Cartas para o meu eu futuro

Franciane Ulaf

Carta para meu futuro eu

Agora virou moda! Todo mundo está escrevendo cartinhas para seus “eus” futuros. Com a proliferação de serviços online para coletar mensagens que serão enviadas em uma data futura (você só pode enviar mensagens para o seu próprio e-mail), muitas pessoas estão fazendo o exercício de refletir e pensar no que gostariam de dizer a si mesmas daqui 1, 2, 5 ou 10 anos.

Parece uma besteirinha, mas não é! É claro que qualquer um pode escrever o que quiser nessas cartinhas (e-mails na realidade), então aposto que tem muita gente que simplesmente configura mensagenzinhas bobinhas, engraçadas ou superficiais. Mas para quem sabe usar essa oportunidade para alavancar o próprio desenvolvimento e prosperidade, essa pode ser uma ótima ferramenta.

São inúmeros os serviços de envio de cartas para o futuro, em sua maioria em inglês, então basta digitar no Google “letter to your future self” para descobrir os diversos sites que oferecem gratuitamente esta ferramenta. Não é necessário saber inglês para utilizá-las já que ao abrir estes sites, a interface é intuitiva e a janelinha para digitar a mensagem já aparece direto.

Mas por que eu acho que isso é tão fascinante?

A grande maioria das pessoas vive em um estado de amnésia parcial, elas passam seus dias cumprindo com suas obrigações, responsabilidades, rotinas e vez ou outra um sonho aparece. Elas correm na internet, começam a procurar informações sobre “como se realiza aquele sonho”. Elas ficam animadas e postam perguntas em blogs e fóruns investigando suas dúvidas. Passados alguns dias ou semanas, contudo, a amnésia bate, a rotina toma conta e elas simplesmente se esquecem completamente que um dia tiveram aquele sonho.

Esses dias eu estava conversando com um rapaz que escreve para um dos nossos sites. Entre seus artigos mais populares, está uma coleção de várias matérias sobre como entrar na Universidade de Harvard. Ele comentava que dedica algumas horas por semana respondendo comentários de leitores dos diversos artigos que cobrem a instituição que revelam ter o “sonho” de entrar em Harvard. Ele responde detalhadamente cada pergunta com muita atenção e dedicação, mas me confessou desanimado que ele sabe que na realidade aquelas pessoas jamais vão entrar em Harvard ou qualquer instituição de ponta simplesmente porque dali alguns meses elas nem se lembrarão mais que um dia pensaram nessa possibilidade. Muitas nem sequer voltam ao site para ver as respostas dele e dos demais leitores às suas perguntas. As pessoas simplesmente não levam a sério seus próprios sonhos. Gastam um tempo enorme pesquisando, fazendo perguntas sobre ele, procurando descobrir o caminho das pedras só para depois de algumas semanas esquecerem-no completamente.

Eu que lido com metas e planos sei bem disso! Respondi ao colega que esse é um comportamento normal, “as pessoas são assim mesmo”. Hoje elas querem uma coisa como se suas vidas dependessem daquilo e ai de quem as chamar à realidade, dizendo que “aquilo não vai acontecer” ou que “elas não vão conseguir”. Não, não pode! Tem que ser politicamente correto e jogar o joguinho. Ninguém pode aguar o sonho dos outros!

Bom, se não é papel “dos outros” nos chamarem à realidade, vamos assumir nós mesmos o papel!

Se há 10 anos você tivesse escrito uma carta para seu eu atual descrevendo tudo o que você esperava que seria hoje, tudo o que você achava que em 10 anos deveria fazer, você estaria em superávit ou em déficit?

Se há apenas 1 ano você tivesse escrito uma carta para si mesmo com os sonhos que você esperaria que pudesse completar nesse período, você abriria a carta orgulhoso do sucesso ou envergonhado pelo fracasso?

Essa técnica da cartinha já vem sendo utilizada como ferramenta de autoajuda há décadas, mas era muito frequente as pessoas simplesmente se esquecerem de ler a cartinha do futuro no dia certo e elas eram esquecidas por anos, décadas em alguma gaveta ou caixa. Hoje em dia temos o auxílio dos computadores e da internet. Como elas são configuradas para serem enviadas por um terceiro, um sistema automatizado, não tem como irem parar no fundo de uma gaveta e serem esquecidas. Um belo dia, quando você menos espera, chega em sua caixa de entrada o e-mail que você escreveu há meses, anos ou décadas atrás. Lá está ela para lembrá-lo do que você não deveria ter esquecido!

É claro que a configuração de uma cartinha que deva ser enviada daqui a muitos anos é complicada, já que cada um desses serviços pode sair do ar em um período tão longo. Nesses casos, eu prefiro configurar a mesma cartinha em mais de um serviço e também usar o método antigo, imprimir, lacrar e colocar uma data futura no envelope que deverá somente ser aberto após aquela data.

