o rumo escolhido, um mero acaso? ou caminho certo? adorei esse site buscava uma resposta e a encontrei…..
    Rosi Costa

    Responder
  10. Sempre me pergunto: -Qual o propósito de estarmos aqui?? -Ir simplesmente tocando o barco, acompanhando o curso do rio?? -Sevir as pessoas mais necessitadas?? -Fazer apenas o que nos dá satisfação?? -Viver por viver?? -Será que quando a idade avançada chegar vou me sentir feliz com a vida que tive?? -Qual nossa missão como animal racional e humano?? Agora percebo que muitas outras pessoas buscam esta resposta. Deve existir uma…onde??

    Responder
  11. Concordo plenamente com Elaine Alves; A maior dádiva que alguém pode receber é descobrir desde cedo o seu talento, porque como a mesma falou, a vida não perdoa os erros ao longo do caminho. Eu falo por experiência própria que ainda bato muito a cabeça procurando o meu dom ou talento, e olhe que já estou na casa dos “enta”. Mas não perco o foco e sempre continuarei seguindo em frente no meu auto conhecimento.

    Responder
  12. Acredito que todos temos um Dom, o difícil é descobrir qual é o nosso. Muitas vezes falamos o DOM do outro e não paramos para ouvir o q o outro tem a dizer sobre o nosso. È preciso estar em harmonia com vc mesmo, é preciso ouvir, focar seu objetivo incansavelmente. È preciso pedir a DEUS todos os dias que nos mostre qual é o nosso verdadeiro papel aqui na Terra. Mas não é facil… ás vezes fico desanimada.

    Responder
  13. Penso que nosso propósito é evoluirmos como seres divinos. Pra isso, precisamos de cada uma das dificuldades que nos sobreveem durante nossa trajetória. Por isso é que uma simples dona de casa pode ter mais profundidade como ser humano que um mega empresário que conduz diversos negócios em vários países. O que vale, é a luz interior de cada um, como lidamos com nossas dificuldades e não quais são as nossas dificuldades. Entendermos essa diferença já é um grande propósito de vida.

    Responder
  14. Sou terapeuta há 15 anos. As pessoas parecem estar realmente confusas em relação ao que querem e ao que são, o que realmente as define.Em um mundo de ‘auto-ajuda’ e psicologia de barzinho, mal posso esperar para ler outros artigos de Fran Christy! Como diz minha filha, ela é a minha mais nova pessoa favorita.Seu blog sobre empreendedorismo na Web me trouxe aqui ( descobri feliz da vida que este conceito de viver sábia, plenamente e com espírito de diversão está se espalhando).2010 vai ser um ano e tanto!

    Responder
  15. Penso que voçê só pode viver de forma extraordinariamente com sentido e significado, não creio que saber da sua APTIDÃO seja uma armadilha, pois o mundo só está do jeito que está porque as pessoas trabalham para sobreviver e não para viver. Trabalham sem amor, sem ter aptidão para a profissão que escolheram, em seguida erram e prejudicam as outras pessoas, para mim o mundo perde muito tempo agindo dessa forma. Infelizmente. Se as pessoas meditassem mais quais são as suas qualidades as suas aptidões para cada objetivo a ser alcançado o mundo não estaria do jeito que está, pois creio eu que para conseguirmos atingir um objetivo, um propósito não deve apenas ter disciplina, determinação, mas acima de tudo APTIDÃO, digo em relação a vida profissional. Com amor Milena.

    Responder

Deixe um comentário