É muito interessante o impacto que tem uma cartinha dessas em um prazo médio ou longo. Com o passar do tempo, nós nos distanciamos da pessoa que costumávamos ser, esquecemos nossos sonhos como se nunca os tivéssemos sonhado, mudamos, nos encolhemos dentro de zonas de conforto, nos acovardamos, nos deixamos vencer pela rotina estagnante. Ao lermos algo que nós escrevemos para nós mesmos há muito tempo, nós recebemos um impacto. Se falhamos em nos tornar a pessoa que acreditávamos que nos tornaríamos, nos sentimos envergonhados, fracassados. Se conseguimos atingir nossas metas, temos a surpresa de nos sentirmos orgulhos com nosso próprio progresso.

Contudo, se a surpresa é negativa, essa energia pode ser aproveitada para nos impulsionar para frente e corrigir o rumo. O maior benefício das ‘cartinhas para o futuro eu’ é a oportunidade de lembrar a si mesmo de sua visão ao longo do caminho. É claro que com toda a tecnologia que temos disponível, nós temos outras ferramentas em que podemos configurar lembretes, porém há algo mágico em receber uma carta de si mesmo quando você já nem lembrava mais que a tinha escrito. É também diferente no sentido de que não é apenas um mero lembrete – se feita da forma correta – é uma carta propriamente dita, com seus argumentos, seus pensamentos, sua personalidade, é uma foto em palavras de um determinado momento da sua vida. Lendo uma carta sua do passado você pode ter uma boa ideia da pessoa que costumava ser, do que pensava que poderia alcançar, das expectativas que tinha e principalmente dos motivos que cercavam tudo isso. Você não consegue extrair isso de um lembretezinho configurado em uma app ou uma lista de metas e coisas para fazer.

Mas por que mesmo eu queria isso??

Por incrível que pareça, é muito fácil esquecer as nossas motivações. Nós podemos até nos lembrar dos sonhos, das expectativas – sabemos o que queríamos ser e fazer, mas não nos lembramos por quê! Quando nós nos esquecemos dos motivos pelos quais queremos as coisas, nós perdemos a motivação para alcançá-las. Motivação vem de motivo, se ele não está mais lá, não tem como se sentir motivado.

Você pode configurar ambos os tipos de cartas: as cartas de longo prazo, escrevendo sobre o que você espera se tornar no futuro, sobre o lugar na vida em que você acredita que deve estar em 2, 5, 10 anos; mas você pode também configurar as cartinhas de curto prazo que não devem ser apenas meros lembretes (isso você pode fazer com outras ferramentas como apps e agendas), mas sim registros prolíficos de seus pensamentos, sonhos, motivações e expectativas.

Você pode configurar determinadas cartinhas para serem enviadas mensalmente, outras trimestralmente, outras ainda anualmente. Nesse caso, é claro, você precisa configurá-las uma a uma, os serviços de envio de cartas futuras não incluem uma frequência determinada, apenas uma única data futura. O quanto de trabalho que você deseja colocar nesse projeto, é claro, é com você. Algumas pessoas querem apenas escrever cartinhas anuais e configuram umas 4 ou 5 que serão enviadas nos próximos anos. Eu escrevo bastante (como você pode constatar!) então eu gosto de configurar diferentes cartas para serem enviadas em intervalos curtos, médios e longos a cada vez que eu tenho uma ideia importante ou decido algo significativo em minha vida.

É importante também não só registrar as cartinhas a serem enviadas em algum serviço online, mas também manter cópias impressas ou digitais das mesmas (nunca sabemos quando um desses serviços vai deixar de existir!). Da mesma forma, além das cartas para o futuro, é recomendado escrever uma carta para o presente e deixá-la registrada em algum lugar seguro como um diário pessoal, um journal que registra seu momento atual. É importante “tirar uma foto” da sua perspectiva no aqui e agora, os motivos que o levam hoje a desejar chegar a um determinado lugar, a conquistar uma certa meta: de onde você está tirando esse raciocínio? Por que você pensa assim? Por que você acha que isso seria o melhor para a sua vida? Como você espera que conquistar essa meta vá melhorar sua vida? Enfim, o detalhamento do que o leva a sonhar determinado sonho é importantíssimo para não perder a perspectiva dele em meio às atribulações da vida.

Ao usar essa estratégia por um tempo, é muito motivador e interessante ver nosso próprio crescimento através das cartas passadas. Nem tudo é (ou precisa ser) desapontador! Seu momento atual, sua personalidade, seus sonhos e perspectiva de vida são registrados nessa cápsula do tempo e quando você a “abre” no futuro, seu eu, então mais maduro e potencialmente mais bem sucedido, poderá se dar conta de todo o progresso que foi feito naquele período, mesmo se algumas metas foram abandonadas ou esquecidas. Se você se organizar e planejar seus sonhos, contudo, as chances de que você se desaponte com suas cartas no futuro são bem pequenas!

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Cadastre-se gratuitamente no Guia da Vida e tenha acesso a nosso melhor material sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, saúde mental e motivação:


1 comentário em “Cartas para o meu eu futuro”

Deixe um comentário